Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Espanha supera Brasil e termina invicta

João Francisco - 25 de Setembro, 2013

Actual campeã mundial em título viu-se e desejou-se para vergar a selecção do Brasil que ainda assim conseguiu o passe para os “quartos”

Fotografia: Kindala Manuel

A selecção da Espanha, actual campeã do mundo, venceu ontem o Brasil por 5-3 no adeus do grupo A do Mundial e evita assim a Argentina nos quartos-de-final amanhã.
Espanhóis e brasileiros ofereceram um grande espectáculo. Os campeões mundiais adiantaram-se no marcador dando o primeiro sinal com o golo inaugural de Mak Goal, que soube sempre combinar as jogadas com Pedro Gil, mas o Brasil reagiu e chegou à igualdade através de uma grande penalidade.

Os brasileiros desequilibraram depois o desafio, dando a primeira cambalhota no resultado, colocando-se pela primeira vez na condição de vencedor através de um golo de belo efeito de Cláudio Silva (1-2).
Ninguém queria acreditar no que o Brasil estava a fazer frente a actual campeã mundial. Já com o sinal mais a pertencer aos brasileiros, contra a corrente do jogo a Espanha estabeleceu a igualdade (2-2), com o primeiro golo de Mak Goal que, quanto a nós, foi o melhor jogador em campo.

O Brasil continuou a jogar desinibido e, numa jogada de contra-ataque, Diogo Dias - estreante na competição mundial voltou a colocar a sua selecção na condição de vencedor, marcando o golo que lhe deu vantagem ao intervalo.

No reatamento vimos uma Espanha demolidora, apostada em mostrar o que realmente vale. E num, ápice, Pedro Gil restabeleceu a igualdade (3-3), voltando a marcar no minuto seguinte (4-3), golos que colocaram os espanhóis pela segunda na condição de vencedor. Com um pedido de “time-out” a Espanha refez-se completamente do “pesadelo” que viveu durante a etapa inicial, dando a machada final ao estabelecer o resultado final em  5-3 a seu favor.

Com este resultado a Espanha que mostrou ser um sério candidato a revalidação do seu título neste 41º mundial, terminou o seu agrupamento (A) na primeira posição com 9 pontos.

FICHA TÉCNICA
Pavilhão: Multusos de Luanda
Arbitragem: Ferrari Franco (ITA) e Guilhermo Miguel (POR)
Espanha: 1-Sergi Fernandes, 2-Antonio Perez, 3-Marc Gua (2), 4-Xavier Barroso, 5-Josep Selva, 6-Jordi Bargallo, 7-Jordi Adroher, 8-Enric Torner, 9 - Pedro Gil (3) e 10-Ricardo Maja.
Treinador : Carlos Feriche
Brasil: 1-Marcelo Tova ,2-Rafael Novaes, 3-Derivaldo Neto, 4-Andre Raposo, 5-claudio Selva (1), 6-Diego Dias(1), 7-Jurandyr da Silva(1), 8-Bruno Matos, 9-Alan Fernandes e 10- Aurelio Rieger
Treinador: Miguel  Belbruno
Final do jogo:5-3


MUNDIAL DE HÓQUEI
ÚLTIMA JORNADA
Selecção da Suíça triunfa diante da Áustria


A selecção da Suíça derrotou ontem, no pavilhão multiusos  de Luanda, a formação da Áustria, por 2-0, na terceira e última partida do grupo A do Campeonato do Mundo de hóquei em patins.

O estudo táctico dominou os primeiros seis minutos do desafio. A Suíça com um grupo mais cadenciado aproveitou uma das poucas oportunidades criadas, para rubricar o único golo marcado na primeira parte do jogo. O marcador foi baptizado com o tento de Marzia Vanina, no decorrer do sétimo minuto.

Quando se esperava maior acutilância da parte da Suíça, a partida voltou a cair na monotonia. A Áustria para evitar  a dilatação do resultado decidiu recuar no seu reduto.

