Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

"Angola um dos pases mais importantes de frica"

22 de Setembro, 2013

Prontido do Executivo deixou satisfeito o organismo que tutela a modalidade

Fotografia: M. Machangomgo

O presidente da Federação Internacional de Roller Sport, Sabatino Arascu, considerou na sexta-feira, em Luanda, que Angola é um dos países mais importante de África por ser o primeiro do continente a organizar com êxito uma edição do mundial de hóquei em patins. 

Ao discursar na cerimónia de abertura, o responsável máximo da modalidade a nível mundial agradeceu ao Presidente da Republica, José Eduardo dos Santos, pelo facto de, com o seu apoio, ter sido possível a realização desta competição e também por ter acreditado que o desporto é o veículo para o crescimento da Nação. Para ele, este é o primeiro passo que transforma Angola no coração do desporto a nível de África e o motivo que a vai fazer entrar na história do universo.

Enalteceu, ainda, o esforço do ministro dos Desportos, Gonçalves Muandumba, e o presidente da Federação Angolana de Patinagem (FAP), Carlos Alberto Jaime “Calabeto”. Por fim, reiterou a necessidade dos jogadores entrarem em campo, competindo com  fair play.

SONHO ANGOLANO
FOI CONCRETIZADO

O presidente da Federação Angolana de Patinagem, Carlos Alberto Jaime “Calabeto”, disse que Angola concretizou um sonho pelo facto de ter erguido três pavilhões multiusos, com destaque para o de Luanda, construído em oito meses e meio, para albergar a 41ª edição do Mundial de hóquei em patins.

Falando na abertura da competição, o número um da modalidade no país salientou tratar-se de uma iniciativa que, de certa forma, contribui para o desenvolvimento da Nação.

Manifestou-se satisfeito pelo facto de Angola ser o primeiro país africano a albergar um Campeonato Mundial de hóquei em patins, que agrega 16 selecções. Para ele, a construção dos pavilhões foi uma aposta do Executivo, que sempre acreditou na sua conclusão em pleno, apesar de algumas contrariedades causados pela chuva durante as obras.

Considerou, ainda, o Presidente da República como o principal obreiro da prova, devido à  atenção que lhe deu.


Constatação
Polícia elogia comportamento cívico das pessoas


A Polícia Nacional elogiou ontem o comportamento cívico dos cidadãos durante a cerimónia de abertura do 41º Campeonato do Mundo de hóquei em patins, em que a Selecção Nacional derrotou a similar da África do Sul, por expressivos 8-2.

Em declarações à Angop, o comandante e chefe para a segurança de Luanda durante 41º Campeonato do Mundo de hóquei em patins, Eduardo Diogo, disse que a população teve um comportamento exemplar, pois acatou os conselhos de segurança dados pela polícia, no sentido de evitar uma grande concentração na entrada.

O também comandante da Polícia do distrito da Maianga afirmou que não houve ocorrências de realce, pelo que espera que o quadro continue assim até ao último dia da competição. Eduardo Diogo salientou que a polícia contou com 1.500 efectivos.


Garantia
Protecção Civil 
está preparada


Os Serviços de Protecção Civil e Bombeiros da província do Namibe garantiram ontem, naquela cidade, a prontidão para qualquer eventualidade em que seja necessária a sua intervenção.

Ao falar à Angop sobre a segurança do Mundial, o porta-voz daquele quartel, Ernesto Chole, disse estarem disponíveis 70 efectivos, entre eles 12 do Comando provincial da Huíla que vieram auxiliá-los.

Estão ainda prontas para qualquer necessidade cinco ambulâncias, que funcionam com especialistas do Instituto de Emergências Médicas de Angola (INEMA), uma viatura de pronto-socorro e de resgate e meios marítimos para casos de afogamento.

Relativamente à segurança das praias e estradas, Ernesto Chole afirmou que os bombeiros vão contar com o apoio de 80 nadadores voluntários, que vão estar destacados na costa Amélia, Azul, Escadinha e das Miragens.

Ao longo da Estrada Nacional 280, os Serviços de Protecção Civil e Bombeiros montaram destacamentos nas áreas das Mangueiras, Caraculo e na via que liga a sede do Namibe ao município do Tombwa.

Vice-governador realça os ganhos
que o mundial traduz para Angola


O vice-governador do Bié para a Área dos Serviços Técnicos e Infra-estruturas, José Fernando Tchatuvela, considerou, em entrevista exclusiva para o Jornal dos Desportos, “ser um grande ganho” a organização do Mundial de Hóquei em Patins por Angola.

O governante frisou, ainda, o carácter especial que tem a organização deste evento no país, por ser o primeiro do género a ter lugar em África.
José Fernando Tchatuvela disse, nesse sentido, que fica assim reconhecido o esforço do Executivo e da própria federação da modalidade, para que a efectivação desse desiderato se traduzisse hoje numa realidade.

Para o vice-governador do Bié, independentemente da boa vontade das autoridades angolanas na organização deste Campeonato do Mundo, salta também à vista os ganhos no capítulo de infra-estruturas, que projectam o desporto angolano para altos patamares.

