Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ministro Muandumba faz apelo a patriotismo dos voluntários

João Upale| Namibe - 01 de Julho, 2013

Gonçalves Muandumba está convicto do sucesso da organização do primeiro campeonato mundial em África e em Angola

Fotografia: Jornal dos Desportos

O coordenador da Comissão organizadora da 41ª edição do campeonato do mundo de hóquei em patins encorajou na cidade do Namibe a todos os voluntários, quer desta província, quer de Luanda, quanto de Malanje, a dar o seu melhor na organização do evento mundial que se realiza de 20 a 28 de Setembro. Muandumba realçou que só assim o país pode sair vencedor na organização deste imponente evento.

Gonçalves Muandumba lançou o apelo, aquando da última visita de constatação feita às obras das infra-estruturas hoteleiras, desportivas e aeronáuticas no Namibe. Na ocasião, ressaltou que todas as envolventes vão evidenciar o acolhimento das delegações desportivas, turistas, entre outros visitantes.

GARANTIR
A QUALIDADE

O coordenador da COHÓQUEI e igualmente ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, realçou ainda o esforço “patriótico” dos operários bem como dos trabalhadores que estão a construir os pavilhões e os hotéis, a quem desejou e pediu “mais e mais empenho, dedicação, redobrar o trabalho e garantir a qualidade”. Para Gonçalves Muandumba, o sucesso do evento depende do esforço de todos e apelou à imprensa a mobilizar cada vez mais a nação em torno do grande acontecimento. “No fim, é Angola que ganha; a subir, a crescer e é a África a sorrir”, enfatizou.

Gonçalves Muandumba agradeceu a total cooperação do governo da província do Namibe e das direcções provinciais. Apelou ao redobrado esforço para que se “concluam  bem e com segurança” todas outras questões que se colocam como a qualidade de equipamento no tempo que falta. O ministro Gonçalves Muandumba anunciou a criação de uma parceria público-privada em breve para que sejam garantidas a manutenção e gestão dos pavilhões com todas as garantias de qualidade, conservação e do bom uso.

ESTÁGIO
A selecção nacional de hóquei em patins vai estagiar na cidade do Namibe depois de participar no torneio internacional Zé Du a realizar-se de 20 a 25 de Agosto na província de Malanje. A informação é do presidente da Federação Angolana de Patinagem, Carlos Alberto Jaime “Calabeto”. A equipa de Orlando Graça vai ficar no Namibe na primeira semana de Setembro.

DURANTE O MUNDIAL
Ministério da Saúde assegura sanidade


O Ministro da Saúde, José Van-Dúnem, garantiu o empenho do seu pelouro para que a 41ª edição do campeonato mundial de hóquei em patins, a ter lugar de 20 a 28 de Setembro, nas províncias de Luanda e do Namibe,para que  decorra num ambiente salutar. Abordado pelo Jornal dos Desportos, à margem da cerimónia do sorteio realizada, no Centro de Convenções de Talatona, o titular da pasta ministerial frisou que os quadros da medicina nacional  trabalham em sintonia com as demais estruturas envolvidas na grande empreitada, de forma que nenhuma questão do fórum biológico coloque em causa o sucesso que se espera.

Para José Van-Dúnem, a realização do mundial de hóquei em patins já começou a surtir bons efeitos no que tange à melhoria da saúde dos cidadãos nacionais, sobretudo, nas camadas mais jovens. O ministro realçou que já se constata nesta franja grande adesão à prática da patinagem nos recintos públicos construídos pelo Executivo.

O dirigente reiterou a importância do desporto na melhoria da vida dos cidadãos ao dizer que o Executivo, liderado pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, aposta na massificação do desporto para promover hábitos saudáveis no seio da população, na medida em que os benefícios que advêm da prática desportiva sejam incontestáveis.

