Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Z Cazenga aposta na formao de talentos

Helder Jeremias - 03 de Janeiro, 2019

Fotografia: Edies Novembro

O piloto da categoria 250cc, Zé Cazenga, está a efectuar os últimos detalhes da tramitação para a abertura da sua escola de motocross.
Detentor de sete títulos do campeonato provincial de Luanda, Zé Cazenga encontra-se no final da sua carreira, tendo sido afastado das competições na penúltima edição, em virtude de uma lesão entre o fémur e a bacia, ao passo que o seu retorno se saldou com o terceiro lugar na tabela classificativa da época em que o piloto namibiano ao serviço do Team Dinamith, Ruhan Gous, ergueu o troféu pela segunda vez consecutiva, ao passo que o piloto do Team Transchipeta, Fernas Baptista se quedou na segunda posição.
Zé Cazenga terminou o seu vinculo contratual com o Team Orbel no fim do campeonato, mas credita que ainda poderá emprestar os seus serviços a uma equipa que pretenda apostar em si para a representar na lide de jovens dotados de qualidades extraordinárias, numa altura em que as movimentações de pilotos estão na agenda do dia ao longo dos meses que antecedem o arranque da próxima temporada.
Com o pontapé de saída do campeonato marcado para Março, Zé Cazenga está certo de que o seu projecto no âmbito da formação de novos talentos tem “pernas para andar”, quando já conta com duas motorizadas da classe 150cc, assim como a cedência de um espaço para a ministração de aulas práticas.
O craque do espectáculo sobre rodas reconhece as grandes dificuldades com que os jovens se deparam para enveredar por uma carreira desportiva, por isso esta a equacionar a prática de preços mais acessíveis na instituição em seu nome, de forma que um leque mais alargado de pilotos possa ter a oportunidade de explorar as suas potencialidades.
Zé Ponta, como também e conhecido na nata do motocross apela as pessoas com sensibilidade para com o desporto a darem o seu contributo no projecto que, em seu entender, poderá ajudar a dar uma dinâmica maior no processo de massificação do motocrosss ao nível da capital do país.
Do dizer do piloto, o terceiro lugar no provincial pode ser considerado de positivo, tendo em conta o tempo que permaneceu fora das competições, além da concorrência de pilotos dotados de grande nível técnico, como são os casos de Ruhan Gous, Fernas Bapista, Branquinho Pina, Augusto Gongo “Augugu”, Etelvino Sebastião, entre outros que tiveram performances de encher os olhos.
“O meu vínculo com o Team Orbel terminou, uma vez que foram vários anos a trabalhar por aquela equipa. Foram anos de altos e baixos, mas o balanço é positivo. Agora é altura de abraçarmos outros desafios, pois sinto que ainda posso fazer uma ou duas épocas em grande plano. Todavia, a prioridade é a implementação deste meu projecto no âmbito da formação”, revelou Zé Cazenga.