Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Webber negoceia com Porsche

04 de Abril, 2013

Mark Webber está em final de contrato com a Red Bull

Fotografia: AFP

Mark Webber pode não renovar o contrato com a Red Bull após o polémico Grande Prémio da Malásia de Fórmula 1 e já negoceia o futuro noutra categoria.
De acordo com o jornal alemão “Bild”, o piloto australiano esteve em contacto com a Porsche e pode competir nas 24 Horas de Le Mans em 2014.
O diário ressalta que Mark Webber “expressou interesse” no projecto da Porsche, que prepara um novo carro para competir nas 24 Horas de Le Mans em 2014, com uma equipa de fábrica.

A marca alemã já recrutou um ex-piloto de F1, o alemão Nick Heidfeld, para participar da iniciativa. Nick Heidfeld é amigo de Mark Webber, conforme destaca a publicação.
Com 16 vitórias, a Porsche é a marca com mais sucesso na história das 24 Horas de Le Mans, prova disputada anualmente na França desde 1923.
Em 2012, a vitória pertenceu à Audi, através da equipa formada pelo suíço Marcel Fassler, o francês Benoit Tréluyer e o alemão André Lotterer.
No fim de Março, o mesmo diário havia noticiado que Mark Webber, 36 anos, ao serviço da Red Bull desde 2007 e com contrato válido até 2013, será substituído no fim da temporada por um “piloto jovem”.

A informação foi divulgada logo depois do GP da Malásia. Na prova realizada a 24 de Março em Sepang, Sebastian Vettel ignorou as instruções da equipa anglo-austríaca e ultrapassou o companheiro de equipa Mark Webber na 46ª volta das 56 previstas para a prova, o que deixou o piloto australiano furioso.

O chefe da Red Bull, Christian Horner admitiu que havia uma recomendação para os pilotos manterem as posições após a última paragem nas boxes.
Após o episódio, o piloto alemão pediu desculpas públicas a Mark Webber, que foi alertado para poupar os pneus e reduzir a potência  do motor na parte final da prova, pois supostamente não ocorreria uma disputa com o companheiro de equipa.


Manifestantes protestam
contra GP do Bahrein


Quando faltam 21 dias para o Grande Prémio do Bahrein, a cidade que recebe a quarta etapa do “mundial” de Fórmula 1 começa a conviver com protestos contra a realização da corrida. Cancelada em 2011 e realizada em 2012 sob protestos, o Grande Prémio local é visto por parte da população como uma forma de esconder ao Mundo os conflitos que acontecem no Bahrein desde o início da “Primavera Árabe”, em 2010. Manifestantes reivindicam uma reforma democrática no país.

Na vila de Barbar, a 30 km do circuito de Sakhir, local da prova, alguns muros amanheceram com as paredes pintadas. “Não à Fórmula sangrenta” e “Boicote à Fórmula 1 no Bahrein” foram algumas das mensagens de protesto.
O alemão Sebastian Vettel, em Red Bull-Renault, venceu a prova no ano passado. Para que o GP fosse realizado no país árabe em 2012, Bernie Ecclestone precisou de garantir condições de segurança às equipas e pilotos.


Equipa Red Bull
bate recorde

A Red Bull-Renault (RBR) bateu o melhor registo de uma paragem nas boxes (pit stop) no GP da Malásia. Quando entrou na 19.ª volta, Mark Webber esteve parado apenas 2.05 segundos. O tempo pulverizou o recorde anterior, pertença da McLaren-Mercedes, com 2.31 segundos, no GP da Alemanha de 2012, numa intervenção no carro de Jenson Button. Mas a RBR foi ainda mais longe, pois nessa corrida em Sepang, bateu sucessivamente a marca da McLaren.

VETTEL PEDE
DESCULPAS


O piloto alemão Sebastian Vettel, actual campeão do Mundo de Fórmula 1, apresentou desculpas aos elementos da direcção da Red Bull por desobedecer às ordens de não ultrapassar Marc Webber no Grande Prémio da Malásia. Em declarações ao canal de televisão Sky Sports, Christian Horner, director da equipa de Vettel e Webber, revela que o piloto esteve no início da semana na sede da equipa, para preparar o GP China, e aproveitou para apresentar desculpas pelo sucedido.