Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Vettel pensa encerrar carreira na Ferrari

20 de Fevereiro, 2016

Tetracampeão pela Red Bull competiu uma temporada na equipa italiana

Fotografia: AFP

Aos 28 anos de idade, o alemão Sebastian Vettel quer continuar na equipa da Ferrari até o fim da sua carreira, na Fórmula 1.  O tetracampeão mundial da categoria pela Red Bull  competiu apenas uma temporada na equipa italiana, mas tem ligação afectiva à formação,  por causa do sucesso do seu ídolo Michael Schumacher.

“Eu não sou uma pessoa que precisa de mudar de equipa de um ano para outro.

Isso não é algo que eu faça em outra área da vida. No momento, sinto-me muito confortável e temos um grande objectivo comum a atingir”, disse Vettel. Questionado se podia encerrar a carreira na equipa, respondeu: “Talvez”.

O alemão participou do Mundial de 2015 pela Ferrari e encerrou a temporada na terceira posição, com 278 pontos, 103 a menos do que o bicampeão Lewis Hamilton. As boas actuações do alemão, no entanto, fizeram a rivalidade com o britânico crescer e criaram a expectativa de uma boa luta pelo título em 2016.

O alemão venceu três corridas na temporada passada e subiu ao pódio em outras dez oportunidades, uma grande melhoria para a Ferrari que não triunfou em nenhuma corrida de 2014.

“Eu nunca sonhei que minha primeira temporada com a Ferrari fosse  tão boa. A dedicação, a paixão, o entusiasmo e a fascinação de cada funcionário...mas também os fãs e a marca...

A Ferrari é simplesmente um mito”, disse

FORCE INDIA
CONFIRMA
LANÇAMENTO
DO CARRO

A Force India que é a equipa que integra o mexicano Sérgio Perez e o alemão Niko Hulkenberg, confirmou na quarta-feira que vai apresentar o seu carro no dia 22 de Fevereiro.  A equipa vai contar com o motor Mercedes.

O evento vai ocorrer durante o primeiro dia de testes pré-temporada , em Barcelona, com as estreantes Haas e Manor, com motores Ferrari e Mercedes, respectivamente.

Além das três equipas, Toro Rosso (motor Ferrari) também vai apresentar o seu carro em Barcelona, no dia 29, e a Sauber (Ferrari), do brasileiro Felipe Nasr por enquanto, é a última a apresentar o seu carro, no dia 1 de Março, também em Barcelona. Ferrari e McLaren (motor Honda) vão apresentar os seus carros online, no dia 21, respectivamente.

 A Renault foi a primeira a revelar o modelo 2016 no dia 3 de Fevereiro, num evento na cidade de Paris deixando em aberto possíveis mudanças para a estreia dos treinos.  Já a Red Bull (TAG Hauer) deve anunciar o layout da sua máquina em Londres nesta quarta-feira e apresentar ligeiras mudanças de cor após mudança de patrocinador.

A Williams, equipa de Felipe Massa, e a Mercedes, actual campeã da Fórmula 1, ainda não anunciaram as datas de lançamento dos seus novos carros.
A pré-temporada de treinos em Barcelona acaba no dia 4 de Março e a primeira etapa da temporada vai ser o GP de Melbourne- Austrália, no dia 20 de Março.


Crença
Honda e McLaren auguram melhor temporada


A McLaren prepara-se para o início de uma nova temporada na Fórmula 1. Após  péssima campanha no ano passado, quando Fernando Alonso e Jenson Button não apareceram nas primeiras posições da grelha, a equipa inglesa espera que o trabalho conjunto com a Honda dê resultados melhores em 2016.

Tanto a McLaren quanto a Honda perceberam que a melhor saída para uma evolução, era trabalhar em conjunto e é justamente isso que está a ser feito neste ano, quase na véspera dos primeiros testes de pré-temporada, ao contrário do ano passado quando não uniram forças como deviam.

“Nessa fase tivemos um monte de reuniões, avaliamos todo o programa e reforçamos de imediato desde Jerez e em particular do teste final em Barcelona, a cooperação entre McLaren e Honda. Foi redigido um contrato, mas deixamos claro que iríamos ficar ainda mais juntos, e chegando ao final dos testes melhoramos essa cooperação. Entendemos que o plano para a temporada era trabalhar juntos e é isso que estamos a fazer basicamente”, disse o director de corridas da McLaren, Eric Boullier.

Já o chefe da Honda, Yasuhisa Arai, justificou o mau desempenho da McLaren na temporada passada pela falta de experiência da fornecedora japonesa de motores na actual Fórmula 1. Depois de ficar sete anos fora da principal categoria do automobilismo,  acredita que os profissionais estão mais prontos para esta temporada.

