Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Antigo praticante acredita no ressurgimento

18 de Junho, 2013

O nosso primeiro Mundial é também o primeiro Mundial do continente. Se hoje trabalharmos com afinco, amanhã as nossas alegrias vão ser maiores.

Fotografia: Jornal dos Desportos

O antigo hoquista Pedro Tchivinda afirmou esta segunda-feira, na cidade do Lubango, Huíla, que o campeonato do mundo, a disputar-se de 20 a 28 de Setembro no país, vai permitir o ressurgimento da modalidade no Namibe, palco do evento, a par de Luanda. Sobre os ganhos do campeonato inédito em África, Pedro Tchivinda mostrou-se convicto de que após a prova, a província do litoral vai ter a tendência de mostrar o potencial que detinha antes e depois da independência.

 O antigo praticante dos Dínamos do Namibe e do Benfica do Lubango afirmou que a cidade, a par de Luanda, foi das que conseguiu manter bons indicadores formar atletas que já representaram as selecções nacionais, tais como Carlos Vieira Ascêncio (falecido), Chalupa, Guto, Batalha, Albertino e Cabeça. Considerou bem vista a escolha do Namibe para um dos palcos da 41ª copa do mundo, reiterou ganhos como o relançamento do hóquei em patins actualmente em baixa devido ao fraco apoio e insuficiências de infra-estruturas.

 Para ele, depois do mundial “Angola2013”, a região sul pode promover torneios regionais com vista a promoção e o relançamento do desporto sobre rodas, além de programas coerentes de massificação a serem gizados pelas associações provinciais. Pedro Tchivinda iniciou nos Dínamos do Namibe, em 1979, e em 1982 transferiu-se para o Desportivo da Chela, agora Benfica do Lubango. Dirige actualmente um projecto de formação no Namibe. 


Comissão técnica
trabalha em Malanje

Membros da comissão técnica da Federação Angolana de Patinagem encontram-se desde ontem na província de Malanje, onde se inteiram da organização do torneio internacional de hóquei em patins “Zé Du”, a decorrer de 20 a 25 de Agosto nesta cidade. Liderada pelo vice-presidente da federação, Damásio dos Santos Kaissara”, a comitiva vai permanecer três dias nesta localidade, deve manter encontros com o governador Norberto dos Santos e membros da associação de patinagem.

Visitas de supervisão a unidades hoteleiras e similares que acolhem os participantes do torneio, assim como ao hospital geral de Malanje e postos médicos constam do programa da caravana. Os membros da comissão técnica vão ainda oferecer cem pares de patins a núcleos de formação da modalidade na província. Para albergar o torneio de hóquei em patins está a ser construído desde Outubro de 2012 um pavilhão multiuso com capacidade para três mil espectadores, cuja entrega deve acontecer a 31 de Julho.


A ABRIR  
Férias merecidas


A Selecção Nacional de hóquei em patins cumpriu mais um estágio da sua preparação para o Mundial que o país vai albergar em Setembro.
Falta pouco para a grande cimeira, se atendermos que os dias passam céleres. Depois da participação no torneio das Vindimas e na Taça das Nações em Montreux, na Suíça, o “cinco” nacional esteve em Espanha e em França, onde efectuou jogos que serviram para o técnico ter uma visão mais ampla do actual estado do conjunto.

O próximo compromisso é a Taça Zé Dú, que normalmente aglutina grandes seleccões e clubes do mundo da patinagem, e cuja edição deste ano foi reservada para a cidade de Malange que, deste modo, tem a oportunidade de ver desfilar os melhores executantes do mundo, naquela que é a antecâmara da cimeira mundial. O seleccionador nacional Orlanda Graça não se cansa de enaltecer as condições que a selecção nacional tem tido, numa altura em que cresce o sentimento de apoio à mesma.

A condição de anfitrião obriga o conjunto nacional a ter outras responsabilidades na competição, porque a ideia é tentar fazer o melhor mundial de sempre, em termos competitivos. Angola tem marcado presença regular em Mundiais e já chegou a figurar entre as sete melhores seleccões do Mundo, o que significa que o mundo sabe das nossas potencialidades.

Depois da Europa vem um merecido descanso. Curto, porque como já o dissemos aqui, o tempo não espera pelos homens. O nosso mundial está na sua fase descendente. E enquanto os nossos rapazes descansam, com férias merecidas, a organização não dorme porque o tempo é de trabalho. O nosso primeiro Mundial é também o primeiro Mundial do continente. Se hoje trabalharmos com afinco, amanhã as nossas alegrias vão ser maiores.

CUNENE
Desportistas advogam
maior divulgação do mundial

A necessidade de maior divulgação do Mundial de Hóquei em patins, que o país vai acolher em Setembro deste ano, foi defendida sábado, em Ondjiva, por desportistas da província do Cunene.

De acordo com o presidente do núcleo provincial do 1º de Agosto, Francisco Sapalalo, por ser uma prova inédita no continente africano a comissão organizadora devia reforçar o material de propaganda para a divulgação de informações nos centros urbanos e peri-urbanos. Segundo ele, há necessidade de se fazer a distribuição de panfletos, cartazes, camisolas, bonés e outros materiais para que todos angolanos possam disfrutar da festa.

Júlio Zamby Manuel, presidente da Associação de Andebol, disse que o Cunene, Enquanto província que tem porta de entrada terrestre a estrangeiros no país, devido a fronteira de Santa Clara, devia  estar já engalanada com propaganda, de modos a que os turistas levem a informação.

“Quando faltam pouco menos de 97 dias do evento, o Cohoquei devia já  disponibilizar material de propaganda do mundial e fixar a nível dos pontos
estratégicos, uma vez que na província não existe nenhum material indicativo do mundial em Angola”, realçou.