Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Vencedores são encontrados hoje

Silva Cacuti - 14 de Dezembro, 2016

Daí que as lesothenses podem levar mais tempo para materializar o sonho da primeira vitória. A Namíbia cumpre dia de folga.

Fotografia: Jornal dos Desportos

A Selecção Nacional de boxe tem dois pugilistas metidos na discussão de medalhas de ouro do torneio de boxe dos VII Jogos da Juventude da zona V do Conselho de Desportos da União Africana que encerra hoje. A disputa das finais, a partir das 17h00, no pavilhão anexo número 2 da Cidadela Desportiva, marca o encerramento do maior torneio dos Jogos, uma vez que teve representante de todos os países da região.

As atenções dos amantes da modalidade em Angola vão estar presas no combate da final dos 64kg, em que são intervenientes o angolano Naftali Goma e o tswanês Kenaope Boijang. Vai ser o terceiro combate do pugilista angolano, atleta do Cabinda Sport Clube, que na fase preliminar se livrou de Xaba Luyanda, da Swazilândia, a quem venceu por "RSC" (incapacidade do adversário) decretada pelo árbitro. Na meia-final, o pugilista ultrapassou Phiri Hannock, do Malawi, aos pontos: 2-1.

É a primeira final internacional da carreira do jovem cabindense. "Estou confiante. É a minha primeira final. Só posso prometer que vou dar o meu melhor e gostaria de contar com o apoio de todos", pediu Naftali. Noutra final com cores angolanas entra em cena Jonatão Kakutalua, do Jeffosport, que vai defrontar o sul-africano Nongongo Uyanda, para a categoria dos 69kg.

Jonatão Kakutalua ficou apurado para a final de forma directa, porque apenas três atletas estavam inscritos na categoria. Na meia-final, Nongogo Uyanda bateu Mabvongwe Freeman, do Zimbabwe. Chega à final com a vantagem de ter feito um combate, enquanto Jonatão Kakutalua faz a estreia. A vantagem é relativa. Cada combate produz os seus efeitos físicos e o angolano pode tirar partido da maior frescura neste capítulo.

Noutras finais, o namibiano Jonas Erastus defronta o sul-africano Kuse Siyakholwa para a categoria de 46kg. Mtefo Maitewa, do Botswana, defronta David Mwale, da Zâmbia, que na meia-final bateu o angolano Fernando Kilunga, em combate para os 52kg.

Para os 56kg, Ricardo Malajika, da África do Sul, defronta Everisto Mulenga, da Zâmbia. Mulenga afastou da competição o angolano Faustino Panzo.
Ndevelo Tyragain, da Namíbia, que bateu o angolano Francisco Gomes, nos 60kg, vai defrontar o sul-africano Zuma Mxolisi, num combate muito aguardado, dado o nível técnico exibido por ambos.
SC

Favoritas aquecem a jornada

As selecções da África do Sul e do Botswana disputam hoje a partida de destaque da quarta jornada do torneio de netbol dos VII Jogos da Juventude da Zona V do Conselho de Desportos da União Africana. São as duas equipas mais cotadas da prova e estão invictas. Cada uma tem duas vitórias.
Tecnicamente, as duas equipas têm um nível equiparado. A África do Sul tem alguma vantagem teórica pela maior envergadura das componentes do seu plantel. É o país que domina a modalidade na região e favorita natural.

O Botswana não se apontava ao título inicialmente, mas de forma surpreendente bateu o Zimbabwe, detentor do título do torneio da zona, e, para dissipar as dúvidas sobre as suas intenções, vergou também a Namíbia na terceira jornada. É um jogo esperado. Qualquer uma dessas equipas pode sagrar-se campeã do torneio. Kagisano Manela, treinadora do Botswana, tem no jogo um marco para a avaliação do nível competitivo da sua equipa.

"Depois do jogo com a África do Sul, vamos ter uma percepção do nosso real nível competitivo", disse a treinadora. Sem prometer vitória, a tswanesa destaca a vontade de aparecer bem no jogo e aproveitar, ao máximo, todas as oportunidades que surgirem no jogo. "Não viemos para ser campeões, o nosso grupo está a trabalhar e a cada jogo cresce. Vai ser um jogo em que vamos procurar, como sempre, trabalhar".

Ainda hoje, o Lesotho tenta a primeira vitória no torneio. As lesothenses têm uma missão quase impossível, uma vez que defrontam a detentora do título regional. O Zimbabwe ainda tem aspirações ao título e espera por escorregadela das equipas que lideram. Daí que as lesothenses podem levar mais tempo para materializar o sonho da primeira vitória. A Namíbia cumpre dia de folga.
SC