Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Vitria sofrida garante qualificao antecipada

Silva Cacuti - 18 de Janeiro, 2020

Fotografia: Dr

Os líbios começaram melhor a partida e conseguiram logo nos primeiros ataques dois golos, mas os Guerreiros reagiram e chegaram à igualdade com duas jogadas de contra-ataques letais concretizadas por Feliciano Couveiro. Numa partida, na qual as defesas estiveram em grande plano, aos doze minutos, as duas equipas estavam igualadas a três golos. 
Os Guerreiros conseguiram desfazer-se dos empates aos 19 minutos, quando passaram a liderar o marcador por 5-4, para no minuto seguinte ampliar para mais um. 
Mas, o \"taco a taco\" manteve-se até ao intervalo, embora o \"sete\" nacional tenha conseguido conservar a vantagem de dois a um golo em diversas fases desta etapa da partida. No final da primeira metade, o resultado registava 8-6 a favor de Angola, o que espelha o equilíbrio na contenda. 
No reatamento, os angolanos voltaram a evidenciar alguma falta de concentração ofensiva, o que permitiu aos líbios voltarem a estabelecer a igualdade a doze golos, quando estavam decorridos 40 minutos. Até aos 44 minutos, persistia a igualdade, mas a 14 golos, e passados 120 segundos, os Guerreiros passaram novamente à frente do marcador, 15-16, e encetou a fuga para cinco tentos de diferença aos 51 minutos. 
Tal como na partida frente à Nigéria, o sete nacional voltou a registar um apagão na concentração ofensiva, perdeu ataques sucessivos e cometeu faltas punidas com dois nminutos. As exclusões de atletas nacionais foi bem aproveitada pelos líbios e aproximaram-se a um golo de diferença, quando faltava um minuto para o término da partida. Para piorar a situação e desespero de Nelson Catito, dois jogadores influentes na manobra da equipa foram expulsos: Gabriel Teka e Manuel Nascimento. 
Apesar de jogarem com menos dois atletas nos derradeiros instantes, os Guerreiros souberam segurar a magra vantagem e saíram sorridentes. Alguns jogadores líbios estiveram em prantos, pois pretendiam no mínimo empatar a partida. 
Maneco Adilson, autor de três golos, foi eleito o homem do jogo, tal como tinha já sido o capitão Geovanny Muachissengue na partida inaugural.

Soubak lidera Pérolas

A Federação Angolana de Andebol (FAAND) mantém Morten Soubak no comando da selecção nacional sénior feminina, também conhecidas de Pérolas, até os Jogos Olímpicos de Tóquio\'2020, independentemente da posição que o treinador exerça dentro do seu clube, informou Zeca Venâncio, vice-presidente da FAAND.
O treinador dinamarquês, campeão nacional pelo 1º de Agosto, viu alteradas as suas funções no clube, onde deixou a equipa principal para coordenar os escalões de formação.
\"A mudança de funções não altera nada, a menos que o clube nos notifique da indisponibilidade do treinador. 
Temos o treinador para o ciclo olímpico e a ligação do treinador à selecção nacional só termina depois dos Jogos Olímpicos. Sempre que o clube nos diga sim e entregue o treinador, não temos qualquer problema\", disse.
Para o lugar de Morten Soubak na equipa militar, o 1º de Agosto nomeou Nelson Catito, que actualmente comanda a selecção nacional masculina no Campeonato Africano da Tunísia. 
O Jornal dos Desportos tentou contactar, sem sucesso, Amílcar Aguiar, responsável pelo andebol no clube 1º de Agosto, afecto às Forças Armadas Angolanas, para clarificar as coisas em relação à situação dos adjuntos de Soubak. Pretende-se saber se mantêm os lugares no consulado de Catito ou se vão também trabalhar para as camadas de formação.No seu regresso ao país, Nelson Catito deve anunciar a constituição da equipa técnica. Manucho, antigo jogador do 1º de Agosto, que o coadjuva na selecção masculina, é forte candidato à posição de adjunto.  
A equipa iniciou ontem os trabalhos para a nova época desportiva no pavilhão Paulo Bunze. O plantel trabalha provisoriamente sob batuta do treinador espanhol Ramon e dos preparadores físicos Fábio e Ramon.É o regresso de Nelson Damião Catito a um lugar que conhece bem. Trabalhou como adjunto de Paulo Pereira durante três épocas, nas quais conquistou o primeiro campeonato nacional da equipa sénior e venceu também dois campeonatos provinciais. 
Já foi adjunto da selecção masculina, a auxiliar Beto Ferreira.Em 2017, Nelson Catito fez da Marinha de Guerra a equipa revelação e conquistou o campeonato provincial em 2018 num trabalho de continuidade. 
Em 2019, com a criação da segunda equipa sénior feminina (B), o treinador angolano abraçou o desafio de orientar e acrescentar valores à nova equipa do clube militar e classificou-se no 3º lugar.O técnico tem títulos e participações em campeonatos africanos nas selecções mais jovens. Nelson Catito é licenciado em Psicologia, Bacharel em Educação Física e Desporto. Tem também várias equivalências como o curso de nível III em andebol feito na cidade de Porto, Portugal. 

José Nóbrega ambiciona vencer todos os jogos 

José Nóbrega, técnico adjunto de Nelson Catito no comando dos Guerreiros, felicitou a equipa adversária pelas dificuldades impostas aos seus pupilos na conferência de imprensa. O gesto valoriza o triunfo. 
\"Foi um jogo complicado, mas acabámos por vencer. A nossa meta neste campeonato é vencer todos os jogos. A nossa equipa teve muitas dificuldades, mas o que importa é vencer jogo a jogo para cumprirmos os nossos objectivos\", disse. 
Questionado por um jornalista líbio, se Angola não facilitaria a vida aos gaboneses no jogo de amanhã, Nobrega disse: \"O Gabão é um pais irmão, mas estamos aqui para competir. Irmão, irmão, mas trabalho é trabalho. Estamos aqui para sermos o primeiro do grupo e queremos ganhar o próximo jogo e os restantes\", disse. 
Por seu turno, Deklerk Sibo, atleta que assume o papela de tradutor, também felicitou a Líbia pelo excelente desempenho. 
\"Felicito a equipa adversária pela excelente atitude de recuperação de uma desvantagem de cinco golos para um na ponta final do desafio\", disse. O atletas sublinhou que \"a meta é a conquista deste campeonato africano, pelo que o grupo está concentrado e quer ganhar todos os jogos\". O técnico líbio, Altoushi Shukri, atribuiu culpas aos árbitros, mas também reconheceu que a sua equipa não teve a frieza necessária nos momentos cruciais.
\"Os árbitros não facilitaram a nossa tarefa. Temos de felicitar Angola pelo excelente jogo e a vitória. Perdemos, mas acreditamos que ainda podemos garantir a qualificação à outra fase\", teceu.