Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Wada suspende laboratório

26 de Junho, 2016

Wada decide se suspende ou revoga a credencial

Fotografia: AFP

A Agência Mundial Antidoping (Wada) anunciou a suspensão provisória do Laboratório de Controle de Dopagem Brasileiro (LBCD). A decisão foi tomada na sexta-feira  dia 24,  proíbe qualquer análise de urinas e sangue. O LBDC pode recorrer ao Tribunal Arbitral do Desporto, tem o prazo de 21 dias, após a notificação.

A nota explica que sempre que um laboratório não cumpre os padrões exigidos pela Norma Internacional de Laboratórios (ISL), a Wada decide se suspende ou revoga a credencial.

O director da Wada, Olivier Niggli, afirmou numa nota: "Neste meio tempo, a WADA vai trabalhar próximo ao laboratório do Rio para resolver a questão identificada. A agência vai assegurar que as amostras que seriam enviadas para o laboratório serão transportadas segura e prontamente numa cadeia de custódia de outro laboratório credenciado pela Wada, no mundo. Isso, vai assegurar que não há falhas nos procedimentos de análise de amostras antidoping, e que a integridade das amostras é completamente mantida".

Na mesma nota, o dirigente da Agência Mundial direccionou as palavras aos atletas, alegou que a suspensão pode ser revogada só quando o laboratório do Rio de Janeiro provar que está a funcionar de forma optimizada.

A Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) emitiu uma nota a  reiterar a importância do Laboratório Brasileiro na  realização dos testes antidopagem durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Apontou também um chamado legado técnico-científico.

"A ABCD confia no trabalho desempenhado pelo laboratório – com mais de 2,5 mil testes realizados desde a sua inauguração – e tem a forte expectativa de que a instituição tomará todas as providências necessárias para que a suspensão provisória imposta preventivamente pela Agência Mundial Antidopagem - WADA-AMA seja revista o mais breve possível", disse a autoridade em nota.

FLAGRANTE

Entretanto, o maratonista romeno Nicolae - Alexandru Soare, que estava classificado para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, foi detectado num exame antidoping pelo uso da substância Meldonium, divulgou na sexta-feira o Comité Olímpico daquele país.

"Recebemos hoje (sexta-feira) da Agência Nacional Antidoping um comunicado, que nos informou que Soare testou positivo", afirmou o secretário - geral do comité, Ioan Dobrescu.

O próprio dirigente já adiantou, que todos os atletas da Roménia que são detectados pelo uso de substâncias proibidas, ficam suspensos e não participam nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Soare  classificou-se para a prova de maratona do evento poliesportivo em 17 de Abril, na Maratona de Hamburgo, na Alemanha, ao obter o tempo de 2 horas, 18 minutos e 52 segundos.


WIMBLEDON
Federer no caminho de Djokovic


O sorteio das chaves de Wimbledon foi efectuado na sexta-feira e não foi dos mais favoráveis para o número um do mundo, Novak Djokovic, que pode enfrentar o heptacampeão Roger Federer nas meias-finais e o canadiano Milos Raonic, nos quartos de final.

A expectativa do sorteio era saber de que lado da chave ficavam os dois suíços do top-4. Queridinho dos adeptos locais, o britânico Andy Murray, vice-líder do ranking, teve mais sorte que o sérvio, dado que o adversário com melhor ranking a enfrentar antes da final, é Stanislas Wawrinka (número 4).

Longe de ser um especialista na relva, 'Stanimal' nunca passou dos quartos em Wimbledon. Federer, de 34 anos, teve um início de temporada complicado e ficou fora de Roland Garros por causa das dores na coluna, sempre é muito perigoso quando joga na relva sagrada do All England´s Club.

Murray, porém, não teve vida fácil nas jornadas anteriores, com confrontos com o australiano Nick Kyrgios (número 15) nos oitavos e o francês Richard Gasquet (número 7) nos quartos de final.

Actual campeão do torneio, Djoko tem amanhã a honra de ser o primeiro a entrar na quadra central, mas não deve ter  adeptos a seu favor, porque enfrenta um tenista da casa, o inglês James Ward, 177º do ranking.

Uma das partidas mais atractivas da primeira ronda é o duelo de gerações, entre o jovem austríaco Dominic Thiem (N.8), de 22 anos e o veterano alemão Florian Mayer (80º), dez anos mais velho, que acaba de derrotar o caçule na final do torneio de Halle.

No torneio feminino, a americana Serena Williams, número um do mundo, ficou na chave da polaca Agnieszka Radwanska (número 3).

No outro lado, pode ter uma meia-final entre as campeãs dos dois primeiros Grand Slams do ano, a espanhola Garbine Muguruza ( número 2), que triunfou em Roland Garros, e a alemã Angelique Kerber (número 4), vencedora do Open da Austrália.