Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

António Gomes trabalha no Namibe

João Constantino, no Namibe - 21 de Setembro, 2013

António Gomes foi informado sobre as condições para a realização de uma prova sem sobressaltos

Fotografia: Francisco Bernardo

O Director Nacional do Desporto, António Gomes, trabalha  na cidade do Namibe para verificar no local as condições criadas para a realização da prova para os grupos B e D. Ontem, António Gomes reuniu com os membros da comissão preparatória.

Num encontro que teve a duração de três horas foram analisados os temas como instalações desportivas, transporte, alojamento, estado da mobilização dos grupos de apoio e de  voluntários, segurança, credenciamento e outros serviços.

Aos participantes do encontro, membros das sub-comissões, foi recomendada muita dedicação e empenho para que a prova seja um êxito a todos os níveis.

No final da reunião, o director provincial da Juventude e Desportos do Namibe, Narciso da Costa, reconfirmou estarem todas as condições criadas para um campeonato com êxito.

TUDO PRONTO
PARA O ARRANQUE

Todas as condições estão criadas para o início da prova na cidade do Namibe. Alojamento, transporte, pessoal de apoio, recinto e horário de treinos para as equipas estão acautelados, de acordo com Narciso da Costa, coordenador local da comissão preparatória do 41º Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins, Angola-2013.

“Nada falta para iniciarmos a prova que começou hoje (ontem). Aqui no Namibe estamos à espera das equipas para começarmos com a festa do hóquei em patins”, disse.

As equipas dos grupos B e D são aguardadas hoje, na cidade do Namibe, onde devem desembarcar no Aeroporto Yuri Gagarine nas primeiras horas. As equipas da Itália, Moçambique, França e Argentina estão no grupo B, enquanto as selecções dos Estados Unidos, Colômbia, Alemanha e Uruguai estão no grupo D.

Amanhã jogam Estados Unidos e Colômbia às 15h00 (D). Às 17h00 jogam Alemanha e Uruguai (B) e às 19h00 medem forças Itália e Moçambique (B). A jornada encerra com o jogo entre as selecções da França e da Argentina.


Ingressos da jornada inaugural estão esgotados

Os bilhetes para os jogos dos grupos C e D do 41º Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins estão esgotados, quando faltam menos de 24 horas para a prova começar na cidade do Namibe.

A confirmação é do director provincial da Juventude e Desportos, Narciso Costa, quando saía da reunião que manteve com o director nacional da Juventude e Desportos.

Narciso Costa afirmou que quem não conseguiu comprar bilhete não tem acesso à Arena Welwitchia do Namibe. “Não temos convites nem livre-trânsito. O acesso à Arena do Namibe, para o público, é feito através dos bilhetes comprados. Quem não comprou bilhete, escusa de se dirigir ao pavilhão”, disse.

Narciso Costa, também coordenador local do COHOQUEI, afirmou que os voluntários e outro pessoal de apoio já foram devidamente credenciados e, por isso, não há enchentes ou constrangimentos nos portões de acesso ao Arena do Namibe.


MUNDIAL
Namibe com
nova cara


A cidade do Namibe está com novo rosto. A realização do 41º Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins na província veio acelerar o acabamento de algumas infra-estruturas e serviços sociais.

Algumas ruas estão a ser requalificadas, com a recuperação dos passeios. Alguns largos e jardins estão a beneficiar de pavimentação e colocação de asfalto. As principais avenidas estão sinalizadas.

No rosto dos namibenses é visível a alegria pelos benefícios que a cidade está a ter, pois como disse um cidadão, a realização do Campeonato do Mundo na província está a trazer melhorias.

Hoje a cidade está mais segura, devido ao policiamento de proximidade. Em cada rua é visível a presença dos efectivos da Policia Nacional.


ACOMODAÇÃO
Hospedagem sem espaço


As diferentes unidades hoteleiras existentes na cidade do Namibe estão todas esgotadas. Não há espaço para acomodar mais hóspedes. Os visitantes ou excursionistas que vieram à província estão a contentar-se em alojar-se em apartamentos particulares ou mesmo em condomínios inacabados.

Quem não fez reservas e pretende ir à cidade do Namibe vai deparar muitas dificuldades para se alojar. Hotéis e hospedarias estão todos esgotados.

A solução para uns, que possuem viaturas, tem sido a praia das Miragens, na Marginal. Os excursionistas que vierem pelo Movimento Nacional Espontâneo podem ficar nas escolas.


Agentes desportivos bienos
crentes no sucesso de Angola


A vitória obtida ontem, frente à selecção da África do Sul, partida que marcou a abertura da 41ª edição do Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins deixou satisfeitos os agentes desportivos da província do Bié, que auguram uma prestação airosa do cinco nacional, que tenciona superar a melhor prestação obtida até aqui numa fase final da prova (sexto lugar).

