Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Usain Bolt promete aposentao no topo

25 de Agosto, 2015

Usain Bolt terminou a prova a um centsimo (9s79) frente do norte-americano Justin Gatlin.

Fotografia: AFP

Usain Bolt prometeu correr mais rápido, após uma largada atrapalhada nas meias -finais e uma vitória apertada na final dos 100 metros rasos no campeonato do mundo, que decorre em Pequim, capital da China.  Apesar de mostrar-se feliz pela terceira vitória consecutiva na competição, o jamaicano ressaltou que pode ser “mais rápido”, embora as pessoas apregoem estar “fora do tom na corrida”. Usain Bolt terminou a prova a um centésimo (9s79) à frente do norte-americano Justin Gatlin.

Usain Bolt quase caiu na largada das meias-finais e voltou a ter uma largada ruim na final de 100 metros. O tricampeão mundial garantiu que chegou à grande final “relaxado e sem stress”, mas admitiu manter uma conversa com o treinador após a atrapalhação nas meias-finais. Contudo, destacou que a vitória “significa muito” por ter recuperado recentemente de uma lesão. O melhor velocista da actualidade, revelou que lhe foi dito “preocupar-se demais,” adoptou uma nova postura: “a receita da confiança vai funcionar também nos 200 metros, que é a minha prova favorita”.

O tricampeão mundial, bicampeão olímpico e recordista nos 100 e 200 metros afirmou que o seu objectivo, é “ser o número um até à aposentação”.
O norte-americano Justin Gatlin assegurou que está “satisfeito”, apesar de ter desperdiçado a oportunidade de vencer o rival. ´“Nos últimos cinco metros, tropecei um pouco e perdi o meu ritmo. Todos querem ganhar, mas vim e disputei de igual para igual com um grande”, justificou o norte-americano, para explicar a queda de desempenho justo no fim da prova, que não atribuiu ao desgaste da meia-final. Justin Gatlin prometeu acabar com a hegemonia do melhor velocista da actualidade nas próximas provas.

BOLT É O ATLETA
MAIS MEDALHADO

Com a vitória nos 100 metros rasos, o jamaicano Usain Bolt tornou-se o atleta com mais medalhas de ouro na história do Campeonato Mundial de Atletismo, que tem a  edição deste ano a ser disputada em Pequim, na China.  O velocista subiu nove vezes ao topo do pódio, também é o recordista em medalhas, no geral, com 11. O número pode aumentar nos próximos dias, já que Usain Bolt deve participar dos 200 metros e na estafeta 4x100 metros.

O jamaicano desempatou dois registos históricos do norte-americano Carl Lewis, que subiu ao pódio dez vezes em Campeonatos Mundiais, dos quais oito no lugar mais alto.  Outro velocista dos Estados Unidos, Michael Johnson, também conquistou oito medalhas de ouro, mas não conseguiu nenhuma prata ou bronze, por outro lado.

NOS 10 METROS
Fraser-Pryce
conquista ouro


A velocista jamaicana Shelly-Ann Fraser-Pryce revalidou, ontem, o título de campeã mundial dos 100 metros, com o tempo de 10.76 segundos. A jamaicana terminou a prova à frente da holandesa Dafne Schippers, que conquistou a medalha de prata, e da norte-americana Tori Bowe, no terceiro lugar do pódio. Fraser-Pryce soma agora três títulos mundiais (2009, 2013 e 2015) e dois olímpicos (Pequim'2008 e Londres'2012).

DARDO
Campeão olímpico
foi ontem eliminado

O atleta Keshorn Walcott, de Trindade e Tobago, campeão olímpico do dardo, foi eliminado ontem nas qualificações dos Mundiais de atletismo, em Pequim, com um lançamento de 76,83 metros. Walcott, que se sagrou campeão olímpico em Londres'2012 com apenas 19 anos, algumas semanas depois de conquistar o título mundial de juniores, terminou em 13.º do Grupo A. A qualificação directa estava fixada nos 84 metros.
Em Julho, o atleta, de 22 anos, tinha melhorado o seu recorde pessoal e nacional, ao lançar o dardo a 90.16 metros, no Meeting de Lausana, Suíça, da Liga de Diamante.

10 MIL METROS
Britânico Mo Farah confirma soberania  

Com direito a sprint final arrebatador, o britânico Mo Farah confirmou a soberania na prova dos 10 mil metros e conquistou o bicampeonato mundial com o tempo total de 27min01s13. Farah deixou dois concorrentes quenianos na última volta dada no Estádio Ninho do Pássaro, em Pequim. O atleta nascido na Somália apanhou um susto nos metros finais ao tropeçar num dos concorrentes. A vitória mantém a série de grandes conquistas do fundista britânico, que já havia levado a melhor nos Jogos Olímpicos de 2012 e no Campeonato Mundial de 2013.

A medalha de prata da prova ficou com o queniano Geoffrey Kipsang, com o tempo de 27min01s76. A de bronze foi para Paul Kipngetich Tanui, outro atleta queniano, com 27min02s83. Mo Farah volta à pista amanhã para as eliminatórias dos cinco mil metros, cuja final está agendada para o próximo sábado. Nos Jogos Olímpicos de 2012, Mundial de 2013 e Europeu de 2014, o britânico fez dobradinha ao vencer as duas provas, o que espera repetir em Pequim.

Alemã quebra hegemonia dE Lijiao Gong
A alemã Christina Schwanitz quebrou a sequência de títulos de atletas da Nova Zelândia e venceu na disputa do lançamento de peso do Campeonato Mundial de Atletismo, que se disputa em Pequim. A atleta de 29 anos, medalha de prata na edição de Moscovo, em 2013, conseguiu a marca de 20,37 metros, na sua terceira tentativa, e superou a chinesa Lijiao Gong, que havia alcançado 20,30 metros no primeiro lançamento.

A norte-americana Michelle Carter conquistou a medalha de bronze, com 19,76 metros. A neozelandesa Valerie Adams vinha de duas conquistas no Campeonato Mundial, mas não participou da edição deste ano. Antes dela, a compatriota Valerie Vili havia arrebatado duas medalhas de ouros, em 2007 e 2009.