Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Moçambique desce três lugares

João Francisco - 29 de Setembro, 2013

Moçambicanos e franceses proporcionaram uma partida cheia de intensidade desde os primeiros momentos do jogo e os amantes da modalidade desfrutaram de belas jogadas que ficaram retidas

Fotografia: Rogério Tuti

A selecção de Moçambique mostrou ser de facto uma das melhores equipas de língua portuguesa - depois de Portugal e Brasil - que estiveram presentes no 41º Campeonato do Mundo de hóquei em patins organizado por Angola nas cidades de Luanda e Namibe, ao assegurar o sétimo lugar, depois de derrotar ontem, no Pavilhão Multiusos do Kilamba, a sua congénere da França, por 5-4, partida que contou para as classificativas do sétimo e oitavo lugares.

O posicionamento de ambas as equipas, na fase de grupos, vindas do Namibe, onde ocuparam os segundos lugares (grupos B e D), apurando-se para os quartos-de-final, nos quais foram copiosamente derrotadas, prometia uma partida bastante disputada.

Os moçambicanos assumiram a liderança do jogo. Na primeira parte venciam por (3-2), uma diferença mínima que apesar de tudo serviu para valorizar a melhor equipa em campo.

No reatamento, os irmãos do Índico ampliaram para 4-2 e os franceses reduziram para 4-3, mantendo a toada de ataque e resposta. E mantendo a toada do “ora marco eu, ora marcas tu” que predominou ao longo de todo o desafio, os moçambicanos marcaram mais um golo (5-3) e os franceses voltaram a reduzir para 5-4, resultado com que terminou o jogo.

Em suma, podemos afirmar, sem medo de errar, que os moçambicanos, apesar de não  conseguirem manter o quarto lugar alcançado no Campeonato anterior, fizeram as honras dos países africanos de língua oficial portuguesa, fazendo a trajectória que Angola devia ter nesta primeira prova realizada no continente africano.

TRAJECTÓRIA
DAS DUAS SELECÇÕES

 Moçambicanos e franceses trilharam caminhos iguais no Namibe. Moçambique começou o seu Campeonato no Grupo D, sendo o segundo classificado, com seis pontos, atrás da Itália (9), tendo ambas sido apuradas para os quartos-de-final, à frente dos Estados Unidos (3) e Colômbia (0). A França esteve no Grupo B, sedeado igualmente no Namibe, e ficou também na segunda posição, com os mesmos seis pontos, atrás da Argentina que terminou invicta (9), à frente da Alemanha (3) e Uruguai (0).


FICHA TÉCNICA


Pavilhão Multiusos de Luanda
Assistência: 600 espectadores
Arbitragem: Leandro Agra (Brasil) e Josep Navarro  (Espanha)

Moçambique:
  1- Arnaldo Queiroz, 2- Felipe Nabais, 3 - Nelson Miquicene, 4 - Nuno Araújo (2), 5- Bruno Pinto, 6 - Spiros Esculudes, 7 - Mário Rodrigues, 8 - Carlos Saraiva (3), 9 - Ivan Esculudes, 10 - Igor Alves.  
Treinador: José Querido

França:  1- Alan Audelin, 2- Mathieu Guibot, 3- Wilfried Roux, 4-  Anthony Weber (1), 5 - Cirilo Garcia (1), 6 - Mathieu Le Roux (1), 7 - Alberto Morales, 8 - Florent David (1), 9 - Otmar Nedder e 10 - Xavier Tanguy.
Treinador: Fabien Savreux

Intervalo: 3-2
Final: 5 -4


Desempenho
Técnico Gerald Brentin
agradado com prestação


O treinador da selecção da Suíça, Gerald Brentin, mostrou-se, ontem, no final da partida com a selecção de Angola, satisfeito com o décimo lugar alcançado neste campeonato mundial de hóquei em patins que o pais acolhe nas cidades do Namibe e Luanda.

Gerald Brentin reconheceu o nível competitivo de Angola. “Os angolanos são fortes. Conseguem movimentar-se em todos os cantos do rinque, o que lhes permitiu obter o nono lugar, foi pena não terem alcançado um dos oito primeiros lugares”. disse o técnico. Em termos de organização, disse sair satisfeito deste mundial porque os angolanos superaram a expectativa, desde a organização, acomodação e o acolhimento do público.

O que mais marcou este treinador foi o facto de estar cá pela primeira vez. “O ambiente e o calor do público permitiu mais uma vez demonstrar que este povo angolano é acolhedor e excelente. Desde o princípio tivemos a impressão de que o ambiente seria de um povo solidário e foi o que notámos.”

A selecção da Suíça, disse, vai continuar a trabalhar por forma a melhorar a sua “performance”.


RECONHECIMENTO
Seleccionador francês feliz com a organização


O seleccionador nacional de França, Fabien Savreux, afirmou que a organização do Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins, a disputar no seu país em 2015, deve estar ao mesmo nível do de Angola.

Falando à imprensa no final da partida em que perdeu diante de Moçambique por 4-5, disse que a França já está a preparar-se para que a competição tenha as condições desejadas.

Quanto à participação da equipa, salientou que tudo fez para manter a classificação da edição anterior, mas falhou frente a Moçambique, que também lutava pelo mesmo objectivo.

“Vamos continuar a trabalhar para que a nossa equipa no próximo campeonato, por sinal em casa, seja melhor", concluiu.