Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

World Tour mantm 18 equipas

27 de Setembro, 2018

O ranking de naes e de equipas sero elaborados com os 10 melhores corredores de cada equipa nas trs divises de todas as corridas do calendrio internacional

Fotografia: Dr

O Comité Director da UCI e o Conselho do Ciclismo Profissional anunciaram através de comunicado que será implementada até 2020 uma reforma no ciclismo que começará gradualmente a partir do próximo ano.
Um dos pontos de maior discussão passava pela redução de 18 para 15 as equipas do World Tour, mas este item não acolheu aprovação, mantendo-se o pelotão como se encontra actualmente, com as equipas compostas entre 27 a 30 corredores e com licença por três anos. Até final de 2019 as formações receberão uma licença por três anos com base em cinco critérios: ético, administrativo, financeiro, organizacional e desportivo.
O calendário de estrada será composto por três divisões: World Tour, Circuitos Continentais e Pro Séries UCI.
A partir de 2020, o World Tour reagrupará as três grandes voltas e outras corridas, enquanto as provas de um dia serão colocadas numa série denominada UCI Classics, cujos contornos terão de ser especificados, totalizando cerca de 185 dias de competição. As equipas serão divididas em três grupos como já acontece actualmente: World Teams, Pro Teams (actuais Continentais Profissionais) e Continentais, mas as duas melhores equipas Pro Teams terão direito a participar nas grandes Voltas, diminuindo o número de wild cards - actualmente estas competições estão abertas a 22 formações.
Será extinta a classificação World Tour e criado um ranking mundial individual. O ranking de nações e de equipas serão elaborados com os 10 melhores corredores de cada equipa nas três divisões de todas as corridas do calendário internacional, mantendo-se os rankings dos circuitos Continentais.