Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

FAP reafirma crena no Campeonato Mundial

Silva Cacuti - 23 de Maio, 2019

Angolanos vo disputar Mundial de Barcelona no mximo da fora

Fotografia: Edies Novembro

O quadro de dificuldades, em torno da participação angolana no próximo Campeonato do Mundo, não desanima o vice-presidente da Federação Angolana de Patinagem, em relação à presença da equipa na prova. Pedro Azevedo disse ao Jornal dos Desportos que a instituição não tem as condições necessárias, mas nunca pensou em desistir de participar.
"Não pensamos em desistir. Sabemos que haverá condições para ir ao mundial, só não sabemos se vamos com as melhores condições, médias ou as mínimas condições. Estamos numa fase em que a prova foi sorteada e não há como desistir", disse.
Aliás, uma eventual desistência ia acarretar consequências amargas para o hóquei em patins angolano. " Não participação implicaria a descida para o grupo C, ou seja, a Taça intercontinental. A acontecer, Angola só teria possibilidade de voltar ao mundial de Elite, na edição de 2023, caso não haja outras punições", explicou.
A Federação trabalha para a busca de condições aceitáveis, a fim de convencer o treinador Fernando Fallé a regressar ao comando da equipa nacional. "Conversamos com o treinador e há progressos em relação à questão de reunir condições, para que a equipa trabalhe sem constrangimentos. Não estamos a procurar um plano B, porque sabemos que ao finalizarmos a questão, condições, o treinador vai pegar a equipa", garantiu.
Fernando Fallé bateu com a porta, depois da participação da equipa nacional no torneio internacional de Montreux, Suíça, onde a equipa nacional obteve o quarto lugar. O treinador preferiu não avançar as razões da demissão e a Federação nunca abordou o assunto claramente.
O Jornal dos Desportos sabe, que há dívidas avultadas de salários e prémios com a equipa técnica. Da parte dos atletas, também, mostram-se contrariados a trabalhar para a selecção, porque não recebem os seus prémios.
"Ganhámos o campeonato africano, e não recebemos nenhum ‘mimo’ da Federação. Sabemos que nestes casos, há um prémio do Estado angolano, estamos à espera. Mas não foi elegante jogar em Montreux, sem nos darem os prémios", desabafou um dos integrantes da selecção.
Manuel Lutonádio, antigo praticante, diz não entender o não pagamento de prémios aos atletas, quando houve um orçamento que coberto pelo Estado e por parceiros da Federação.
"Ouvimos, que a prova africana, teve um jogo por dia, estava orçamentada em 30 milhões de Kwanzas, que o ministério garantiu 15 e a outra parte foi assegurada por parceiros da Federação. Será que os prémios dos atletas não constaram desse orçamento? É inaceitável", disse.
A Selecção Nacional de hóquei em patins vai jogar o campeonato do mundo de Barcelona, Espanha, inserida no grupo A, ao lado de Espanha (campeã mundial), França e Itália, segundo ditou o sorteio da prova que se realizou ontem, no Museu Olímpico do desporto de Barcelona, Espanha. O mundial vai disputar-se de 7 a 14 de Junho, em Barcelona, inserido na segunda edição dos Jogos mundiais de Patinagem.