Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Wehrlein v evoluo da Manor

23 de Abril, 2016

Pascal Wehrlein ficou optimista depois que viu a Manor no Bahrein e na China.

Fotografia: AFP

Pascal Wehrlein ficou optimista depois que viu a Manor no Bahrein e na China. O alemão acredita que mesmo que seja uma tarefa complicada, pontuar é possível ainda em 2016.

Pascal Wehrlein está bem optimista com o momento da Manor. Um dos bons nomes da temporada, o jovem alemão acredita que pontuar é uma missão possível para a equipa e garante que o carro é bem melhor do que apresentou em Melbourne.

 Para Wehrlein, o péssimo desempenho em Melbourne foi circunstancial, e a Manor mostrou a sua capacidade no Bahrein e na China.

 "Nós podemos esquecer o GP da Austrália. As últimas duas provas mostraram onde estamos em termos de performance e foram similares. Sempre terão pistas que vão casar melhor com o nosso carro, a questão é que nós não estávamos preparados na Austrália", disse.

 O germânico reconheceu que ficar entre os dez primeiros não é uma tarefa simples, mas acredita que isso é possível para a Manor e garante que este é o objectivo da equipa.

 "Pontuar não é uma missão fácil, mas é  possível. A minha meta é essa. Na China nós só não tivemos chances porque os 22 carros completaram, isso não acontece quase nunca", seguiu.

Wehrlein aprovou a partida tumultuada na China, mas questionou se a entrada do safety-car realmente ajudou a Manor. O piloto lembrou que foi alvo fácil dos carros com pneus novos.

 "A partida e a primeira volta foram divertidas, muita coisa aconteceu, especialmente na primeira curva. Larguei bem e deu tudo certo, estava na posição certa para avançar. Mas eu realmente não sei se o safety -car nos ajudou. Jogou lá para frente, mas ficamos vulneráveis aos ataques de carros com pneus novos", afirmou.

 O jovem piloto lembrou que  bateu alguns concorrentes na China, um bom sinal para as próximas provas.

"Ainda que ninguém tenha abandonado, conseguimos ficar na frente do Nasr, Grosjean, Palmer, então quer dizer que estamos em condições de lutar com todos esses", completou.

 Wehrlein aparece em 20º lugar na classificação geral da temporada. O GP do Bahrein foi o melhor do alemão, cruzou a linha final em 13º lugar.

ESPANHOL
SURPREENDE

Mesmo tendo disputado a temporada que marca os 10 anos desde o seu segundo e último título mundial em 2006, Fernando Alonso ainda é considerado por muitos profissionais dentro da Fórmula 1 como o melhor piloto. E ele mesmo, não duvida disso.

"Sempre me sinto confiante de que posso superar qualquer um", disse Alonso à Sky Sports.

Em declarações à respeito das suas qualidades, Alonso afirmou que não se sente superior em nenhum quesito em especial, mas sim em termos de conjunto.

"Não acredito que sou melhor do que todos, em termos de velocidade pura, em classificação. Não acho que sou o melhor em pista molhada, pista seca, em corrida. Mas pode colocar-me na pista no mesmo carro, no mesmo momento que qualquer um: no geral eu vou batê-los."

Nas suas 14 temporadas na Fórmula 1, o espanhol só foi superado duas vezes por companheiros de equipa: em 2007, nos quesitos de desempate, quando empatou em pontos com Lewis Hamilton e em 2015 por Jenson Button, num ano marcado pelas falhas técnicas nos carros de ambos na McLaren.

Após o bicampeonato em 2005 e 2006, o espanhol tem no currículo três vices, todos na época de Ferrari, em 2010, 2012 e 2013.