Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Alemanha derrota frica do Sul

Gaudncio Hamelay, no Namibe - 29 de Setembro, 2013

Alemes superaram os sul-africanos numa partida marcada por equilbrio e contra-ataques rpidos no pavilho Welwitschia Mirabilis

Fotografia: Jos Soares

A selecção da Alemanha, ao “bater” ontem, na cidade do Namibe, a similar da África do Sul, por 6-3, ocupou o 11º lugar da tabela classificativa geral do 41º Campeonato do Mundo de hóquei em patins.

As duas formações entraram em campo com o objectivo de levar a vitória e a ansiedade tomou conta dos atletas. Durante 17 minutos, cada treinador deu indícios de estudo recíproco. As cautelas permitiram equilíbrio e nenhuma selecção arriscou o ataque.

A dois minutos do final da primeira parte, Sérgio Pereira, português naturalizado alemão, violou a baliza da equipa sul-africana. Era o primeiro golo da partida. No minuto seguinte, Alemanha obteve uma nova oportunidade. Sérgio Pereira é chamado a cobrar um livre directo e desperdiçou a oportunidade de ampliar o resultado.

Com o resultado a favor dos alemães, a partida ganhou outra dinâmica. Os sul-africanos procuraram empatar a partida antes do intervalo e apostaram em contra-ataques. A destreza dos alemães inviabilizou os intentos e terminou a etapa inicial com mínima vantagem de 1-0.

No tempo complementar, a partida não alterou a dinâmica. As equipas entraram determinadas a fazer história. Do lado da Alemanha, o objectivo era dilatar a vantagem, enquanto os sul-africanos procuraram travar todas as investidas. Aos 24 minutos, a Alemanha volta a marcar e amplia para 2-0. Kai Milewski volta a aumentar o resultado para 3-0.

Mesmo em desvantagem, a selecção orientada por Fernando Maia não ficou sossegada. Correu a todo-o-terreno com jogadas de contra-ataques rápidos, aliadas a remates de longa distância. O guarda-redes Patrick Glowka defendeu todos os remates.

A pressão sobre os alemães aumentou e aos 32 minutos Justin da Costa reduziu para 1-3. O golo espevitou os europeus e, em resposta, Sérgio Pereira coloca a Alemanha mais longe com um golo de belo efeito, elevando para 4-1. No minuto seguinte, o avançado alemão sofre falta no quadrado. O árbitro assinala livre directo. O mesmo atleta é chamado a cobrar e aumentou para 5-1.

Descontentes com o resultado, os sul-africanos voltaram a diminuir a vantagem alemã em 2-5, com forte remate de longa distância de Ricardo Sousa. A euforia dos africanos foi sol de pouca dura. Em contra-ataque rápido, os alemães aumentaram o resultado para 2-6.

O jogo ganha boa consistência e na bancada ecoam aplausos e gritos. Os sul-africanos mentalizados em fazer história partem para o contra-ataque rápido. Cláudio Araújo reduz a vantagem alemã para 3-6 a 42 segundos do final da partida.


FICHA TÉCNICA


Pavilhão:
Welwitschia Mirabilis
Arbitragem: Luís Alexandrino (Brasil), Álvaro Meza (Chile) e Giovanny Grisales (Colômbia) Assistência:500 pessoas

ALEMANHA: Patrick Glowka, Lucas Karschau, Felix Bender, Kai Miewski, Yannick Peinke, Jonas Pink, Jorge Fonseca, Sergio Pereira, Tobias Paczia e Lukas Kost
Treinador:Michael Neubauer

ÁFRICA DO SUL:Ricardo Maja, Michael Guerra, Adilson Correia, Cláudio Araújo, Leandro Araújo, Sérgio Araújo, Ricardo Sousa, Nelson Mendes, Justin da Costa e Ricardo Figueiredo.
Treinador: Fernando Maia

MARCA DE MARCADOR
Intervalo: ssas-dffffg
Resultado final: 6-3


DECLARAÇÕES


Michael NeubauerTécnico da Alemanha
“Este Mundial vale muito”

O treinador da Alemanha, Michael Neubauer, disse que gostou da partida e que mereceu a vitória. “Ganhámos a partida porque conseguimos marcar maior número de golos. A equipa adversária merece o nosso respeito, pois deu muita réplica. Fomos mais eficientes e conseguimos fazer seis golos.

Para mim, este mundial vale muito. Digo isto porque, por ter sido realizado em Angola, vale muito mais por ser o primeiro mundial decorrido em África. Tínhamos muitas dúvidas sobre o êxito do campeonato do mundo. Mas agora estão à mostra as imagens; não há dúvidas”, disse.

Michael Neubauer afirmou que durante o campeonato fez muitas amizades e sentiu-se como se estivesse em casa. “Vamos, no domingo, com muitas saudades. Não há pavilhões com estas condições na Europa. Espero que Angola continue dentro deste processo de evolução do hóquei em patins”, disse.


Fernando Maia
Técnico da África do Sul


O técnico sul-africano Fernando Maia voltou a recusar falar para a imprensa no final do jogo. A atitude do técnico da equipa africana mereceu reprovações junto das diferentes personalidades que o aguardavam na sala de conferências de imprensa.  


CLASSIFICATIVAS

Áustria vence Uruguai

A Áustria evitou o último lugar no Campeonato do Mundo de hóquei em patins, mercê da vitória ontem no Namibe sobre o modesto Uruguai, por 5-1, em jogo das classificativas do 15º e 16º lugar.  As duas equipas entraram para o jogo já relegadas para o Campeonato do Mundo B, mas este aspecto não retirou interesse ao jogo. Empenharam-se a fundo e com profissionalismo.

Ao intervalo, a Áustria vencia por dois a zero, com golos de Jakob Kessler, aos sete minutos, e David Huber, aos 12’. Reatada a partida, o Uruguai redimiu-se e marcou aos 31 minutos por Cláudio Maeso. Mal festejou, a Áustria ampliou a vantagem aos 31’ e 32’ por Huber, enquanto Jakob aos 34’ fechou a conta. Noutra partida, a Colômbia venceu os Estados Unidos por 6-1.



DESPROMOÇÃO

Áustria e Uruguai baixam para Mundial B

As selecções da Áustria, Uruguai e Estados Unidos vão desfilar nos próximos dois anos na segunda liga mundial do hóquei em patins. O Uruguai foi a quarta classificada no Mundial B, disputado na África do Sul, em 2012, mas a sua presença no campeonato realizado em Angola deveu-se à repescagem por desistência da Inglaterra.

A  Áustria e os Estados Unidos são selecções intermitentes. A primeira subiu de divisão em 2012, enquanto a segunda sobreviveu a dois campeonatos mundiais da principal Liga.