“Nada melhor do que uma vitória na estreia para galvanizar o grupo no decurso da primeira fase da competição”, começaram por dizer os nossos entrevistados.

Domingos Pascoal, secretário provincial do Bié do Movimento Nacional Espontâneo (MNE), e Príncipe Paulo, presidente da Associação de Basquetebol local, revelaram total confiança no grupo às ordens de Orlando Graça.

O responsável do MNE no Bié sublinhou que, pela boa preparação que teve, aliando a isso a prestação positiva no Torneio Internacional “Zé Du”, disputado de 22 a 25 de Agosto em Malange, Angola pode realizar uma excelente campanha neste Mundial.

“A nossa selecção pode ainda aproveitar o facto de jogar em casa para se bater de igual para igual com os seus adversários, e em função do que eles mostraram tenho a plena confiança que vamos fazer uma campanha brilhante, que passa por superar o sexto lugar que já conquistámos num passado muito recente”, disse.

Quanto ao jogo de estreia frente à similar sul-africana, Domingos Pascoal afirmou que correspondeu às expectativas dos amantes da modalidade que auguravam uma vitória.

“Uma vitória no primeiro jogo acaba por galvanizar e tenho a certeza que os níveis de motivação para os próximos jogos estão em alta”, justificou o secretário provincial do Movimento Nacional Espontâneo no Bié.

Príncipe Paulo, que manteve uma conversa com o nosso jornal momentos antes de partir para Maputo, Moçambique, onde integra a comitiva da Selecção Nacional feminina de basquetebol, que neste país lusófono defende o título continental, também se mostrou regozijado com o triunfo frente à África do Sul.

Em relação aos outros dois adversários do Grupo-C, Portugal e Chile, Príncipe Paulo revela também algum optimismo. Quer Portugal, quer o Chile, referiu, são selecções com que Angola pode bater-se com dignidade e surpreender.

“Pelos índices de confiança reinantes no seio dos rapazes comandados por Orlando Graça, não seria espanto algum se a nossa Selecção Nacional lograsse um triunfo frente a Portugal, que é um dos mais sérios candidatos ao título”, disse.

QUINTO LUGAR
Tasnto Domingos Pascoal como Príncipe Paulo assumem o discurso de que “sonhar não é proibido”, mas, ainda assim, admitem que seria elevar demasiado a fasquia aventar a conquista do título por Angola neste Mundial.

Por essa razão, admitem o facto de que se a Selecção Nacional conseguir conquistar o quinto lugar nesta competição já é “ouro sobre azul”. Além do Grupo C, que integra as selecções de Angola, Portugal, Chile e África, o Mundial inscreve ainda outras três séries. Do Grupo A fazem parte as selecções do Brasil, Espanha, Áustria e Suíça, do B, a Argentina, Uruguai, França e Alemanha e, finalmente, do D, Moçambique, Itália, Colômbia e Estados Unidos.
João Constantino, no Cuito


Reconhecimento
Destacado o empenho do Executivo e do PR


Num outro ângulo da conversa mantida com o Jornal dos Desportos, o presidente da Associação Provincial de Basquetebol (APB) do Bié voltou a destacar os ganhos que o país obtém com a realização do Mundial de Hóquei em Patins. Príncipe Paulo aponta, neste particular, o grande envolvimento do Executivo e em especial do Presidente da República, para que o país organizasse com êxito este Mundial de Hóquei em Patins.

“Tudo isso prova a maturidade do nosso Governo e do Presidente da República, pois Angola já deu provas da sua grande capacidade de organização de eventos deste género. As organizações do Campeonato Africano das Nações (CAN) em futebol e do Afrobasket no país são prova mais do que evidente desse aspecto”, recordou. Príncipe Paulo falou, ainda, dos ganhos que se obtém com este Mundial do ponto de vista desportivo, financeiro e até de outros âmbitos, mas voltou a manifestar inquietação quanto ao aproveitamento das infra-estruturas erguidas para estes eventos.

Reconheceu, nesse sentido, que tanto o Pavilhão Multiusos de Luanda, inaugurado pelo Presidente da República, como o do Namibe, são imponentes infra-estruturas que podem ajudar a massificar as modalidades desportivas de sala.“A minha indignação está no facto de não se tirar o melhor rendimento possível dessas infra-estruturas. Face ao quadro verificado em relação aos campos de futebol erguidos no âmbito do CAN de 2010, realizado nas cidades de Luanda, Cabinda, Benguela e da Huíla, assim como dos pavilhões construídos para a edição de 1999 do Afrobasket, tem de se procurar mudar essa perspectiva e tentar rentabilizar ao máximo essas estruturas”, disse o responsável desportivo.
SVD, NO CUITO