Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Vettel lidera a primeira sessão

28 de Fevereiro, 2017

Bottas e Vettel fizeram melhores marcas no início da actividade

Fotografia: AFP

Os testes de pré-temporada da Fórmula 1, finalmente,  iniciaram ontem, em Barcelona, no Circuito da Catalunha, e os pilotos foram para a pista, pela primeira vez, em 2017, para mostrar um pouco do que podem oferecer na competição, ao longo do ano. E, na primeira bateria do dia, Sebastian Vettel e a Ferrari foram os mais rápidos.

Completando 62 voltas durante a sessão, o alemão cravou seu melhor tempo com 1min22s791 fez uso de pneus médios, durante toda a actividade. Estreou-se com a sua Mercedes, Bottas foi o segundo mais rápido, e marcou 1min23s169.

Bottas e Vettel fizeram as melhores marcas no início da actividade, em que o finlandês também corria de pneu médio. A Mercedes mudou a estratégia, e o colocou  pneus macios na pista que ajudou a completar voltas mais rápidas, mas foi o piloto da Ferrari  apresentou mais consistência e terminou na ponta.

Na terceira posição, Sérgio Perez, da Force Índia, marcou 1min23s709. O brasileiro Felipe Massa foi o quarto melhor com a  Williams, anotou 1min25s552. Alonso também chegou a ir para a pista, mas não completou tempo, após problemas no óleo do  carro logo na primeira volta, que o fez regressar às boxes.

As actividades de pré-temporada continuam em mais sessões, em Barcelona, ainda nesta segunda-feira, com pilotos que não participaram da sessão inicial, finalmente indo para a pista, como o actual vice -campeão Lewis Hamilton, da Mercedes.

MASSA QUEBRA MARCA
Felipe Massa calçou a Williams com pneus macios, e superou o melhor tempo da pré-temporada 2016, que foi registado por Kimi Räikkönen, em 1min22s765. Na sua 55ª volta no início desta segunda-feira, o germânico superou o registou do ano passado por 0s038.

Não demorou muito, para a F1 mostrar a evolução dos tempos, com a nova geração de carros. No início da tarde de ontem, em Barcelona, primeiro dia da bateria inicial da pré-temporada 2017, Felipe Massa cravou 1min22s727, e superou o melhor tempo registado nos testes colectivos do ano passado.

 Em 2016, Kimi Räikkönen foi o responsável por cravar a melhor marca da pré-temporada, em Barcelona. Ao usar pneus ultramacios, o finlandês registou 1min22s765,  como o tempo mais rápido dos testes colectivos.

Entretanto, superou o registo do ano anterior, com os calçados macios. Quarto colocado nesta manhã, Felipe entrou na pista depois da pausa para o almoço, calçou pneus macios e superou o melhor tempo da pré-temporada 2016, por 0s038 em sua 55ª volta nesta segunda.

Entretanto,a Williams, finalmente, anunciou de maneira oficial o carro que vai usar nas pistas da Fórmula 1, na nova temporada. O FW40, a ser usado por Felipe Massa e Lance Stroll, teve mais imagens e informações divulgadas, no mesmo esquema de cores, visto em modelos de anos anteriores, porém, com alterações no seu design.

Entre as mudanças, é ressaltada a inclusão de uma carroçaria mais larga, as asas dianteiras e traseiras mais largas, e pneus mais grossos. Os atributos, segundo a equipa, permitem um ataque mais rápido nos cantos da pista, e ainda a diminuição da distância para a travagem.

A exemplo de outras equipas, a Williams tenta adaptar-se ao novo regulamento da Fórmula 1, em 2017, que vai exigir mais do piloto, fisicamente. O remodelamento na largura de pneus e asas, são tendência nas esquipas para a nova temporada.

Nova temporada
Kevin Magnussen sofre primeiro acidente


Kevin Magnussen travou na curva 10 de Barcelona, o suficiente para rodar e raspar o muro. O incidente acabou por forçar a Haas, a encerrar a sessão matinal com 15 voltas concluídas.

Kevin Magnussen teve o privilégio duvidoso, de sofrer o primeiro acidente da pré-temporada , da F1. Ontem, o dinamarquês travou os pneus, perdeu controlo e raspou num dos muros de protecção de Barcelona. Foi suficiente para comprometer as actividades da Haas, que só deu 15 voltas no turno da manhã.

O carro de Magnussen não ficou tão danificado – tudo que aconteceu foi danificar a asa dianteira, depois de rodar. Mesmo assim, a Haas recolheu o VF-17 para reavaliar as configurações do travão.

  “Na curva 10, eu travei os pneus traseiros, travei completamente, foi que nem puxar o travão de mão num carro de rua”, descreveu Magnussen, em entrevista acompanhada pelo GRANDE PRÉMIO.

“Perdi a traseira, rodei e raspei no muro. A asa dianteira ficou danificada. Não foi nada dramático, só uma questão de balancear os freios. Aprendemos algo nesta manhã.

Tive sorte de não sofrer nenhum outro dano”, seguiu.Mesmo com poucas voltas dadas – enquanto Magnussen completou 15, Valtteri Bottas conseguiu 79 –, Kevin não se abala. O dinamarquês vê o contratempo como normal.

\"Conseguimos dar algumas voltas, não tantas quanto planejávamos. Mas isso é esperado, você planeia que as coisas dêem certo, mas sempre se espera por alguns problemas. Agora, quero voltar de tarde e extrair mais coisas do carro”, disse.

 A boa notícia, é  o pouco tempo de pista, que foi suficiente para ter alguma noção  do  funcionamento dos novos carros da F1.
  “A sensação é diferente, nas curvas de alta velocidade existe muita aderência, é um carro estável. Mas eu, ainda quero dar mais voltas com o carro, para ter uma sensação melhor”, finalizou.