Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Vettel eleito desportista do ano

28 de Dezembro, 2013

Sebastian Vettel foi considerado o desportista europeu do ano pelas agências de notícias europeias

Fotografia: AFP

Na votação em que participaram 21 agências europeias, Sebastian Vettel, tetracampeão do mundo de Fórmula 1, somou 166 pontos e ocupou de forma destacada o primeiro posto do pódio, seguido do tenista espanhol Rafael Nadal (127) e do fundista britânico Mo Farah (86).

Cristiano Ronaldo, autor de 69 golos em 2012, falhou a presença no pódio por dois pontos, já que ficou em quarto lugar, com 84 pontos, mais dois do que o futebolista francês Franck Ribéry (82), com o qual concorre à Bola de Ouro, troféu que distingue o melhor futebolista do ano. Entre os dez primeiros figuram ainda a eslovena Tina Maze (esqui alpino), o britânico Christopher Froome (ciclismo), o sérvio Novak Djokovic (ténis), o francês Tony Parker (basquetebol) e o norueguês Marit Bjoergen (esqui).


Sebastian Vettel lidera
melhores pilotos do ano


O último brasileiro campeão da Fórmula 1 foi Ayrton Senna, em 1991. De lá para cá, o principal resultado alcançado foi o vice-campeonato de Felipe Massa, em 2008. No entanto, a má fase do país não é apenas na principal categoria do automobilismo mundial. A situação fica mais visível com o ranking dos 50 melhores pilotos de 2013 publicado pela revista britânica ‘Autosport’.

Dos 50, apenas dois são brasileiros. O que melhor representa o Brasil é Augusto Farfus, vice-campeão do DTM, que ficou-se  na 22ª posição. Logo na 23ª  aparece Hélio Castroneves, que também ficou em segundo na Fórmula Indy.

A lista  não contou com pilotos de motovelocidade, teve novamente o alemão Sebastian Vettel no topo, seguido por Sebastien Ogier, actual campeão mundial de rali, e Jimmie Johnson, campeão da principal categoria da Nascar.



Motores
Williams está satisfeita
com nova fornecedora 


A chefe da Williams, Claire Williams, mostrou-se satisfeita com a Mercedes, nova fornecedora de motores V6 turbo, para a época 2014. “Isso é óptimo, porque as nossas expectativas eram de um nível muito alto e foi por isso que a escolhemos. Sabemos quão profissional esse trabalho é e tudo o que temos visto desde que assinámos o contrato não mudou a nossa percepção”, afirmou Claire em entrevista à “Autosport”.

Além do bom trabalho que a Mercedes tem estado a fazer até ao momento, outro factor destacado pela dirigente é a proximidade da Mercedes com a Williams, algo que não existia nos tempos de parceria com a Renault. “A coisa mais fácil para nós é que tudo está perto, o que faz com que seja mais fácil quando se está a tentar trabalhar com ele. Ir a França é uma longa viagem e não necessariamente favorável. Mas agora os nossos engenheiros podem correr até à Mercedes várias vezes e eles podem vir até nós. Nós estamos muito satisfeitos”, completou.

Os primeiros testes da pré-temporada da categoria estão marcados para 28 a 31 de Janeiro, em Jerez de la Frontera, em Espanha. Embora confiante de que os motores estão bem, Claire admitiu que não é possível fazer uma análise até à primeira actividade. “Eu não sei se alguém realmente sabe onde eles estão com os motores e eu não acho que vamos saber até ao primeiro teste. Mas é fascinante ver onde cada motor está e espero que a Mercedes seja claramente a melhor no paddock porque isso vai ajudar-nos a seguir em frente”, concluiu a dirigente.


Rússia
Promotores de GP
contratam Cregan 


Os promotores do GP da Rússia de F1 anunciaram quinta-feira a contratação do britânico Richard Cregan, responsável pelo circuito de Yas Marina, em Abu Dhabi. O acordo visa evitar que o circuito russo tenha o mesmo fim das etapas da Turquia, Índia e Coreia do Sul, excluídas da categoria após duas ou três temporadas.

Cregan conseguiu destaque ao transformar a etapa de Abu Dhabi no encerramento da temporada da F1. Além disso, o britânico conseguiu albergar outras categorias no circuito de Yas Marina, como GP2, GP3 e V8 Supercars (categoria de turismo da Austrália).

Oleg Zabara, promotor do GP da Rússia, ressaltou a importância de utilizar o circuito de Sochi no resto do ano. “O conhecimento e a experiência que vamos obter com essa cooperação é o suficiente para garantir não só um GP que corresponda às expectativas, mas também um uso efectivo do autódromo durante todo o ano”, afirmou.

Richard Cregan permanecerá como consultor de Abu Dhabi e acumula funções nas duas etapas. “Sair de Yas Marina foi uma decisão difícil para mim, mas eu sempre gostei de novos desafios e continuo como responsável de lá. Estou convencido que o GP da Rússia vai tornar-se um evento icónico no calendário da F1”, acredita o britânico. O GP da Rússia está marcado para o dia 12 de Outubro de 2014, no circuito de rua da cidade de Sochi, sede dos Jogos Olímpicos de Inverno do próximo ano.