A opção táctica escolhida pelo técnico austríaco Stefan Rechiem surpreendeu o adversário que sentiu imensas dificuldades de derrubar a forte muralha defensiva montada.  As duas formações foram para o período do repouso, com a Suíça no comando (1-0). No reatamento, as equipas entraram com as mesmas ideologias tácticas.

A Suíça tentou alterar o quadro defensivo imposto pela Áustria, tentando puxar o adversário para o lado, com finalidade de criar espaços vazios mas teimosamente o adversário não cedeu. A alternativa encontrada foi colocar a bola em constante circulação e nalguns casos optou por oferecer o esférico ao adversário, no sentido de o forçar ao ataque. Aos 18 minutos, numa oferta “minada” de Matti Thibaut, da Suíça, Thomas Kessler, da Áustria, conduziu mal a sua equipa ao contra ataque e sofreu um desarme que colocou isolado Juhua Imhof, da Suíça. Pascal Kissling, que agradeceu com eficiência.
Álvaro Alexandre

FICHA TÉCNICA
Pavilhão:
Multiusos de Luanda
Arbitragem: Edelfride Cipriano (Angola) e Álvaro Mezo (Chile)
Suíça: 1- Patrick Muhlheim, 2- Nicola Imhof, 3-Matti Thibaut, 4- Jonas Jimenez, 5-Simon Von Allmem, 6- Marzia Vanina (1), 7-Pascal Kissling (1), 8- Joshua Imhof, 9- Valérien Van Daniken , 10- Guillaume Obusan.
Treinador: Gerald Brentini
Áustria: 1- Andreas Kunz, 2 – Roche Brunner, 3 – Thomas Kessler, 4 – Jakob Stockinger, 5 – David Huber, 6 - Dominic Hinteregger, 7 – Manuel Parfant, 8 – Tobias Winder, 9 - Robin Wolf e Tobias Suntinger.
Treinador: Stefan Reichenr
Intervalo: 1-0
Final do jogo: 2-0

DECLARAÇÕES
Gerald Brentini - “Acusamos o stress”

O seleccionador da Suíça considerou que a vitória alcançada ontem, no encerramento do grupo A foi confortante para a sua equipa.
“Foi importante terminar a primeira fase com triunfo. Ganhámos por dois a zero e sinto-me feliz”, disse.
Gerald Brentini revelou que a partida foi bastante complicada. “Não foi boa para nós. Sofremos bastante para vencermos o nosso adversário. A Áustria fez um excelente jogo, dificultou as acções de jogo que criamos e acusamos o stress”, reconheceu.
Álvaro Alexandre

Stefan Reichen - “Faltou-nos experiência”

O técnico Stefan Reichen, da Áustria, disse que faltou experiência na equipa.
“Criamos algumas oportunidades que não conseguimos concluir com êxito e só temos de nos queixar de nós próprios. A maioria parte da nossa equipa está composta por jovens carentes de experiência e isto é desfavorável”, reconheceu.
Stefan Reichen afirmou que é preciso melhorar, para sonhar com bom resultado no Namibe. “A nossa presença em Luanda é uma grande experiência. É importante melhorar a nossa organização para obtemos uma boa classificação na fase do Namibe”, traçou.
Álvaro Alexandre


GRUPO B
França garante a segunda vaga


A selecção da França conseguiu ontem o apuramento aos quartos- de-final do 41º Campeonato do Mundo de hóquei em patins ao vencer a Alemanha por tangencial (1-0).

Os franceses valeram-se do golo apontado por Anthony Weber e guardaram bem o sector mais recuado da equipa, ante uma actuação mais visível dos alemães.
Num jogo muito táctico, onde ambas as equipas necessitavam de vencer para alcançar os quartos-de-final, os franceses criaram uma oportunidade de ouro.
Terminada a primeira fase do grupo B, a Argentina ficou em primeiro lugar, com nove pontos, seguida da França com seis, da Alemanha, com três e do Uruguai sem ponto.

