Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Zaire obtém primeira safra do projecto

29 de Fevereiro, 2016

Massificação do andebol na província do Zaire

Fotografia: Arimatéia Batista

O projecto de massificação do desporto na província do Zaire, iniciado em 2012, conclui este ano o primeiro ciclo de formação de atletas na disciplina de andebol, informou neste sábado, em Mbanza Congo, a coordenadora, Rosa Torres, ex-jogadora da Selecção Nacional de andebol.

Este ano, segundo Rosa Torres, dos 800 formandos nos escalões infantis e juvenis, vão terminar o ciclo formativo aqueles (as) que atingirem 17 e 18 anos, porque já estarão dentro dos juniores e porque o projecto tem a duração de um ciclo olímpico.

Depois de terminarem a formação, os atletas continuarão sob orientação da coordenação do projecto de massificação do andebol na província, que os inserirá numa equipa de juniores, que poderá ser criado este ano.“Não queremos dispensá-las porque foram quatro anos de trabalho, elas aprenderam muito, vamos fazer um estudo para ver  qual o fim a dar a essas equipas, mas em princípio ela continua no projecto”, disse a coordenadora.

O projecto, que trabalha com crianças com idades entre os 7 e os 17 anos, arrancou numa primeira fase com os municípios de Mbanza Congo e  Soyo.
Quando começou, conta Rosa Torres, a previsão era de inscrever apenas 500 crianças, mas fomos positivamente surpreendidos com a presença de 800.

“O número ultrapassou as expectativas e tivemos que refazer o projecto, mas por uma questão de gestão decidimos começar com Mbanza  Congo , por ser a capital do Zaire  e Soyo, por ser o município mais populoso da província.

Durante os quatro anos de formação, a província participou em dois campeonatos nacionais, mas o objectivo não era ainda a competição mas a formação de atletas para o futuro e temos bons indicadores.

“Na qualidade de coordenadora e treinadora fiquei surpreendida porque temos bons indicadores e com a dinâmica das atletas do Zaire”.
A província do Zaire não tem histórico de clubes ou formação em andebol e o presente projecto, suportado pelo Governo da província, conta com 20 treinadores, sendo 10 em Mbanza Congo e 10 no Soyo.

Josefina Maimbo, 17 anos, é uma das atletas formadas pelo projecto e quer ser uma jogadora profissional. Ela espera ter a oportunidade de treinar num clube e depois evoluir para a selecção nacional.

“Dizem que jogo bem”, disse ela. “Meu sonho é estar na selecção e também que uma equipa me chame para jogar, mas para atingir esse patamar vou dedicar-me mais.

Informou também que está no projecto há quatro anos e que antes de vir para o clube já pertencia a uma equipa da escola. “ Aqui jogo como lateral direito, aprendi a fintar fazer driblo.

Por sua vez, a pequena Maria André, nove anos, anda na quarta classe e está a aprender a jogar no escalão infantil.
O desejo dela também é ser profissional. “Eu quero ser como a treinadora, disse ela referindo-se à Rosa Torres, antiga jogadora da selecção.