“O Mundial de hóquei em patins é uma empreitada do Executivo que também se enquadra no âmbito dos esforços em prol da melhoria da qualidade de vida da população, em que todos os segmentos da sociedade estão envolvidos. E, como é óbvio, o Ministério da Saúde procura cumprir o seu papel com uma estratégia bem definida com os demais sectores de forma que tenhamos um ambiente salutar”, disse o ministro José Van Dunen.
HÉLDER JEREMIAS

GARANTIAS
Piso do pavilhão do Namibe
concluído no início de Julho


O piso do pavilhão que vai acolher os jogos do mundial de hóquei em patins na província do Namibe vai estar concluído na primeira quinzena do mês de Julho, garantiu o responsável da empresa construtora, Artur Almeida. Tal garantia foi dada numa visita efectuada no sábado à infra-estrutura por uma comitiva de governadores afectos às províncias do Namibe, Huíla, Kuando-Kubango, Bié e Huambo.

Durante a visita, os governantes receberam explicações do responsável da obra, que descreveu estar em  bom ritmo. Nessa fase de conclusão, Artur Almeida esclareceu que já está a  montar todo o sistema de telecomunicações a partir da empresa Telecom, internet e outros serviços, bem como o placar electrónico, sistemas de som (colunas e altifalantes), ventilação e sistema de água e energia.

Na parte de fora já é notório o trabalho de execução de passeios e parque de estacionamento para viaturas, colocação de árvores e trabalhos de arruamentos, iluminação pública, bem como as vias de acesso que ligam o pavilhão ao estádio municipal Joaquim Morais e ao aeroporto Yuri Gagarine, que também se encontra em obras. Igualmente foram montados, entre outros compartimentos, as bancadas e divisórias de áreas VIPs, camarotes e zona de imprensa.

A obra iniciou em Outubro de 2012 e tem como data de conclusão o dia 31 de Julho. Um bilião, 373 milhões, 619 mil e 500 kwanzas é o custo da empreitada. Com capacidade para três mil e 73 espectadores, o edifício comporta áreas administrativas, balneários, vestuário, ginásio, posto médico, restaurante, entre outros serviços.

Durante a 41ª do campeonato mundial de hóquei em patins, o pavilhão do Namibe vai albergar duas séries, mormente, a B constituída pela Argentina, França, Alemanha, e Inglaterra e a D, por Moçambique, Itália, Colômbia e USA.

CRÓNICA DA VIAGEM
Mundial de Hóquei 
longe da Namíbia

Pouco ou nada mesmo nada se sabe sobre o campeonato mundial de hóquei em patins que se realiza em Angola, no próximo mês de Setembro, nas cidades de Luanda e do Namibe, aqui na cidade de Windhoek. Andei pelas ruas da cidade capital da Namíbia surpreendi –me pois os jovens angolanos nas suas conversas falavam só  sobre o estado do país e da sua evolução. A maior parte da juventude namibiana até mesmo os angolanos residentes nas terras de Sam Nujoma preferiam omitir as suas opiniões sobre o que sabem da terra de Agostinho Neto.

Parece mentira, mas é o que constatámos. Um ou outro elemento sabe sobre o evento de dimensão mundial que o país vai acolher. Este facto chamou-me a atenção, pois até mesmo nas estações televisivas deste país pouco ou mesmo nada passa sobre a matéria. Quiz aprofundar mais sobre a modalidade. Procurei saber sobre o Torneio Internacional Ze-Dú, que se realiza na cidade de Malanje, no mês de Agosto, e a verdade é que também está a passar despercebido na Namíbia. Fui aconselhado pelo nosso guia a não continuar a questionar, pois corria o risco de ser mal interpretado.

Não fiquei satisfeito com esse tipo de comportamento dos nossos jovens, apesar de muitos deles terem justificado que o desporto nessas paragens não tem muito significado até mesmo o futebol. Mas na verdade,é que  nas minhas andanças, encontrei estádios e campos com condições para a boa prática de futebol. Dentre os estádios,  o que mais me chamou a atenção é o Sam Nujoma Stadium que fica no bairro da Katutura, arredores da cidade de Windhoek.

