Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Usain Bolt garante que nunca recorreu ao doping

06 de Agosto, 2013

Velocista jamaicano volta a dizer que nunca recorreu ao doping para conquistar títulos

Fotografia: AFP

A pouco menos de uma semana do início do Campeonato do Mundo, Usain Bolt, bicampeão olímpico e detentor dos recordes mundiais nos 100 e 200 metros, reiterou numa entrevista ao jornal espanhol Marca que nunca recorreu ao doping. “Podem congelar o meu sangue durante 50 anos. Faço muitos controlos durante as temporadas e por mim não havia nenhum problema se o fizessem. Trabalho, ganho e bato recordes de forma limpa”, afirmou o jamaicano.

Sobre os casos que envolvem Asafa Powell e Tyson Gay, não quis alongar-se. “É altura de esperar. Temos que saber realmente o que aconteceu e que decisões vão ser tomadas, depois disso então formo uma opinião. Mas é um episódio muito triste para o desporto.”

Entretanto ontem, à chegada a Moscovo, onde sábado se inicia o Mundial, o velocista mostrou-se preparado para recuperar o título que perdeu em Daegu’onze , depois de uma falsa partida. “Fui aos Jogos Olímpicos e agora estou de volta para reconquistar o meu título”, avisou.

IRINA SUPERA FORTES

Irina Rodrigues, com a segunda marca nacional do ano no disco (59,59), fez um bom ensaio geral para o Campeonato do Mundo de Moscovo, que se inicia no próximo sábado, na Rússia. Foi no Torneio de Lançamentos da Juventude Vidigalense, no passado fim-de-semana, em Leiria. Depois destes 59,59 no sábado, a atleta do Sporting lançou ontem a 58,41 metros.

Já Marco Fortes não esteve feliz: lançou o peso a 19,09 metros (e 18,57 no seu outro lançamento válido). De resto, destaque para Dário Manso, com a melhor marca nacional do ano no martelo (71,14).
Aconteceu uma surpresa no sábado, com o triunfo no dardo de Hélder Pestana (68,31) sobre Tiago Aperta (64,35), que entretanto se desforrou ontem (67,78 e 61,83).

Vânia Silva lançou o martelo a 61,88 e 61,83 metros, Filipe Vital Silva obteve 57,51 no dardo e Sílvia Cruz foi a melhor no peso (13,37) e no dardo (51,61).