Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Verstappen admite surpresa na China

10 de Abril, 2017

Lewis Hamilton e Sebastian Vettel começam a abrir vantagens sobre os demais adversários

Fotografia: AFP

Segunda etapa do Mundial de F1 na época 2017, o GP da China é mais um daqueles que Max Verstappen vai poder usar como exemplo do que consegue fazer na F1.

A largada na 16ª posição não dava a impressão de que Max Verstappen faria grande coisa na prova, mas não demorou mais que alguns metros para ficar evidente de que não era verdade. Entre a pista molhada em certas partes, seca noutras, Max deu um show que o colocou no segundo lugar. Terminou em terceiro, mas mostrou que há como ultrapassar na F1, ainda que não seja a coisa mais fácil do planeta. A largada só foi no 16º lugar por conta dos punidos Romain Grosjean, Jolyon Palmer e Antonio Giovinazzi, que o fizeram subir do 19º lugar que havia terminado a classificação. Na primeira volta, a tabela apontava Verstappen na sétima posição. Daí só foi subir. 

Os pneus super-macios entraram em acção e Max Verstappen deixou para trás quem aparecia pela frente. Valtteri Bottas facilitou ao rodar, enquanto Kimi Raikkonen e Daniel Ricciardo foram ultrapassados. Como num passe de mágica, Verstappen apareceu no segundo lugar.

Depois, ficou atrás de Vettel, já com o rendimento do jogo de pneus bem pior. Trocou, voltou em quinto e tentou o pulo do gato. Ficassem Lewis Hamilton e Sebastian Vettel na pista por mais algumas voltas com pneus velhos, poderia tirar a diferença e ganhar a corrida. Não rolou. Passou Ricciardo e Raikkonen nas suas respectivas paragens, mas os dois líderes do campeonato pararam antes que pudessem perder o rendimento. Não foi o bastante para o pódio, mas foi para Max ganhar o prémio de Piloto do Dia.

“Muito desafiadora a corrida. Creio que passei uns nove carros na minha primeira volta. Senti como se fosse um videogame para mim. Foi muito desafiador. Não tive muito tempo de pista para buscar o equilíbrio do carro, porque eu mal fiz a classificação. Não esperava terminar no pódio”, seguiu.
O jovem holandês disse que só queria \"ter a pista limpa\". \"Mas no fim das contas ainda terminamos no pódio\", disse.

Com 25 pontos, Max Verstappen é o terceiro classificado do campeonato, atrás apenas de Sebastian Vettel e Lewis Hamilton.

LIDERANÇA DA F1
Inglês e alemão empatados


Duas corridas estão realizadas e a F1 tem uma liderança compartilhada. Lewis Hamilton deu um troco em Sebastian Vettel no GP da China, venceu e chegou aos 43 pontos. O resultado, combinado com o segundo lugar de Vettel, significa que os dois campeões estão empatados em todos os aspectos na luta pelo título. A última vez que os dois pilotos dividiram uma liderança foi após o GP da Espanha de 2012, quase cinco anos atrás.

Além de estarem perfeitamente empatados, Lewis Hamilton e Sebastian Vettel abrem uma vantagem considerável sobre os adversários mais próximos. Max Verstappen, terceiro classificado tanto em Xangai quanto no campeonato, soma 25 pontos. O déficit de 18 pontos em duas provas fortalece a tese de que a luta pelo título vai ser de apenas duas cabeças.

Valtteri Bottas, que ainda não encheu os olhos de ninguém na Mercedes, é o quarto com 23 pontos. Kimi Raikkonen pinta em quinto com 22. A diferença de um ponto é o que garante a liderança para a Mercedes no Campeonato de Construtores.

Atrás da Red Bull, nitidamente a terceira melhor equipa da grelha, a luta entre as equipas esquenta. A Toro Rosso é a quarta classificada com 12 pontos, enquanto a Force India é a quinta, com 10. A Williams, depois de um dia terrível, desceu para o sexto com oito pontos. A próxima etapa da F1 é disputada em 16 de Abril. Trata-se do GP do Bahrein, terceiro do calendário.