Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Valtteri Bottas triunfa na Rússia

01 de Maio, 2017

Bottas alcançou a primeira vitória da carreira.

Fotografia: AFP

Na manhã de ontem, foi realizado o Grande Prémio da Rússia, quarta prova da temporada de 2017 da Fórmula 1. Após óptima partida, quando ganhou duas posições e assumiu a liderança, Valtteri Bottas soube administrar a vantagem e conquistou a sua primeira vitória, não só com a Mercedes como da sua carreira na Fórmula 1.

O pódio foi completado pelos pilotos da Ferrari, com Sebastian Vettel em segundo e Kimi Raikkonen em terceiro.  Lewis Hamilton não viveu um bom fim de semana, teve de  contentar-se com a quarta posição, seguido do holandês Max Verstappen, da Red Bull.
O brasileiro Felipe Massa terminou em nona posição.  Apesar de uma corrida regular, que fez com que o piloto ficasse parte da prova em sexto lugar, Massa foi forçado a fazer um segundo pit stop, após ter um problema com a sua Williams. Com isso, perdeu posições importantes.

O piloto Fernando Alonso vive uma temporada ruim na McLaren. Sem completar nenhuma corrida no actual campeonato, o espanhol não conseguiu partir, abandonou o GP da Rússia na volta de apresentação.

Com os resultados, Vettel segue na liderança isolada do Mundial, com 86 pontos conquistados nas quatro primeiras corridas. A segunda posição está Hamilton, com 73 pontos. Com a vitória, Bottas está na terceira posição, agora com 63 pontos, seguido de Raikkonen, com 49 pontos. O próximo compromisso da Fórmula 1 acontece dentro de duas semanas, com o Grande Prémio de Espanha, quinta prova do Mundial de 2017. A corrida acontece no Circuito da Catalunha.

A corrida – Não precisou da partida para o primeiro abandono da prova. Na volta de apresentação, Fernando Alonso, teve problemas e acabou por  abandonar a sua McLaren na pista, e deixou a corrida. Com isso, os pilotos foram obrigados a dar mais uma volta de apresentação.

Com tudo pronto, a partida foi conturbada. Após conquistar a pole depois de quase dois anos, Vettel não arrancou bem e acabou por demorar a largar, com os pneus a patinar na pista. Raikkonen, na segunda posição, também não saiu bem, e Bottas aproveitou. O finlandês da Mercedes partiu bem e pulou para a primeira posição. O brtitânico Hamilton bem que tentou ultrapassar Raikkonen, mas não teve sucesso, e seguiu em quarto lugar.

Quem também se destacou na partida, foi Max Verstappen, líder de ultrapassagens das duas últimas temporadas. O jovem holandês ultrapassou o seu companheiro de Red Bull, Daniel Ricciardo, e o brasileiro Felipe Massa, e assumiu a quinta colocação. Massa também ultrapassou o australiano, que acabou por abandonar a corrida na sexta volta, após problemas nos travões.

DECISÃO
Honda fornece motores à Sauber


Após meses de rumores, a Sauber confirmou ontem, que vai passar a usar os motores Honda a partir da próxima temporada. As negociações  aconteceram desde o ano passado, quando a equipa suíça decidiu utilizar os motores Ferrari de 2016, no carro desta temporada, para economizar.

\"É uma grande honra para a Sauber trabalhar com a Honda, nas próximas temporadas. Nosso realinhamento não é apenas visível, por meio do novo comando, mas também com nossa nova parceria técnica com a Honda\", afirmou a chefe da equipa, Monisha Kaltenborn, quando se  referia ao grupo de investimento suíço que comprou a equipa em meados do ano passado, e está a injectar mais dinheiro nesta temporada, em que a Sauber comemora 25 anos na Fórmula 1.

A Honda voltou à Fórmula 1, em 2015, com um acordo similar a uma equipa de fábrica com a McLaren. Nos primeiros anos, a equipa inglêsa queria exclusividade, mas há quem defenda que ter outra equipa a testar  constantemente o motor, será importante para a Honda desenvolver o seu equipamento. Os japoneses têm  bastante dificuldade em lidar com a tecnologia dos V6 turbo híbridos, e acredita-se tem quase 200 cavalos a menos do que Mercedes ou Ferrari.

\"Este será um novo desafio para as actividades de F-1 da Honda\", apontou o director de marca e comunicação da marca japonesa, Katsuhide Moriyama. \"Para levar o benefício de ter duas equipas ao máximo, vamos fortalecer os sistemas e capacidades das nossas duas operações de desenvolvimento, em Sakura (no Japão) e de Milton Keynes (na Inglaterra). Vamos continuar os nossos desafios, para que os fãs apreciem  uma Honda dominante, o mais rápido possível.\"

Enquanto isso, a relação com a McLaren não é das melhores, como admitiu o director de engenharia Matt Morris. \"Claramente é uma relação tensa, mas ela também é forte. Acho ,que um de nossos maiores desapontamentos foi que não esperávamos ter tantos problemas de confiabilidade, e demorou um tempo para engolir isso.\" Os problemas começaram ainda nos primeiros testes de pré-temporada, e continuam: neste final de semana, na quarta etapa do campeonato, na Rússia, Stoffel Vandoorne usou seu quinto motor e já começou a pagar punições.