Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Vettel descarta favoritismo

05 de Março, 2013

Sebastien Vettel manifestou preocupação sobre a qualidade dos pneus da Pirelli

Fotografia: AFP

O alemão Sebastian Vettel teve um bom desempenho nos testes colectivos da pré-época, mas a performance não o deixou satisfeito. O piloto da Red Bull afirmou que a posição na tabela de tempos pouco importa, quando não se tem uma conclusão em relação ao carro.
Vettel revelou em entrevista à rede “Sky Sports” que nunca tiveram um teste de inverno “tão inconclusivo” como o de Barcelona e explicou que a variação dos pneus não permitiu ter uma ideia mais completa em relação ao novo carro.

“É impossível ler o ritmo do carro e apontar os favoritos, pois os últimos dois dias foram muito bons em termos de clima, céu azul, sol, não estava muito frio e o asfalto estava bem quente, mas os pneus ainda estavam maus, temos de ver”, justificou o alemão.
O piloto vez questão de realçar que o desempenho nos testes é pouco para considerar a equipa favorita, porque “os tempos de volta não são importantes”.

Sem grandes conclusões, Vettel preferiu adiar a análise do real potencial da Red Bull na época’2013 e prometeu analisar as informações entre o momento actual e o Grande Prémio da Austrália, em Melbourne, “para entender um pouco mais” e, provavelmente, saberem o que os espera na Austrália e no início da época.


MARK WEBBER
DESCARTA ABANDONO


O australiano Mark Webber não quer nem saber de reforma. Mesmo com um ano de contrato e sendo o piloto mais velho da grelha, o representante da Red Bull não pensa em sair da maior categoria do automobilismo no próximo ano.
“Não vejo este como o meu último ano na Fórmula 1”, sentenciou ao jornal “The Sun”.

Questionado se o contrato de um ano podia ser o último da sua carreira, Webber explicou que já é dA praxe fazer acordos de curta duração nos últimos tempos.“Assinei contratos de um ano nos últimos quatro anos, mesmo quando estava a lutar pelo título”, explicou.
O australiano tornou-se o piloto mais velho da grelha com a saída do heptacampeão Michael Schumacher, que se aposentou após a passagem pela Mercedes. Entretanto, ser o mais experiente não significa muito para o piloto.

“Isso não significa coisa nenhuma. Se Michael Schumacher ainda estivesse na grelha, como ia isso fazer-me sentir diferente?”, questionou.
Para Webber, o que importa é que se sente jovem e sem qualquer desgaste excessivo ao conduzir o carro da Red Bull nas corridas.“Ainda me sinto com 25. Sei que não sou, mas sinto-me jovem. Não sinto que esteja a ficar cansado quando estou a conduzir o carro. Sinto-me bem”, concluiu.


GP AUSTRÁLIA
Técnico Pat Fry
espera surpresas


A inconsistência demonstrada pelos pneus Pirelli nos testes de pré-época da Fórmula 1 pode trazer mudanças na formação da grelha do Grande Prémio da Austrália, primeira etapa do Mundial. O director técnico da Ferrari, Pat Fry, vaticina que há a possibilidade de o cenário aparente nos treinos de Jerez de la Frontera e Barcelona ser modificado para Melbourne.

“Ainda há muita gente a aprender coisas na Austrália para ser honesto. Os pneus desgastaram-se muito e o que se viu em Jerez de la Frontera não é necessariamente o que vai haver em Melbourne. Vamos ter algumas pessoas surpreendidas e outras chocadas”, afirmou Fry.

O dirigente da equipa italiana disse estar satisfeito com o desempenho da Ferrari nos treinos de pré-época de inverno, destacando a evolução da equipa em relação ao mesmo estágio da época passada. Apesar disso, evitou fazer projecções do rendimento dos carros de Fernando Alonso e Felipe Massa para a primeira prova do ano.O Mundial de Fórmula 1 tem início dia 17 de Março, com o Grande Prémio da Austrália, prova disputada nas ruas de Melbourne.