“Nós não tínhamos experiência suficiente na Fórmula 1 actual. Tínhamos experiência de outras eras, mas depois de 2008 deixamos a categoria, e a parte tecnológica mudou drasticamente. Sem experiência durante esses sete anos nos deixou-nos para trás”, comentou.


Decisão
Testes de Silverstone abertos ao público


Os fãs da Fórmula 1 podem acompanhar das bancadas os dois dias de testes colectivos que vão ocorrer no circuito de Silverstone, na Inglaterra. As sessões programadas para 12 e 13 de Julho, logo após o Grande Prémio da Inglaterra, vão estar abertas ao público.

A temporada de 2016 da Fórmula 1 vai ter dois conjuntos de testes colectivos, depois dos GPs de Espanha e de Inglaterra. Os treinos de Silverstone vão ser as últimas oportunidades  das equipas avaliarem os seus carros, já que as sessões de Barcelona estão programadas para 17 e 18 de Maio.

O Mundial de Fórmula 1 de 2016 tem início a 20 de Março, com o GP da Austrália. Antes, as equipas participam de dois conjuntos de testes de pré-temporada, ambos em Barcelona. O primeiro está marcado entre 22 e 25 de Fevereiro. O segundo, de 01 a 04 de Março.


Saída da Ferrari
“Fernando Alonso
estava desmotivado”


Em entrevista à revista britânica Motor Sport, Luca di Montezemolo, ex-presidente da Scuderia Ferrari falou sobre a saída do espanhol Fernando Alonso da equipa em 2014 e que o considera o melhor piloto do mundo em corridas.

"Tive a sensação que Fernando tinha em mente que não poderia ganhar com a Ferrari e que se estivesse na Mercedes, poderia ganhar com uma mão. Isso era decepcionante para todos.", confessou Luca.

Alonso foi três vezes vice -campeão do mundo pela equipa italiana e saiu em meio com discursos de desmotivação por não ter repetido os resultados pela Renault, quando foi bicampeão.

"Acredito que Alonso é claramente o melhor piloto do mundo hoje, em questão de corrida. Talvez não na classificação, pois acho que Hamilton e Vettel são mais rápidos. Fernando na corrida em geral é incrível, uma máquina, mas faltava motivação para a equipa e isso fez-me pensar que precisávamos para o futuro", explicou.

Montezemolo ainda disse que a escolha de Sebastian Vettel para substituir Alonso era estudada,  antes do primeiro dos quatro títulos do alemão, indicado pelo penta-campeão Michael Schumacher.

Após defender a equipa italiana por cinco anos, Alonso correu pela McLaren na temporada de 2015 ao lado do também campeão mundial Jenson Button. Os dois obtiveram resultados pífios com apenas 27 pontos (11 de Alonso) para a equipa inglesa.


Reforço
Manor anuncia
piloto da Indonésia


A Manor anunciou ontem o seu segundo piloto para a temporada 2016 da Fórmula 1. Trata-se de Rio Haryanto que é o primeiro piloto da Indonésia a chegar à categoria máxima do automobilismo mundial.

Haryianto vai fazer dupla com o alemão Pascal Wehrlein, já anunciado pela equipa. Entre 2012 e 2015, o novo piloto da Manor competiu na GP2, com resultados discretos - foram três vitórias em quatro anos, todas na última temporada.

A equipa era a única que dispunha de lugares para a temporada 2016 da Fórmula 1. Com os anúncios de Wehrlein e Haryanto, todas as equipas da F1 já têm duplas definidas para a temporada.

"Rio tem corrido desde que sentou-se num kart aos seis anos de idade. Ele é tenaz, dentro e fora das pistas, e deixou uma óptima impressão na última temporada da GP2. A grande atenção que Rio tem na Indonésia, é óptima para a equipa, e para a Fórmula 1. Eles estão atentos para vê-lo na grelha de partida, e estamos optimistas que o vamos ver em empolgantes batalhas no próximo ano", destacou Stephen Fitzpatrick, proprietário da Manor.

O próprio piloto comemorou o acerto com a Manor. Nomes como Alexander Rossi (EUA), Roberto Merhi (Espanha) e Will Stevens (Inglaterra) também disputavam o lugar.

"A Manor é uma equipa com visão empolgante e planos ambiciosos. Ela conseguiu um grande pacote,  mal posso esperar para estar no carro. Melbourne (palco do GP da Austrália que abre a temporada) vai ser um grande momento para mim, para o meu país, para meus fãs. Quero agradecer a todos que estão comigo desde que comecei nos monopostos; 2016 é a minha chance de retribuir a confiança e representar a Ásia na F1", disse o piloto.