Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Voleibol e Basquetebol entre as prioridades do Sporting do Lubango

Gaudncio Hamelay |no Lubango - 05 de Fevereiro, 2018

Voleibol do Sporting da Hula a mascote da agremiao

Fotografia: Jos Soares| Edies Novembro

O voleibol e o basquetebol estão na \"pole position\" das prioridades do Sporting Clube do Lubango para a época 2018. Os resultados positivos obtidos nas provas nacionais em 2017 alteraram a estratégia de gestão das actividades desportivas da agremiação huilana. O voleibol chamou a si o título de \"rainha\" na grelha de modalidades movimentadas.
Dos sete desportos praticados no clube, o voleibol é o único com a categoria de seniores. No ano passado, disputou a final do campeonato nacional feminino com o 1º de Agosto e subiu ao segundo lugar do pódio. A boa prestação deixou encantado a direcção dos leões de Lubango.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o presidente de direcção, Rui Humberto Teles, assegurou que o clube delineou um projecto mais ambicioso para as duas classes do voleibol: aumento da altura. A equipa feminina perdeu para o 1º de Agosto por falta de altura. As meninas eram baixas e não conseguiram bloquear os ataques das militares.
A nova estratégia consiste em inserir meninas com altura acima de 1,75m. Os treinos começaram a 20 de Janeiro com a inclusão de quatro reforços. A direcção está satisfeita com a integração de rostos que vão assegurar o equilíbrio com as equipas locais e da região.
\"A qualidade técnica da nossa equipa já é a desejada para ombrear com as grandes equipas do país. Reconhecemos que estamos um pouco abaixo das equipas de Luanda, mas serve para equilibrar com as da região, mormente, as de Namibe\", disse.
Lembrou que o Atlético do Namibe foi campeão nacional em júnior feminino, uma equipa que já perdeu com o Sporting do Lubango. A equipa huilana não esteve presente na prova que consagrou as novas campeães nacionais. As atletas que haviam levantado o troféu na época anterior (2016) ascenderam ao escalão sénior e as actuais integrantes apresentam deficiências técnicas não recomendadas para a competição.
Outra razão da ausência em Luanda, está ligada à questão financeira para custear as despesas de transportes e de alojamento. Para Rui Humberto Teles são \"onerosas\".
\"É mais fácil numa das províncias. O alojamento é gratuito e os custos limitam-se à deslocação e à alimentação. Isso facilita a participação dos clubes\", disse.

BASQUETEBOL
O Sporting Clube do Lubango atravessa dificuldades financeiras para relançar e desenvolver o basquetebol. Contudo, a direcção de Rui Humberto Teles elaborou um \"grande projecto\" de massificação nos escalões de iniciados e juvenis. Mais de 60 praticantes, dos quais 30 do sector feminino, aprendem o ABC nas escolas do clube.
\"Decidimos relançar o basquetebol na província da Huíla face à letargia. Dois treinadores estão entrosados no processo de massificação e estamos satisfeitos com o trabalho\", manifestou.
A estreia da nova equipa nos campeonatos nacionais das categorias pode acontecer ainda no decorrer do presente ano desportivo. A garantia da ascensão dos atletas depende da questão financeira. Rui Humberto Teles assegurou que \"se houver um patrocínio, vamos continuar a desenvolver o basquetebol. Tudo depende do que o futuro reserva ao clube\".

ANDEBOL

A conquista do título provincial de andebol nos escalões de cadetes impulsionou a direcção do Sporting Clube do Lubango. Rui Humberto Teles garantiu que também vão apostar com \"mais intensidade\" ao desporto.