Fernando Tchatuvela realçou, além disso, que a vitória por 8-2 no jogo inaugural do Grupo-C e deste Mundial de Hóquei abre o caminho para o eventual êxito da Selecção Nacional neste certame.

“Este triunfo sobre a África do Sul motiva os nossos jogadores e pode ser um bom presságio para os próximos jogos do Grupo-C, assim como para as etapas seguintes, facto que, a concretizar-se, abre boas perspectivas para Angola na prova”, disse.
Em relação à segundo jornada do Grupo-C, em que Angola joga diante do Chile, o vice-governador do Bié para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas mostra-se crente num resultado positivo, que na sua óptica passa pelo vitória ou até mesmo o empate.
“Fomos felizes ao golearmos a África do Sul. Por esse facto, conseguirmos vencer o próximo jogo ou, se obtivermos um empate, podemos alcançar a qualificação em segundo lugar. A nossa equipa está muito motivada e por isso acredito nessa possibilidade”, argumentou, acrescentando que Deus tem que ser angolano neste jogo.
Sérgio V. Dias/No Cuito


CRENÇA
Governante de olhos postos no pódio


Para o vice-governador do Bié para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, José Fernando Tchatuvela, Angola tem de aproveitar ao máximo o factor casa para fazer história neste Campeonato do Mundo de hóquei em patins.

“Penso que a Selecção Nacional tem todas as condições criadas para melhorar a anterior qualificação, no caso o sexto lugar, e lutar para ficar entre os três primeiros deste Mundial, em que actua como equipa anfitriã”, disse.

O vice-governador lançou, também, baldes de água fria às euforias, apelando para que os jogadores angolanos sejam humildes e, acima de tudo, briosos, quando cruzarem o caminho dos seus adversários nesta grande montra do hóquei em patins mundial. “Se alcançarmos os primeiros três lugares no final desta competição será muito bom para Angola. Contudo, e porque sonhar não é proibido, podemos também pensar na conquista da prova, já que temos uma boa equipa, jogadores capazes e que podem fazer a diferença. Se isso acontecer, será ouro sobre o azul”, disse José Tchatuvela.

Em relação aos candidatos ao título desta montra do hóquei em patins, que Angola alberga nas cidades de Luanda e do Namibe, o vice-governador do Bié coloca Portugal, Espanha, actual detentor do troféu, e a Argentina, na primeira linha.
SVD, NO CUITO


Frente ao Chile
Jornalistas anseiam
resultado positivo


Depois da retumbante vitória por 8-2 no jogo de abertura deste Campeonato do Mundo de hóquei em patins, os profissionais da comunicação social no Bié já fazem contas relativamente à segunda jornada do Grupo-C, em que Angola vai enfrentar a forte selecção do Chile. Os jornalistas bienos vaticinam uma vitória sobre a turma chilena, que a confirmar-se assegura a passagem aos quartos-de-final da Selecção Nacional.

Jonas Albino, director provincial da Rádio Bié, referiu que a vitória frente à África do Sul, ditou, seguramente, um passo decisivo para a conquista de um resultado positivo de Angola no jogo da segunda jornada diante do Chile. Apesar de reconhecer que o Chile é um adversário forte, torce para que a vitória sorria para o lado angolano. “Não vai ser fácil, mas penso que com o apoio de todos os angolanos, a Selecção Nacional vai superar o Chile”, disse Jonas Albino.

O director da Rádio Bié mostra-se convicto de que tanto Angola como o Chile podem surpreender Portugal na disputa de acesso aos quartos-de-final desta competição no Grupo-C, cujas selecções intervenientes estão sediadas em Luanda, capital do país.Lot Chicomba, correspondente da Rádio Cinco, órgão afecto ao Grupo Rádio Nacional de Angola (RNA), sublinha que o relativo conhecimento que a equipa treinada por Orlando Graça tem do Chile, pode, à partida, ajudar na conquista de um bom resultado.

Na perspectiva deste profissional da Rádio Cinco, um bom resultado passa, indiscutivelmente, pela vitória. Lot Chicomba justificou, ainda, que depois da vitória expressiva sobre a África do Sul, que já estava nas suas previsões, “outra coisa não se pode esperar de Angola senão a qualificação para os quartos-de-final”.À voz de Jonas Albino e Lot Chicomba junta-se a de Manuel Gonçalves, delegado da Angop no Bié. O responsável referiu que, depois da vitória expressiva sobre a África do Sul, a Selecção Nacional tem de entrar determinada no duelo frente ao Chile, mantendo o mesmo ritmo da partida inaugural deste Campeonato do Mundo.

Manuel Gonçalves é de opinião que os jogadores devem procurar defender e atacar na perfeição. “Devem também procurar visar a baliza adversária, rematando à distância, como aconteceu no jogo com a África do Sul.” Num outro contexto, o delegado da Angop no Bié sugere que Angola deve manter o respeito pelo adversário, não o menosprezando, “para que no final do tempo regulamentar do desafio não seja surpreendido”, alertou.