O treinador da França, Fabien Savreux, manifestou-se ontem, no pavilhão Welwitschia Mirabilis, no Namibe, satisfeito com o desempenho dos seus atletas que se qualificaram para os quartos-de-final ao vencer a Alemanha por, 1-0.

Falando em conferência de imprensa, o técnico gaulês disse que os seus atletas conseguiram cumprir com os objectivos, embora o ataque não tenha resultado em eficácia atendendo as oportunidades de golos que tiveram ao longo da partida.

“ Agora a equipa está a jogar na medida, por isso iremos a Luanda com determinação para poder contrariar o favoritismo dos espanhóis, embora seja difícil, uma vez que a Espanha conhece muito bem o pavilhão de Luanda”, considerou o técnico.

Fabien Savreux referiu que, a selecção francesa deixa a cidade do Namibe hoje, com “muitas” preocupações sendo que a Espanha vai aproveitar o factor tempo e o conhecimento do pavilhão para fazer o seu jogo.

Entretanto, para contrapor a situação, o treinador francês informou que equipa técnica vai trabalhar principalmente nos aspectos psicológicos na perspectiva de recuperar os jogadores.

Fabien Savreux manifestou-se, no entanto, regozijado com a organização do campeonato a nível da província do Namibe, palco dos grupos B e D, tendo considerado  positivo.

FICHA TÉCNICA
Pavilhão:
Welwitschia do Namibe
França (1): 1- Alan Audelin, 2- Mathieu Guibot, 3- Wilfried Roux, 4- Anthony Weber (1), 5- Cirilo Garcia, 6-Mathieu Leroux, 7- Alberto Morales, 8- Frorent David, 9- omar Nedder e 10- Xavier Tanguy.
Treinador: Fabien Savreux
Alemanha (0):  1- Patrick Glowka, 2- Lucas Karschau, 3- Felix Bender, Kai Milewski, 5- Yannick Peinke, 6- Jonas Pink, 7- Jorge Fonseca, 8- Sergio Pereira, 9- Tobias Paczi e 10 – Lukas Kost.
Treinador: Mike Neubauer.

João Constantino, enviado ao Namibe

FASE PRELIMINAR
Argentinos invictos


A selecção da Argentina terminou invicta a primeira fase do 41º Campeonato do Mundo de hóquei em patins ao vencer ontem a frágil selecção do Uruguai por expressivos 7-0, numa partida em que o vencedor nunca esteve em causa.
O técnico Argentino fez um jogo de contenção. Utilizou pouco as suas principais unidades e rodou os atletas suplentes. Matias Pascoal fez um hac-trik e Dário Chavier, Paulo Garcia, Mário Figueiroa e Matias Platero marcaram igualmente pelos argentinos.

O resultado foi enaltecido pelo capitão uruguaio que louvou a atitude dos argentinos que reconheceram o seu fraco nível técnico.
O treinador da Argentina confirmou que o jogo de ontem foi de contenção, a fim de preparar os jogadores para a próxima fase, que começa amanhã.
“Hoje fizemos um jogo mais calmo para respeitar o nosso adversário e utilizar os atletas pouco utilizados. A nossa competição começa na quinta-feira”, disse.

FICHA TÉCNICA
Pavilhão:
Multiusos de Luanda
Arbitragem: Patrícia Costa
e Jorge Borges (angolanos)
Assistência: Mil espectadores
Argentina (7): 1- Valentin Grimal, 2- Dário Hernandez (1), 3- Matias Pascual (3), 4- Paulo Garcia (1), 5-Carlos Nocolia, 6- Esteban Abalos, 7- Mário Figueroa (1), 8-Matias Platero (1) 9 Carlos Lopes e Daniel Merino.
Treinador: Carlos Coria
URUGUAI (0) : Mariano Vignapiano, 2- Emiliano Bentos, 3 –Facundo Dufrechou, 4- Francisco Pardo, 5- Mateo Scarpita, 6- Gustavo Castro, 7-Yonhantan Velasco, 8-Mauro Corbo, 9-Claudio Maeso e 10 Nicolas Baptista.
Treinador: Jorge Escobar
Intervalo: 4-0
Final do jogo: 7-0
João Constantino, enviado ao Namibe


GRUPO D
Equipa de Moçambique confirma passagem

Com uma exibição extraordinária, a selecção moçambicana carimbou ontem, no Pavilhão Arena Welwitchia Mirabilis do Namibe, a passagem para os quartos-de-final, ao derrotar a sua similar da Colômbia, por expressivos 5-1, em partida referente à última jornada da fase preliminar do Grupo D da 41ª edição do Campeonato Mundo de hóquei em patins.

