Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Usain Bolt satisfeito com desempenho na carreira

27 de Junho, 2017

Usain Bolt tem dúvidas quanto à carreira de treinador

Fotografia: AFP

Usain Bolt, o já lendário velocista jamaicano, vai retirar-se do atletismo no final da época, disse em Ostrava que não se arrepende da decisão, e que a sua carreira "foi longa" e com "altos e baixos".

Falando na conferência de imprensa de lançamento do meeting de Ostrava, na República Checa, que tem lugar a partir de hoje, o atleta de 30 anos foi claro na sua determinação: "Fiz tudo o que queria fazer, e agora, é o fim. Não tenho problemas com isso. Volto a Ostrava, mas só para ver, para estar no meio do público e ver a nova geração aparecer".

"Foi uma grande carreira, aprecio os altos, mas também os baixos, toda a experiência que adquiri, as alegrias, e as tristezas", disse o recordista mundial dos 100 e 200 metros, e triplo campeão olímpico nas duas distâncias.

Bolt vai fazer em Ostrava a penúltima prova, antes dos Mundiais de Londres (04 a 13 de Agosto), vai correr os 100 metros, não se mostrou "preocupado" com a falta de competição - apenas fez uma vez 100 metros em 2017, em Kingston, no início do mês.

Depois de Ostrava, ainda tem agendado os 100 metros do meeting do Mónaco, a 21 de Julho.

Questionado sobre o que vai fazer depois de deixar de correr, assumiu não ter "nenhuma ideia".

"Fico ansioso com a ideia de sentar-me, e ver quem vai ser o próximo campeão olímpico. Muitas caras novas estão a aparecer, com um grande potencial, vai ser interessante ver isso. O meu 'coach' insiste comigo para que me torne treinador, e no próximo ano, posso estar ao lado dele para observar. Televisão?, não sei... mesmo que muita gente tenha projectos para mim", disse ainda.

CABO VERDE
O primeiro -ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, considerou que a implementação de provas de atletismo em circuitos de montanha, pode ser uma alternativa muito importante para dinamizar as zonas altas da ilha de Santo Antão.

Ulisses Correia e Silva falava à população da zona de Corda, referiu-se à perda de oportunidades que a entrada em funcionamento da estrada Janela/Porto Novo trouxe para as localidades limítrofes à estrada Ribeira Grande/Porto Novo, via montanha.

No entender do chefe do governo cabo-verdiano, a realização desse tipo de provas nas zonas altas de Santo Antão, ainda que seja apenas uma por ano, pode trazer grande projecção internacional com a vinda de Órgãos de Comunicação Social especializados, para além dos praticantes desses desportos e outros turistas.

"Esta zona tem potencialidade para o desenvolvimento de circuitos turísticos organizados, miradouros, que permitem mais movimentação nesta zona", concluiu Ulisses Correia e Silva.