Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

UCI levanta suspensão a Vorganov

11 de Maio, 2016

Eduard Vorganov, viu a suspensa levantada provisoriamente

Fotografia: DR

O ciclista russo Eduard Vorganov suspenso em Janeiro pela União Ciclista Internacional (UCI), depois de ter acusado consumo de meldonium num controlo anti-doping, viu a suspensa levantada provisoriamente pelo organismo, que não revelou as razões que levaram a tal posição.

Fonte oficial da UCI citada pela agência France Presse escusou-se a especificar as razões do levantamento da sanção imposta ao ciclista de 33 anos, comentou apenas que “o caso não foi ainda julgado”.

A 13 de Abril, a Agência Mundial Anti-dopagem (AMA) suavizou as sanções por consumo do fármaco cardiovascular Meldonium, que abrange cerca de 150 desportistas que acusaram positivo desde a sua proibição a 01 de Janeiro.

“Os casos em que a prova de dopagem contenha menos de uma micrograma de Meldonium, e que tenha sido tomado antes de 01 de Março, devem ser equiparados aos ocorridos com esse fármaco antes de 01 de Janeiro”, informou então a AMA em comunicado.

Nesses casos, “admite-se que o atleta não consumiu o fármaco de maneira consciente depois da sua proibição”.

No inverso, a investigação a um atleta  deve prosseguir se este reconhecer a sua acção, se existirem evidências de que consumiu Meldonium depois de 01 de Janeiro ou se “a concentração da substância chegue aos 15 microgramas por mililitro de sangue, o que confirma um consumo recente”.
O mesmo deve acontecer se “a concentração se encontrar entre um e 15 microgramas por mililitro e o teste efectuado a partir de 01 de Março”, acrescenta a nota.

Assim, os atletas que acusaram testes positivos são considerados inocentes, são amnistiados e podem competir nos Jogos Olímpicos Rio2016, a notícia foi saudada pelo Ministério do Desporto da Rússia, onde 40 atletas  encontravam-se suspensos.

A substância meldonium ficou conhecida recentemente, quando a antiga líder do 'ranking' mundial de ténis Maria Sharapova revelou ter acusado um controlo positivo para este medicamento no decorrer do Open da Austrália.

Desenvolvida na década de 1970, na antiga União Soviética, a substância servia para proteger células cardíacas, sobretudo, comercializada nos países de leste, com o objectivo de melhorar a resistência.