Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Volta s Terras do Caf apresentada amanh em Luanda

09 de Maio, 2017

Dificuldades financeiras afastam ciclistas estrangeiros da prova

Fotografia: Jornal dos Desportos

De acordo com o técnico nacional, Carlos Araújo, um dos principais mentores da iniciativa que  enriquece o calendário nacional de competições, nos últimos dez anos,  conta ainda com apoio da Federação Angolana de Ciclismo, Associação Provincial de Ciclismo de Luanda, Instituto Angolano do combate ao Câncer (IACCC), Liga Angolana contra o Cancro( LACC),  Centro de Oncologia, outras Associações ligadas à luta contra o cancro, em Angola, e outros patrocinadores.

 A vinda de uma selecção de ciclistas da RDC e de São Tomé e Príncipe, como estava inicialmente previsto, foi posta de parte devido a factores de ordem financeira, que assolam quase todas as organizações de eventos.

“ A vinda de duas equipas estrangeiras, para darem outro colorido competitivo às etapas da volta às terras do Café, de 2017, como aconteceu em 2016, com a participação do campeão nacional de São Tomé e Príncipe, não foi possível assegurar, devido as despesas de restauração (alojamento e alimentação e outras) que o compromisso não pode  assegurar devido aos parcos apoios, que temos neste momento”, disse ainda o técnico Carlos Araújo, que neste momento anda ainda atrás de um patrocinador que suporte os ciclistas resultantes da extinção do departamento de Ciclismo do Sport Luanda e Benfica.

Para Carlos Araújo ,“ o ciclismo  sempre marcou posição de relevo nas hostes dos familiares dos ciclistas luandenses, terminado o vínculo com o Benfica de Luanda em 31/12/2016, fomos forçados  a procurar outros parceiros, apoiantes e patrocinadores, o que não está fácil”, desabafou o técnico mais credenciado do ciclismo nacional e não só.

À nossa reportagem, Carlos Araújo assegurou ainda , “à semelhança das duas anteriores edições ( 2015/2016), a prova  por se disputar e em vésperas do Campeonato Nacional de Ciclismo de Estrada de Angola, este ano antecipado para a segunda quinzena de Junho, em Luanda, é o principal “ balão de ensaio” para o evento mais importante, organizado anualmente pela Federação Angolana de Ciclismo (FACI),  passa por quatro províncias (Cuanza - Norte, Uíge, Bengo e Luanda).

Estão inscrito para a prova, além dos 22 ciclistas do Misto de Luanda ( ex - ciclistas do Benfica de Luanda), a equipa da Rádio Vial com quatro e a equipa da Associação dos Cicloturistas (ACT), com seis(06).

PROVA INICIA
NO CUANZA NORTE

Mesmo sem ciclistas estrangeiros, a IV edição da Volta às terras do Café, acontece de 13 a 21 deste mês, com a disputa de oito (8) etapas, com o seguinte figurino:  

I ETAPA(13.05) de 92 Kms, com partida na Administração do Dondo às 13:30 h, com previsão de chegada a N´dalatando às 16:00h; II ETAPA (14.05) de 131,4 Kms, partida na Administração Municipal de Samba Cajú, às 12:00h, previsão de chegada no Negage às 15: 15 h; III ETAPA (15.05) de 110 Kms, partida na Administração de Sanza Pombo às 12:00 h, previsão de chegada no Negage as 15:30h; IV ETAPA( 16.05), contrarrelógio por-equipa de 50 Kms , partida na igreja do Puri às 11h00 e previsão de chegada no desvido Negage/Uige às 12:30h; V ETAPA ( 17.05) de 152 Kms, partida na Administração do Negage às 09:00h, previsão de chegada às 13:00h, na Administração da Damba.