Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Wozniacki e Halep disputam final

27 de Janeiro, 2018

Torneio Open da Austrlia conhece hoje vencedor da classe feminina

Fotografia: SAEED KHAN / AFP

As tenistas Caroline Wozniacki e Simona Halep disputam hoje a final do Open da Austrália, em ténis, o primeiro \"Grand Slam\" da temporada.
A final feminina é um verdadeiro jogo de tudo ou nada para a romena Halep e para a dinamarquesa Wozniacki, as duas primeiras classificadas da classificação mundial.
Em jogo está a liderança no ‘ranking’, agora, ocupado por Simona Halep, e o primeiro título em torneios do Grand Slam para ambas as tenistas, na que pode ser a terceira final de ‘majors’, para a romena e para a dinamarquesa.
Um triunfo pode garantir a Simona Halep manter a liderança do ‘ranking’, que comanda com 6.425 pontos, mas também pode  permitir a Wozniacki regressar ao primeiro posto da hierarquia mundial, que ocupou em 2010.
Desde 1980 que o Open da Austrália, o primeiro torneio do ano, não era palco do duelo pela liderança do ‘ranking’, quando a final colocou frente a frente a checa Hana Mandlikova e a australiana Wendy Turnbull.
Esta deve ser a primeira final entre as duas primeiras classificadas da hierarquia mundial, desde 2015, ano no qual a norte-americana Serena Williams, campeã em título, se impôs à russa Maria Sharapova.
Simona Halep chegou à terceira final de um ‘Grand Slam’, após perder duas vezes em Roland Garros,  derrotou a alemã Angelique Kerber, 16.ª do ‘ranking’ e vencedora do Open da Austrália em 2016, por 6-3, 4-6 e 9-7, num encontro muito equilibrado, que durou 02:20 horas.
“Foi muito difícil, ainda estou a tremer (…) Foi uma montanha russa, mas não desisti”, disse Halep no final do encontro, em que dispôs de dois ‘match points’, a 5-4 e salvou outros tantos pontos de encontro a 5-6.
Na outra meia -final, a dinamarquesa Caroline Wozniacki impôs-se à belga Élise Mertens, 36.ª da classificação mundial, pelos parciais de 6-3 e 7-6 (7-2).
Wozniaki dominou o primeiro ‘set’, mas sofreu no segundo, admitiu no final do encontro que se recordou da meia-final perdida no Open da Austrália, em 2011, para a chinesa Na Li.
“Tremi muito no 5-4 (perdeu a hipótese de fechar o encontro com 6-4, a servir). Em 2011, tive dois ‘match points’ e perdi. Lembrei-me disse ainda hoje, mas consegui manter a calma e recuperar. Tive a sorte de ganhar”, afirmou a dinamarquesa.