Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Usain Bolt desembarca no Rio de Janeiro

29 de Julho, 2016

Velocista mundial chegou muito descontraído ao Rio de Janeiro para os Jogos

Fotografia: AFP

Um dos atletas mais esperados para a disputa dos Jogos Olímpicos chegou ao Rio de Janeiro na noite de quarta-feira. Por volta das 21 horas locais, Usain Bolt desembarcou no aeroporto do Galeão, na Ilha do Governador, atendeu a pedidos de fotos e autógrafos dos fãs, mas não falou com a imprensa.

O homem mais rápido do mundo, detentor do recorde mundial dos 100m, veio directamente de Londres, onde participou da Liga Diamante - na competição, disputada na semana passada, o jamaicano venceu a prova dos 200m.

O homem mais rápido do mundo, detentor do recorde mundial dos 100m, veio directamente de Londres, onde participou da Liga Diamante – na competição, disputada na semana passada, o jamaicano venceu a prova dos 200m.

A chegada de Bolt à Cidade Maravilhosa representa um alívio aos fãs do atletismo. No começo do mês, o corredor sofreu uma lesão na coxa, desistiu de competir pela selectiva jamaicana para os Jogos e passou a ter a participação ameaçada nas Olimpíadas. No entanto, logo em seguida ele tornou-se presença garantida e afirmou estar em óptimas condições.

Aos 29 anos, o velocista chega para defender 3 medalhas ouros. Em Londres 2012, ele foi o melhor nos 100 e 200m além de ter facturado o revezamento 4×100, junto de Yohan Blake, Michael Frater e Nesta Carter.


JANELA OLÍMPICA
Ex-campeã olímpica suspeita de corrupção


A ex-campeã olímpica alemã da patinação de velocidade Claudia Pechstein juntou-se na quarta-feira aos muitos críticos de Thomas Bach, presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), após o dirigente decidir não suspender o Comité Olímpico Russo dos Jogos do Rio-2016.

"Para mim, Bach pode ser comprado politicamente", declarou Pechstein, vencedora de cinco medalhas de ouro em Jogos Olímpicos entre 1994 e 2006, à agência SID, filial da AFP.

"Ele mente ao mundo quando afirma publicamente que é preciso respeitar a presunção de inocência de todos os atletas", argumentou a atleta, suspensa por dois anos em 2009 por anomalias no seu passaporte biológico.

"No meu caso, nunca houve presunção de inocência", afirmou a patinadora, que sempre contestou a suspensão, afirmando, apoiada por médicos, que as anomalias eram produto de uma doença congênita.

"Fui condenada sem qualquer justificativa, sem qualquer prova, simplesmente em função de um cálculo de probabilidade absurdo", garantiu.
Ao classificar de "covarde" a decisão do COI de não excluir toda a delegação russa, Pechstein juntou-se a outros atletas alemães que expressaram a sua ira contra o actual presidente da entidade olímpica.


HALTEROFILISMO
Federação Internacional
coloca de fora 11 atletas


A Federação Internacional de Halterofilismo (IWF) anunciou a suspensão de 11 atletas da modalidade, quatro deles russos, por doping. Segundo a entidade, foram reanalisadas amostras colectadas durante os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, que comprovaram o uso de agentes anabolizantes.

De acordo com as regras e o regulamento, a IWF declarou que os atletas permanecerão suspensos até o fim das investigações. Dos quatro russos citados, três levaram a prata nos Jogos de Londres nas suas categorias. São eles: Alexandr Ivanov, Svetlana Tzarukaeva e Nataliya Zabolotnaya, que também conquistou a prata em Atenas 2004.

Veja abaixo a lista dos 11 atletas que foram pegos no doping. Hripsime Khurshudyan (Armênia), Intigam Zairov (Azerbaijão), Iryna Kulesha (Bielorrússia), Almas Uteshov (Cazaquistão), Rauli Tsirekidze (Geórgia), Cristina Iovu (Moldávia), Nataliya Zabolotnaya (Rússia), Svetlana Tzarukaeva (Rússia), Alexandr Ivanov (Rússia), Andrey Demanov (Rússia), Sibel Simsek (Turquia)