Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Vettel atribui favoritismo à Mercedes no GP de Suzuka

26 de Setembro, 2015

Vettel confiante na capacidade da Ferrari fazer boa prova no GP do Japão

Fotografia: AFP

Sebastian Vettel encarou com grande surpresa, o apagão da Mercedes, no GP de Singapura e acredita que tamanha queda de rendimento dos carros de Lewis Hamilton e Nico Rosberg não deve  repetir-se no fim de semana, em Suzuka: “Aqui é uma pista completamente diferente”

“Temos de ser realistas”. Com os pés no chão, Sebastian Vettel disse em entrevista  promovida pela FIA na tarde de quinta-feira, em Suzuka, que ainda aposta na Mercedes como franca favorita ao título na temporada 2015.

A equipa alemã nadou de braçada, em praticamente todo o campeonato, mas viveu o seu pior fim de semana no GP de Singapura, quando nem sequer foi um oponente real na luta pela pole -position e pela vitória, ambas conquistadas pelo tetracampeão do mundo.

Vettel não escondeu a surpresa, por ver tamanha queda de rendimento dos rivais em Marina Bay, mas acredita que até mesmo devido às características do circuito de Suzuka, a Mercedes volta a brigar no topo no GP do Japão, a 14ª etapa do Mundial de F1 em 2015. Por outro lado, o alemão mostrou confiança no potencial da Ferrari.

Questionado sobre perspectivas para a equipa de Maranello, para as próximas corridas da temporada, Seb acredita que a Ferrari vai seguir entre as ponteiras do campeonato.

“É difícil de dizer analisando com base nos resultados que tivemos neste ano. Tivemos um grande carro em cada pista: em circuitos de rua como Mónaco e Singapura, e também em outras pistas como Malásia e Silverstone.

Se você notar que foram tantas corridas, não ficamos completamente de fora da luta, então estamos razoavelmente confiantes”, comentou.
“Estamos aprendendo ao longo do caminho, e espero que isso signifique que seremos, no fim das contas, um pouco mais fortes. Mas a Mercedes ainda é a favorita, com seus dois carros”, disse o dono da Ferrari.

Quanto ao fim de semana em Suzuka, Vettel  mostrou-se  confiante na capacidade da Ferrari em fazer um bom papel, quando perguntado se a Ferrari podia repetir a campanha vitoriosa realizada na semana passada em Singapura. Por outro lado, tratou de dar um tom mais realista às perspectivas em relação à Mercedes.
“Aqui é uma pista completamente diferente, mas espero que sim. Temos de ser realistas. De certa forma, foi uma grande surpresa ver a Mercedes a sofrer, e não espero que este seja o caso aqui. Seria uma grande surpresa, mas se houver uma chance, nós temos de aproveitá-la”, acrescentou.

“A natureza da pista é completamente diferente, aqui. O clima pode trazer muitas surpresas também, de modo que será um fim de semana complicado”, concluiu. Para sexta-feira e sábado, a previsão do tempo indica boa possibilidade de chuva, enquanto no domingo a meteorologia aponta maior possibilidade de corrida, com a pista seca.


SEBASTIAN VETTEL
Alemão elogia Button 


Sebastian Vettel não escondeu a admiração por Jenson Button, um “grande tipo, muito justo na pista e fora dela”. O britânico evitou falar da provável reforma da F1 ao fim da temporada 2015.
Um dos muitos temas em pauta, no fim de semana do GP do Japão,  é sobre o futuro de Jenson Button na F1. Nos últimos dias, ganhou força no noticiário a possibilidade da reforma do campeão do mundo em 2009,  ao menos por enquanto, não foi confirmado pelo actual piloto da McLaren.

Em entrevista na tarde de quinta-feira, em Suzuka, Button evitou o tema, mas disse em tom de mistério: “Estarei feliz no ano que vem. Isso é o importante”.
Na mesma entrevista, promovida pela FIA, Sebastian Vettel rasgou elogios ao colega de trabalho, o piloto mais experiente da F1 actual. O tetracampeão do mundo reverenciou Button e descreveu-o como “um grande tipo, muito justo na pista e fora dela”. Vettel entende que uma eventual aposentação do britânico ao fim da temporada seria uma “grande perda” para toda a F1.

“Nós não sabemos se este é o caso, acho que você tem de perguntar a ele, mas ele tem suas razões para não dizer mais”, disse o alemão quando questionado sobre o futuro de Button na F1. “Mas seria uma grande perda, certamente”, acrescentou.

Vettel tinha 13 anos quando Button, então com 20, fez a sua primeira corrida na F1, pela Williams, em 2000. “Lembro quando eu era um garotinho, e ele era considerado um jovem promissor a  chegar à F1. Parecia muito novo quando chegou à Williams. Hoje você tem tipos com 17 anos a começar, então acho que ele era muito velho quando ele começou”, brincou o tetracampeão.

“Certamente, ele é um grande tipo, sabemos que ele é rápido, ele merece ser um campeão, e tenho a certeza de que se houvesse mais anos onde ele tivesse um pacote para vencer, então ele estaria no topo. Sua qualidade está fora de questão, além do que ele é um tipo muito justo na pista e fora dela. Acho que, para todos nós, seria uma grande perda”, complementou Seb.

Terminado o 'discurso', Button arrancou risos dos presentes: "Estou a começar a chorar...!