Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Wehrlein quer novo companheiro de equipa

15 de Março, 2016

Rio Haryanto foi vítima de muitas críticas

Fotografia: AFP

 Prestes a fazer a estreia no Mundial de F1, Rio Haryanto vai chegar a Melbourne  pressionado. O primeiro indonésio da história do desporto participou nos testes de pré-temporada com a Manor em Barcelona, mas notabilizou-se mais pelos erros cometidos e por uma batida na primeira semana de sessão na Catalunha, do que pelo desempenho em pista que passou  a ser alvo de críticas. Entretanto, Haryanto ganhou a defesa do seu novo companheiro de equipa, Pascal Wehrlein.

 Nascido em Solo, na Indonésia, Haryanto tem o título da F-BMW pacífico no currículo, logrado em 2009. No ano seguinte, o piloto chegou a completar um dia de testes com a Virgin, hoje Manor, cumpriu 117 km de sessão. Depois dois anos de GP3 entre 2010 e 2011 quando chegou a ganhar corridas pela Manor, Rio iniciou a jornada na GP2 e no ano passado teve o seu melhor resultado: quarto lugar, com três vitórias e 138 pontos, ficou  atrás de Stoffel Vandoorne, Alexander Rossi e Sergey Sirotkin.

Rio Haryanto foi alvo de críticas pelo seu desempenho nos testes de pré-temporada da F1 em Barcelona (Foto: Getty Images). Alvo de críticas, sobretudo da imprensa alemã e também do ex-piloto e comentarista Robert Doornbos — que entende que o indonésio vai ter dificuldades para entrar na grelha, fica fora dos 107 por cento na sessão classificativa -, Rio contou com palavras de apoio de Wehrlein, que no entanto reconheceu: “Haryanto não brilhou nos testes”.

 “A decisão sobre o meu companheiro de equipa não é minha, mas também acredito que o Rio está a ser retratado como pior do que ele realmente é”, afirmou o alemão, que também vai fazer a estreia na F1 em 2016, à revista “Speed Week”.  “Afinal, ele foi o quarto colocado no ano passado na GP2, bateu pilotos de ponta e ganhou corridas. Ele não brilhou nos testes e ficou na brita, mas não acho que ele seja ruim”, comentou o piloto campeão do DTM na temporada passada, a minimizar os erros cometidos por Haryanto nos testes de Inverno.
 “Quem sabe, talvez isso aconteça comigo nas próximas corridas também, então ele não é um piloto ruim”, complementou

DISPUTA
Mercedes adopta discurso humilde
 e põe a Ferrari na corrida pelo título


A menos de uma semana, o mundo da F1 vai saber o quanto a Mercedes vai estar à frente da grande rival Ferrari, no começo da luta pelo título da temporada 2016. Mas a equipa bicampeã do mundo adoptou um discurso humilde, com Toto Wolff a falar em apenas 0s1 de vantagem para os alemães.Faltam seis dias para o início da temporada 2016 do Mundial de F1, e uma das principais questões de todo o ano no desporto vai ser respondida no fim de semana em Melbourne, palco da prova de abertura do campeonato o GP da Austrália, a 20 de Março.

O quanto a Ferrari melhorou e reduziu a vantagem da Mercedes só vai ser possível saber mesmo quando os carros forem para a pista em Albert Park. Porém, os bicampeões adoptam um discurso bastante humilde e colocam a Ferrari na luta pelo título. A lenda da Ferrari e hoje presidente não -executivo da Mercedes, Niki Lauda creditou o êxito recente da equipa prateada ao trabalho duro nos últimos anos, mas deixou claro que ao menos para 2016 a missão vai ser ainda mais árdua para os alemães.

 “Não é culpa da Mercedes se nós fomos os mais rápidos nas duas últimas temporadas. A nossa meta é continuar isso, mas acho que a diferença foi reduzida”, disse o tricampeão do mundo em entrevista ao diário italiano ‘La Gazzetta dello Sport’.A Mercedes acredita que a Ferrari esteja muito mais próxima em 2016. “Na última temporada nós tivemos uns 0s6 de vantagem sobre a Ferrari, mas eles estão bem mais próximos nesta temporada.  A nossa vantagem desceu para 0s2, então tudo pode acontecer”, afirmou o ex - piloto e dirigente, que foi endossado por Toto Wolff, director - desportivo da Mercedes e chefe da equipa na F1.

 “Definitivamente, a Ferrari deu um grande salto, pois de 2014 para 2015  desenvolveram-se  muito bem, e agora continuam assim. Se nós temos uma vantagem inicial não é como foi no ano passado. Estamos a falar de 0s2, 0s3, talvez 0s1”, alertou Wolff à emissora austríaca ORF. “A Ferrari parece muito bem. A partir dos testes vimos algumas voltas muito interessantes deles que mostram o quanto eles estão no ritmo”, acrescentou o austríaco à revista alemã ‘Auto Motor und Sport’.

LEMBRANÇA
Felipe Nasr volta
ao palco de estreia


Felipe Nasr inicia a segunda temporada na Fórmula 1, num palco que lhe traz grandes lembranças: Melbourne,  onde o brasileiro conquistou o seu melhor resultado na categoria até aqui: um quinto lugar logo no seu GP de estreia."O GP da Austrália lembra-me o resultado fantástico do ano passado. Terminar em quinto na minha primeira corrida na F-1 é algo de que provavelmente não vou esquecer. É bom voltar ao Albert Park com essas grandes lembranças", afirmou o brasileiro que continua na equipa Sauber ao lado de Marcus Ericsson..

"Durante o teste em Barcelona eu tive alguns dias produtivos, ganhei quilometragem com o C35. Sinto-me preparado para começar a segunda temporada na F-1. Estou curioso para ver onde estamos em comparação com as outras equipas. Todos na fábrica trabalharam  duro, então merecemos um bom começo de ano."Os carros voltam à pista com o primeiro treino livre, para a etapa de abertura da temporada na quinta-feira às 22h30, pelo horário de Brasília. O segundo treino livre vai ser na madrugada da sexta-feira, a partir das 2h30. O terceiro treino livre à meia-noite de sábado e a classificação, às 3h. A largada está marcada para as 2h do domingo.