Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Vettel triunfa na Coreia e fica mais perto do título

07 de Outubro, 2013

Sebastian Vettel tem muitas hipóteses de ser campeão na prova do Japão caso vença e Alonso fique aquém da nona posição

Fotografia: AFP

Sebastian Vettel (Red Bull-Renault) deu mais um passo importante para a conquista do título mundial de Fórmula-1, ao vencer na madrugada de ontem em Yeongam, o Grande Prémio da Coreia do Sul. Esta foi a oitava vitória do piloto no ano e a quarta consecutiva para o tricampeão do mundo, que passou a ter agora 77 pontos de vantagem sobre Fernando Alonso (Ferrari), no Mundial de Pilotos.

Se o triunfo não contou com grandes emoções, a prova teve vários precalços, como problemas nos pneus e fogo no carro de Mark Webber. Vettel largou na “pole position” e manteve a primeira posição de forma tranquila desde a largada. Romain Grosjean, Lewis Hamilton, Mark Webber, Kimi Rakkonen, Fernando Alonso e Nico Rosberg lutavam volta a volta para formar o pódio.

 Raikkonen terminou na segunda posição, enquanto Grosjean foi o terceiro, garantiu assim presença dupla da Lotus. Vettel tem muitas hipóteses de ser campeão já na próxima prova no Japão, caso vença e Alonso não vá além da nona posição. O alemão chegou a 272 pontos, enquanto o espanhol tem 195 no segundo lugar do campeonato. 

Alonso teve problemas com os pneus. O bicampeão mundial terminou o Grande Prémio na sexta posição e ainda tem esperanças de lutar pelo título.
A prova teve um início confuso. Enquanto Vettel aproveitou a largada para manter e ampliar a sua primeira posição, nas posições seguintes houve confusão, criada por Massa, que afectou outros pilotos, casos de Jenson Button e Adrian Sutil, que precisaram de ir às boxes para repararem os seus carros.

Grosjean, que largou na segunda fila, assumiu a segunda posição, deixou Hamilton para trás, preocupado com as investidas do britânico para retomar a posição.
Os pneus foram a atracção da prova, uma vez que o desgaste exagerado prejudicou pilotos e causou instabilidade na pista. Um dos que mais sofreu com isso foi Fernando Alonso, que reclamou dos pneus durante os treinos e viu o seu rendimento ser bastante prejudicado na corrida.

Na 32ª volta, Sérgio Perez viu o seu pneu dianteiro direito rebentar, o que provocou a presença de pedaços de borracha na pista e a entrada do”safety ca”. O carro de segurança permaneceu no circuito r cinco voltas e quando saiu Mark Webber teve de abandonar. O australiano recebeu um toque de Sutil, foi atirado para fora da pista e viu a sua Red Bull pegar fogo.

A fumaça provocada devido ao incêndio no carro de Webber provocou nova entrada do “safety car”. No momento em que o carro de segurança saiu, Raikkonen já tinha assumido a segunda posição e tentava pressionar Vettel na luta pela primeira posição. O alemão voltou a ter vantagem e confirmou a sua oitava vitória.


PRÓXIMA ÉPOCA
McLaren promete êxitos em 2014


A McLaren pode estar a encaminhar-se para a sua primeira temporada sem uma vitória desde 2006, mas movimenta-se nos bastidores para atrair talentos e técnicos de primeira que ajudem a equipa a voltar ao topo no ano que vem.

Martin Whitmarsh, o chefe de equipa, disse aos repórteres no Grande Prémio da Coreia do Sul, em que Jenson Button e Sérgio Pérez ficaram fora das dez primeiras posições da grelha de largada pela segunda vez no ano, que alguns grandes nomes vão ser anunciados.

 “Estamos a recrutar gente para a equipa técnica, para reforçar essa vertente. Este ano surgiram vários iniciados, alguns ainda não anunciados e que vão fazer manchetes quando o forem. Estão a acontecer muitas coisas. Temos de nos ver como uma equipa, desde a alta administração até   ao nosso pessoal técnico, para voltarmos a vencer tão rápido quando possível.”

A McLaren é a segunda equipa mais bem sucedida da história da Fórmula-1, com oito títulos de construtores e 12 de pilotos. Mas não foi além da quinta posição nesta temporada e já dirige as suas atenções para o carro de 2014, quando as regras mudarem consideravelmente e um novo motor V6 com sistemas de recuperação de energia for introduzido. A McLaren perdeu o director técnico Paddy Lowe para a Mercedes no início da actual campanha, quando o britânico acompanhou Lewis Hamilton, mas recrutou Matt Morris, da Sauber como director de engenharia.

POLÉMICA
Pneus Pirelli alvo de críticas


A Pirelli rebateu as declarações de Fernando Alonso depois do bicampeão do mundo ter criticado os pneus da marca. Após a qualificação de sábado, Fernando Alonso disse aos jornalistas que os pilotos não foram capazes de melhorar os tempos para aproveitar o máximo da potência devido aos pneus, que os críticos dizem ser frágeis.

Ontem no GP da Coreia do Sul, os pneus foram a atracção da prova, uma vez que o desgaste exagerado prejudicou pilotos e causou instabilidade na pista. Quem mais sofreu com o problema foi Fernando Alonso.

Paul Hembery, director da Pirelli para os desportos motorizados, disse que Alonso é um dos grandes pilotos de Fórmula-1 e que ouvir tais comentários da sua parte foi decepcionante e abaixo do que se espera de um campeão.

“Eu só posso sugerir que ele vá perguntar ao quase quatro vezes campeão Sebastian Vettel como obteve melhores resultados com os mesmos pneus”, disse Paul Hembery.

A Pirelli mudou o desenho dos seus pneumáticos após uma série de problemas no Grande Prémio de Inglaterra, em Junho, depois dos pilotos terem ameaçado boicotar o Grande Prémio da Alemanha se o problema não fosse resolvido.

FÓRMULA 1
Grosjean admite erro no GP da Coreia


A Lotus conseguiu pôr os seus dois pilotos no pódio do Grande Prémio da Coreia do Sul, na madrugada de ontem, mas também foi alvo de uma polémica na prova. Atrás apenas do vencedor Sebastian Vettel, o finlandês Kimi Raikkonen deixou para trás o companheiro francês Romain Grosjean, que não reagiu à ultrapassagem, para ficar na segunda posição.

No final da corrida, o terceiro colocado Grosjean discutiu pelo rádio com a sua equipa e chegou a ouvir a ordem de manter “um grande sorriso” no pódio. “Não ouço a maioria das conversas de rádio”, desconversou o francês depois, garantindo que a ultrapassagem feita por Raikkonen ocorreu por sua culpa.
“Cometi um pequeno erro, e o Kimi passou-me. Infelizmente para mim e felizmente para ele, o safety car apareceu. Com as bandeiras amarelas, não pude usar a asa móvel”, lamentou Grosjean.