Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Tumbling pode ser banido

Rosa Napoleao - 18 de Novembro, 2016

Ginastas da zona austral podem ser descartados dos jogos da região por dificuldades de equipamento no país organizador

Fotografia: José Cola

A cerimónia de abertura dos Jogos da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) está às portas e a Federação Angolana de Ginástica continua de mãos atadas por não dispor de uma pista de tumbling, material indispensável para a representação das selecções concorrentes.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, o presidente da Federação Angolana de Ginástica, Auxílio Jacob, disse que a situação o preocupa bastante, mas nada pode fazer senão aguardar pela resposta dos órgãos competentes.

"Já remetemos os documentos dos custos deste material ao Ministério da Juventude e Desportos há algum tempo e até o momento nada se vê", lamentou.

Auxílio Jacob sustentou que "a participação dos países nos Jogos da SADC está beliscada por competirem apenas com a disciplina de tumbling". Não existem alternativas.

O dirigente revelou que a Confederação Africana de Ginástica ofereceu ao país uma pista de tumbling, após a conquista de 30 medalhas numa competição continental, mas o material está retido na África do Sul.

"Desde então, venho a enveredar esforços no sentido de transportar o material para Luanda e só tenho recebido promessas. Os custos de transportação devem ser pagos pelo Ministério da Juventude e Desportos", disse.

O presidente da Federação Angolana reiterou que a pista de tumbling "é um bem material do desporto nacional" e o órgão do tutela nacional parece não se importar com a situação da ginástica.

"Não entendo a posição do Ministério da Juventude e Desportos. Ou estão a mostrar que não entendem como funciona a ginástica ou querem arranjar uma justificativa para dizerem que a federação não se preparou para a competição. Se assim for, não é verdade", frisou.

A ginástica de tumbling é uma disciplina caracterizada pelo encadeamento rápido de elementos acrobáticos em rotação, sem quebra de ritmo de movimentos, que devem ser executados numa pista elevada de 25 metros de comprimento com uma base impulsionadora que ajuda os ginastas na sua performance. O ginasta deve sempre demonstrar velocidade, força, flexibilidade e habilidade enquanto executa uma série de manobras acrobáticas.

Nesse momento, os ginastas da selecção nacional de tumbling treinam nos seus clubes (Luanda, Huambo e Huila). Só vão ser congregados em Luanda, caso se reúnam as condições para a participação no evento, segundo Auxilio Jacob.

"Não vamos tirar os ginastas das suas províncias para Luanda sem a certeza de que vão estar na competição. Isso pode causar dissabores" rematou.