Um estádio com os requisitos recomendáveis internacionalmente. Pena é que o último grande jogo, que lotou as bancadas, foi quando a Selecção da Namíbia recebeu a da Nigéria para o apuramento ao Mundial de 2014 no Brasil. De lá para cá nunca mais se viu público nos campos, tal como nos contou o nosso guia. De resto, a cidade oferece hospitalidade, pois tem vida para viver, a julgar pelo modo de viver de cada um. Em cada rua ou avenida, em que passamos, conseguimos identificar pelos menos dois ou três angolanos, pela simpatia que caracteriza o angolano, tal como nos disse a senhora Xana Aragão, adida de imprensa da Embaixada de Angola.

A diplomata assegurou-nos mais de cinco mil angolanos são o número da comunidade angolana residente na Namíbia. Xana é uma senhora de trato fácil e bastante atenciosa já a somar mais de cinquenta anos de idade. A diplomata garantiu que vai fazer tudo que estiver ao seu alcance no sentido de dar a conhecer o Mundial de hóquei em patins que o nosso país vai organizar em Setembro próximo,e vai  aproveitar-se  da presença da imprensa angolana na Namíbia. Que assim seja!
AVELINO UMBA em Windhoek 

CONSTATAÇÃO
Graça quer atletas auto-suficientes

A auto-suficiência dos atletas, um trabalho que se desenvolve nos diferentes torneios, é a estratégia da Selecção de Angola para o Campeonato do Mundo, a realizar-se de 20 a 28 de Setembro, em Luanda e no Namibe, segundo o técnico da selecção nacional de hóquei em patins, Orlando Graça.
Falando no final da cerimónia de emparceiramento do evento desportivo, realizada no Centro de Convenções de Talatona, o seleccionador nacional explicou que pretende um conjunto equilibrado em que todos os elementos saibam defender e atacar de forma continuada.

Orlando Graça explicou que tem realizado trabalho específico com determinados jogadores para os potenciar quanto à capacidade de remate, referindo-se aos atacantes Márcio e Paizinho, os mais visados. “Eles já possuem capacidade de remate, o que estamos a trabalhar tem mais a ver com o direccionar da bola, de acordo com a intenção do homem que executa a acção”, explicou o treinador, para quem o sorteio determinou jogos de crescente grau de dificuldade.

Para ele, jogar com a África do Sul na estreia, formação teoricamente menos cotada do grupo C, seguindo-se o Chile, que considera do mesmo nível que Angola, e depois com Portugal, a favorita, facilita a gestão da prova. O líder dos terceiros classificados do torneio internacional de Montreux, em Abril, disse que Angola vai jogar para ganhar o campeonato, mas que teoricamente e numa análise mais positivista, as possibilidades apontam para uma classificação depois dos três ou quatro primeiros lugares, atrás de Portugal, Espanha, Itália ou Argentina.

Gestor do CDUA
“implora” apoios


O gestor das instalações do Clube Desportivo da Universidade Agostinho Neto (CDUA), António Vicente, solicita apoios das instituições ligados aos desportos para reabilitação do pavilhão com tradição na formação de jogadores de hóquei em patins e de basquetebol.O responsável recordou que “grandes” jogadores de hóquei em patins saírem do CDUA, como Julião, Pepe e Caissara (o último deu nome à mascote do mundial que Angola alberga de 20 a 29 de Setembro). Por esse motivo, defendeu, deve haver uma intervenção para a recuperação da zona desportiva.

António Vicente explicou que, com a realização da prova mundial, é importante que se reabilitem os espaços com tradição de formação de hoquistas no país e que venha incentivar a juventude para o surgimento de novos atletas.O gestor do CDUA explicou que o campo está próximo de uma zona, onde antigamente existiam muitos praticantes (bairro do Cassenda), mas com a degradação das instalações muitas pessoas deixaram de patinar no local.António Vicente elogiou ainda a direcção do Benfica de Luanda e do Clube 1º de Agosto, que “têm sabido” aproveitar o local para o treino das suas equipas de hóquei em patins, algo que ajuda a manter “vivas” as instalações, com trabalhos de melhoramento do local.