Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Vettel exalta candidatos ao título

19 de Novembro, 2014

Sebastian Vettel venceu com a Red Bull as provas da maior competição mundial de automobilismo de forma consecutiva

Fotografia: AFP

O tetracampeão da F1, Sebastian Vettel, está ciente da perda da coroa  no final da época'2014. O alemão assegurou que Lewis Hamilton e Nico Rosberg merecem o título, quer pelo número de vitórias, quer pela consistência apresentada durante o ano. Vettel lembrou, que apesar dos dez triunfos de Hamilton, Rosberg esteve sempre no pódio, pois adoptou uma estratégia inteligente na luta pelo campeonato.

“Ambos merecem o título. Lewis venceu mais corridas, mas Nico foi mais consistente e também muito inteligente”, disse. O alemão ressaltou a visível diferença de estilos entre os dois concorrentes, mas valorizou o trabalho de ambos em 2014. “São dois tipos de pilotos completamente diferentes, mas ambos fizeram um grande trabalho este ano”, declarou.

O tetracampeão lembrou a primeira conquista, quando chegou à última etapa a lutar com Mark Webber e Fernando Alonso. “Felizmente, os adversários não conseguiram a pontuação que precisavam obter. Fiquei muito surpreso. As grandes apostas eram em Mark e Fernando, já que estatisticamente estavam muito mais próximos das posições que precisavam”, falou.

Sebastian Vettel comparou a situação actual de Nico Rosberg com a sua de 2010. O alemão aconselhou o compatriota a concentrar-se apenas na corrida e na luta pela vitória no Grande Prémio de Abu Dhabi. “Nico vive uma difícil situação similar a que vivi em 2010.

Sabia que a minha única oportunidade de ser campeão era vencer a prova. Estava totalmente concentrado nisso, não queria receber actualizações de como estava a tabela do campeonato, por exemplo”, completou. Lewis Hamilton venceu dez provas na época, tem 334 pontos, enquanto Nico Rosberg facturou cinco etapas, tem 317.

TOTO WOLFF
ELOGIA DUPLA

Lewis Hamilton e Nico Rosberg partem para Abu Dhabi, palco da última etapa de 2014 da F1, separados por 17 pontos. Com 50 pontos em disputa, por conta da regra dos pontos dobrados introduzida neste ano, o alemão ainda tem a oportunidade de virar o jogo. Em vésperas da corrida final, Toto Wolff, director-executivo da Mercedes, declarou que quem quer que perca o título deste ano, vai ter a oportunidade de lutar pelo Mundial no futuro.

“Quando olha para a época, cada piloto teve a sua parcela de altos e baixos e os dois mostraram grande força de carácter para se recuperarem dos reveses”, comentou. Toto Wolff aclarou que vai haver uma “decepção amarga” para um deles e uma “grande alegria” para outro.  “Mesmo que não seja aparente na hora, os dois têm uma longa carreira pela frente e provaram as suas credenciais para os próximos anos”, continuou Wolff.

Wolff deu como exemplo a época de 1984, quando Niki Lauda superou Alain Prost para conquistar o terceiro título e impediu a primeira conquista do francês na F1. “Só tem de olhar para trás, para grandes batalhas como aquela de Lauda e Prost em 1984, para ver o que pode ser conquistado, foi o último título do Niki e Prost foi derrotado na batalha.

Mas depois venceu quatro títulos antes de se aposentar”, citou.  Toto Wollf assegurou que “um piloto top sempre tem a habilidade de construir outra oportunidade”. “Os nossos dois garotos provaram que são simplesmente isso: pilotos top”, defendeu. O alemão concluiu que agora cabe-lhes garantir uma plataforma para que Hamilton e Rosberg terminem o ano “fascinante” com o título na pista.

GP DE ABU DHABI
Felipe Massa e Valtteri Bottas
estão concentrados no top-10

A época 2014 da F1 chega ao fim neste fim de semana, quando os pilotos se reúnem em Yas Marina para o GP de Abu Dhabi. Depois de um ano de recuperação, a Williams ocupa o terceiro lugar do Mundial de Construtores, 44 pontos à frente da Ferrari, a quarta classificada.

A caminho de Abu Dhabi, Felipe Massa destacou as características mistas do traçado de Yas Marina e ressaltou, que vai ser especialmente importante terminar a corrida no top-10, uma vez que a etapa deste fim de semana vale o dobro de pontos.

“A pista é como um circuito de rua, num sector, com curvas lentas e as barreiras bem próximas, e noutro, um circuito tradicional com rectas muito longas e curvas fluídas”, comentou. O brasileiro disse que é importante adaptar o carro às condições mais frias para economizar o tempo, uma vez que vão correr à noite e os treinos vão acontecer no calor do dia.

“Por ser a última corrida da época e com os pontos dobrados, é muito importante terminar a corrida no top-10”, frisou. Companheiro de Felipe Massa, Valtteri Bottas também exaltou a importância da corrida deste fim de semana.
 
Além da posição da Williams entre os Construtores, o finlandês também busca o quarto posto no Mundial de Pilotos. Sexto classificado, Botas tem 156 pontos, três a menos que Vettel, o quarto. Fernando Alonso aparece no meio dos dois, com 157 pontos.

Alonso desvaloriza
classificação final


A classificação final no Mundial de Pilotos não é importante para Fernando Alonso. A meta do espanhol para o Grande Prémio de Abu Dhabi é ajudar a Ferrari na disputa entre os Construtores “Quarto, quinto, não me importo”. Assim está a cabeça de Fernando Alonso com relação à disputa pelos últimos pontos disponíveis no Mundial de Pilotos, no próximo domingo, em Abu Dhabi.

O espanhol disse que vai para os Emirados Árabes Unidos com o objectivo de ajudar a Ferrari a terminar o campeonato deste ano, à frente da McLaren entre os Construtores. Sexto colocado nas três últimas corridas, Alonso ocupa o quinto lugar no Mundial de Pilotos.

O piloto tem 157 pontos e o facto de estar à frente de Valtteri Bottas e Felipe Massa deixa-o orgulhoso, mas essa luta não o anima muito. “Não presto muita atenção”, disse Alonso após o GP do Brasil. Para Abu Dhabi, “o principal objectivo é ajudar a equipa no Mundial de Construtores”.
“Estou feliz onde estou.

Estou atrás de alguns pilotos que merecem mais do que eu, fizeram um trabalho melhor e estou à frente de pilotos que estão à frente de nós, no Mundial de Construtores”, comentou.