Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Walter da Silva bisa no Nacional

Hélder Jeremias - 30 de Junho, 2014

Walter Silva (primeiro a esquerda) exalta fuga nos primeiros quilómetros que permitiu vencer a última etapa e o nacional

Fotografia: Santos Pedro

O ciclista Walter Silva e a sua equipa Benfica de Luanda foram os grandes vencedores do campeonato nacional de ciclismo de estrada unificado, que ontem encerrou com uma etapa de circuito fechado, disputada na avenida 4 de Fevereiro, em Luanda. Walter Silva terminou a prova de circuito fechado na primeira posição, seguido dos seus colegas de equipa, Mário de Carvalho, e Igor Silva, todos com o tempo de 00:55:07.

Com um clima favorável para a prática do ciclismo, o certame foi uma montra do bom nível técnico granjeado pelos ciclistas da praça nacional, onde se destacam os atletas da equipa do Santos Futebol Clube, Hotel Luso, Elisema Lda-Huíla, Núcleo do Rangel e Escola Macovi.A cerimónia de entrega de troféus foi prestigiada pela  presença do director nacional dos desportos, António Gomes, a administradora de Icolo e Bengo, Margarida Pedro e do presidente da Federação Angolana de Ciclismo, Diógenes de Oliveira, que entregou os prémios aos primeiros três classificados quer individuais quer por equipas.

Na categoria de juniores, o prémio foi arrebatado pelos atletas do Benfica, Wagner Chiquito, Gabriel Cole e Bruno Araújo, com o cronómetro a registar 00:55:53.  José Marinho, Benfica, e Jacinto Costa, do Núcleo do Huambo, foram os mais rápidos com 00:33:45. Em cadetes os troféus foram atribuídos a Mauro Ricardo do Benfica, Márcio José, Hotel Luso e Nelson Adão, do Núcleo do Rangel (00:25:20).

O Núcleo do Cazenga teve a  supremacia no escalão de Juvenis, ao ocupar as três primeiras posições com os ciclistas Sebastião Kiambote,  Kiambote Kisungo e Pedro João. Em feminino as primeiras classificadas foram Sandra Costa, Janeth Gonçalves e Makiesse Nduka. Na categoria de cicloturismo estiveram em evidência Bruno Santos, Sandro Carvalho e Mauro Almeida.

No final da competição, Walter da Silva mostrou-se feliz por voltar a elevar o nome do seu clube ao mais alto patamar da modalidade no contesto nacional, deixou vincada a sua intenção de continuar a trabalhar com os olhos fixos nos desafios internacionais que se avizinham, nos quais pretende dignificar o nome do país.

"Foi uma prova bem disputada e à altura do fecho do campeonato nacional, em que atletas das equipas intervenientes souberam dar o seu melhor, mas o Benfica mostrou a sua supremacia, pois soube responder ao ataque e fizemos a fuga nos primeiros quilómetros e o treinador deu conta de que eu era o atleta em condições de terminar no topo", disse Walter da Silva.

Roman Kreuziger falha Volta a França

O checo Roman Kreuziger, que assumiu sábado estar a ser investigado por alegadas anomalias no passaporte biológico, não vai estar na Volta a França, anunciou a sua equipa, a Tinkoff-Saxo.

Kreuziger, que no ano passado fez sensação no Tour, ao mostrar-se melhor do que o seu líder, o espanhol Alberto Contador, vai ser alvo de um processo disciplinar devido a alegadas anomalias no passaporte biológico, registadas em dois períodos - de Março a Agosto de 2011 e de Abril de 2012 no final do Giro desse ano -, especificou aTinkoff-Saxo, ao mesmo tempo que recordou que à época, o ciclista corria na Astana.

No entanto, a formação dinamarquesa diz-se convencida das explicações do checo, de 28 anos, que negou o recurso a substâncias ou métodos dopantes. Apesar da presunção de inocência, a Tinkoff-Saxo, em conformidade com o corredor, preferiu excluir Kreuziger do seu "nove" para o Tour, que começa no próximo sábado em Leeds, na Inglaterra.

"A partir deste momento, o Roman não vai correr até que haja mais informações sobre o seu caso. Mas não está suspenso, a menos que isso seja pedido pela União Ciclista Internacional (UCI) ou pela federação checa", esclareceu a equipa. A notícia foi avançada na página oficial na Internet de Kreuziger, que contou estar a ser investigado pela Fundação Antidoping do Ciclismo (CAFD), mas que já consultou peritos que nada viram de errado no seu passaporte biológico.

O quinto classificado do Tour'2013 foi convidado a explicar as presumíveis irregularidades em Junho de 2013 e apresentou a sua defesa em Outubro, com  base na opinião de dois especialistas, mas viu a UCI rejeitar a sua tese. Depois, um terceiro especialista solicitado por Kreuziger escreveu um relatório preliminar a justificar as flutuações do perfil sanguíneo do checo, garantiu que estas não se deviam a dopagem. Kreuziger assinou pela sua formação actual em 2013, depois de ter representado a Liquigas (2006-2010) e a Astana (2011-2012).