NA HUíLA
Leões congregam maior número de atletas


O Sporting Clube do Lubango é a agremiação que movimenta maior número de desportos e de praticantes na província da Huíla. Actualmente, afirma-se como um grande impulsionador na massificação desportiva. A agremiação conta com 450 praticantes, em ambos os sexos, distribuídos no ténis, ténis de mesa, ginástica, basquetebol, xadrez, andebol, capoeira, voleibol, karaté (shotokan e taekwondó) e futebol.
“Mesmo com as dificuldades económicas e financeiras, somos o clube na Huíla com mais desportos e maior número de praticantes\", confirmou Rui Humberto Teles.
A falta de apoios e de mais patrocinadores constituem o maior empecilho para o grémio. Contudo, hoje, dentro das possibilidades, Rui Humberto Teles garantiu ser o baluarte do clube.
“Vamos esperar que o país esteja desafogado da crise e os patrocinadores consigam ajudar-nos um pouco mais para investirmos e fazer desses desportos o baluarte do Sporting Clube do Lubango”, afirmou.
Ressaltou que, recentemente, o Sporting do Lubango participou do campeonato nacional de ténis de mesa com dois atletas e um conquistou a terceira posição. A medalha de bronze \"é bastante gratificante face a inúmeras dificuldades\", segundo o presidente.
Das dez modalidades praticadas, o karaté e o taekwondó, embora não desenvolvido com carácter competitivo,  apostam na formação de crianças.
O futebol é praticado nos escalões de Sub-13, Sub-15 e Sub-17. As duas primeiras participaram de provas no ano passado e a última perspectiva-se a transição para os escalões de Sub-20.
“No futebol, vamos manter os quatro escalões. Tudo depende das dificuldades. Sem dinheiro não se faz desporto. Temos apenas um patrocinador, a Auto-Peças, que nos ajuda. As outras fontes de receitas provêm das nossas instalações arrendadas”, rematou.

  INFRA-ESTRUTURA
Único pavilhão acolhe desportos de sala


Os desportos de sala praticados no Sporting Clube do Lubango desenvolvem-se num único espaço. O pavilhão dos leões alberga as sessões de treinamento das classes de massificação de basquetebol, andebol, voleibol, ténis de mesa, xadrez, ginástica e capoeira.
A carga de treinamento obedece a um horário definido nos três períodos do dia: manhã, tarde e noite. Cada escalão tem a planificação do tempo para os treinadores trabalharem nos diferentes aspectos. O pavilhão não alberga os jogos oficiais das Associações provinciais.
\"Gerimos da melhor maneira o nosso património\", disse Rui Teles. Além do pavilhão, a direcção tem a pretensão de melhorar as condições de balneário do campo pelado de futebol ainda este ano. A decisão resulta depois de ver gorada a reabilitação do mesmo espaço pelas entidades governamentais no ano passado.
O projecto contemplava a relva sintética e vedação do recinto. A sede social do Sporting Clube do Lubango é um edifício que comporta um pavilhão, áreas administrativas e centro social. O clube é a 45ª filial do Sporting Clube de Portugal e foi fundado a 29 de Julho de 1971.

 Rui Teles quer
mais patrocinadores


Para acudir o cofre do Sporting Clube do Lubango, a direcção de Rui Humberto Teles projecta o angariamento de maior número de patrocinadores no ano corrente. A luta visa encontrar mais parceiros para desanuviar a pressão da Auto-Peças, a única patrocinadora do clube.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o dirigente realçou que \"é uma preocupação\" encontrar pessoas de boa-fé a fim de ajudarem o Sporting Clube do Lubango.
\"Apresentámos o nosso projecto a potenciais patrocinadores do clube, mas nesse momento é difícil alguém se prontificar a apoiar o desporto por causa de dificuldades. Mandaram-nos aguardar por dias melhores\", revelou.
Diante de constrangimentos financeiros, a direcção de Rui Humberto Teles pede a compreensão aos treinadores e aos atletas para que o clube não pare de funcionar.
\"O possível dos treinadores e dos atletas tem sido bom. Conseguimos vários títulos. Fomos campeões provinciais no futebol de Sub-15, vice-campeões nacionais de voleibol feminino, campeões provinciais em andebol, campeões provinciais, nacionais e internacionais em ginástica, bem como em ténis de mesa\", enumerou.
O dirigente sustenta que \"se houvesse a injecção de mais dinheiro, o clube poderia fazer o melhor, pois os resultados positivos retratam o trabalho do grupo\".  
      GAUDÊNCIO HAMELAY |  LUBANGO