Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

UCI cria uma comissão para investigar o passado

10 de Janeiro, 2014

Comissão de investigação é formada por três membros e vai ter acesso a todos os dossiers da União Ciclista Internacional

Fotografia: AFP

O presidente da União Ciclista Internacional (UCI), o britânico Brian Cookson, anunciou a criação de uma comissão de inquérito para investigar o passado daquela federação, da qual é responsável desde Setembro último.

Os seus dois antecessores, o holandês Hein Verbruggen e o irlandês Pat Mcquaid, foram colocados em causa por declarações do norte-americano Lance Armstrong, que perdeu as suas sete vitórias no Tour de França devido a doping.

Aquela comissão de três membros, cujo orçamento vai ser totalmente coberto pela UCI, será conhecida como Comissão Independente de Reforma do Ciclismo (CIRC).

De acordo com um comunicado de Brian Cookson, o objectivo daquela comissão é averiguar "os problemas que afectaram o ciclismo nos últimos anos, particularmente aqueles em que alegadamente acções repreensíveis possam implicar a UCI, alegações que mancharam gravemente a sua credibilidade e a do ciclismo".

O suíço Dick Marty, membro da assembleia parlamentar do Conselho da Europa, foi nomeado presidente da CIRC e vai ter como colegas o jurista alemão Ulrich Haas, especialista nos procedimentos antidoping, e o australiano Peter Nicholson, antigo militar especializado em investigações criminais.

"A comissão independente terá acesso completo aos dossiers da UCI e a todos os dados electrónicos que foram registados até à minha eleição. O seu mandato estipulará expressamente que ela agirá de maneira autónoma e os seus membros não receberão qualquer instrução da UCI", acrescentou Cookson, manifestando o desejo de que o seu trabalho "esteja concluído ainda este ano".