A formação oriunda do Oceano Índico que mostrou muita garra durante a partida começou a definir a sua confirmação à fase seguinte logo no minuto sete da etapa inicial, por intermédio de Nuno Araújo, depois de um período do estudo mútuo por parte das equipas.
 Os pupilos de José Querido conduziram da melhor forma o esférico do meio campo ao ataque, com a intenção de dilatar a vantagem, já que entraram com a lição bem estuda. Face a essa investidas o segundo golo surgiu aos 12 minutos fruto da marcação de uma grande penalidade devido a uma falta cometida pela equipa adversária.

Mário Rodrigues que foi o herói do desafio, chamado a cobrar o penálti fê-lo com categoria. Estava feito o 2-0 a favor dos moçambicanos.
A equipa da Colômbia vendo-se “afogada”, pressionou para inverter o resultado. E a faltar seis minutos para o intervalo Camilo Trujillo reduziu para 2-1. Com o golo dos colombianos, o jogo ganhou outra dinâmica. Naquele período, a selecção de Moçambique sentiu imensas dificuldades com os rapazes comandados por Fernando Sierra a implementaram um sistema de pressão homem a homem.  Porém, sem conseguirem concretizar as oportunidades em golo até ao apito para o fim da primeira parte.

 Na etapa complementar, a selecção dirigida tecnicamente por José Querido entrou na quadra de jogo com o espírito de dilatar a vantagem tendo o desafio ganho outra emoção. Os moçambicanos tentaram surpreender com fortes remates à longa distância, mas não obtiveram sucesso, pois os colombianos impediram da melhor forma com boas intervenções do guarda-redes Juan Gonzalez.

Contudo, diga-se em abono da verdade, a selecção de Moçambique depois de ter efectuado uma grande exibição na segunda jornada diante dos EUA no jogo de ontem encontrou imensas dificuldades frente aos colombianos que usaram outra postura em campo.
A Colômbia beneficiou de um livre directo quando faltava seis minutos do fim, mas não conseguiu finalizar em golo, perdendo deste modo aquela que seria a oportunidade para estabelecer a igualdade.

Nuno Araújo, na marcação de um livre directo ampliou o marcador para 3-1. No fim da partida, os moçambicanos mais galvanizados deram o “show” de patinagem com contra-ataque rápidos fazendo circular a bola a todo terreno da quadra. Foi assim, que surgiu o quarto golo. E, a faltarem 45 segundo para o fim da partida, Mário Rodrigues finalizou bem um passe de seu colega e fixou o resultado final em 5-1.A Itália bateu os E.U.A, por 10-0.
 Gaudêncio Hamelay, no Namibe

FICHA TÉCNICA
Pavilhão:
Welwistchia Mirabilis
Arbitragem: Gianni Fermi (Itália), Sanchez (Espanha) e Patrícia Costa (Angola).
Moçambique: Arnaldo Queirós, Filipe Nabais, Nelson Miquicene, Nuno Araujo, Bruno Pinto, Spiros Esculudes, Mário Rodrigues, Carlos Saraiva, Ivan Esculudes e Igor Alves.
Treinador:José Querido
Colômbia: Juan Gonzalez, Eduardo Suescun, Daniel Restrepo, Camilo Trujillo, Jonathan Orozco, Esterban Campo, Raul Himcapie, David Acosta, José Arango e David Quintero.
Treinador: Fernando Sierra
Final do jogo: 5-1