Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Williams nega desespero

04 de Maio, 2014

A expectativa em torno da Williams após impressionar na pré-temporada era grande antes do início da temporada

Fotografia: AFP

A expectativa em torno da Williams após impressionar na pré-temporada era grande antes do início da temporada, porém o desempenho abaixo do esperado nas quatro primeiras corridas gerou desconforto nas garagens.

 Mas conforme o chefe do sector de performance da equipa, Rob Smedley, não há desespero devido à falta de resultados expressivos de Felipe Massa e Valtteri Bottas.

“Falei uma vez que não há pânico na Williams e reitero isso. A pergunta que foi feita a mim há algumas semanas era se eu estava desapontado por não ter conseguido resultados melhores, já que temos um carro rápido. Não acho que tenhamos desperdiçado oportunidades com o carro que temos. O que acho é que estão a fazer um trabalho razoável”, ponderou Smedley.

Nas quatro primeiras etapas, Massa e Bottas nem sequer alcançaram lugar no pódio. O melhor resultado foi do piloto finlandês, na Austrália, onde conquistou o quinto lugar. Já o desempenho máximo de Felipe Massa foi o sétimo lugar, alcançado na Malásia e no Bahrein. Com isso, a dupla da Williams está longe da luta pelas primeiras colocações: Bottas é o sétimo da classificação com 24 pontos e o brasileiro é o 11º, com 12pontos. No Mundial de Construtores, a equipa é apenas a sexta colocada. Rob Smedley admite as dificuldades, mas volta a defender que a situação não pede medidas desesperadas. “Não é um trabalho perfeito, e não dá para sentar aqui e dizer que tudo está fantástico, mas quem faz um trabalho completamente perfeito?”, argumenta. “E dizer que tudo está perdido, porque não temos os resultados que queríamos com um bom carro, também não era correcto”, completa.

A Williams está em busca do primeiro pódio nas etapas europeias. O primeiro Grande Prémio do Velho Continente  é o de  Espanha, no circuito de Barcelona. Os treinos livres estão marcados para o próximo dia 9 e a largada vai ser à mesma hora do dia 11.


Morre ex-mecânico da equipa da Ferrari


Nigel Stepney, ex-mecânico da Ferrari, morreu sexta-feira última, num acidente de trânsito. Conforme  informações do grupo automobilístico JRM, para o qual trabalhava, Stepney não resistiu aos ferimentos de uma batida de automóvel na cidade de Kent, no sul da Inglaterra. A polícia ainda investiga as causas do acidente.

Em comunicado, a companhia disse que Stepney, 56 anos, deixa a mulher, Ash, e uma filha, Sabine. O mecânico exercia as funções de gerente e director técnico da sua equipa de corridas.

Stepney foi contratado pela JRM em 2010 após uma longa carreira na Fórmula 1 que acabou manchada em 2007 por acusações de que espionou a Ferrari quando era mecânico dessa equipa em benefício da McLaren.

Um tribunal italiano o condenou a um ano e oito meses de prisão por sabotagem, espionagem industrial e fraude desportiva e  apesar de não ter chegado a cumprir pena, não voltou a trabalhar na Fórmula 1, lembrou a rede britânica «BBC».

«Desde o momento em que Nigel se uniu à JRM em 2010, foi um membro de vital importância para a equipa e trouxe um nível de experiência em engenharia sem comparação», declarou na nota o proprietário do grupo JRM, James Rumsey.