Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mundial reflexo de confiana na viso do governador da Hula

Benigno Narciso, no Lubango - 11 de Maio, 2013

Joo Marcelino Tchipingui vaticina quatro primeiros lugares para Angola

Fotografia: Jornal dos Desportos

A realização do 41º Campeonato do Mundo de hóquei em patins em Angola é o reflexo do reconhecimento e da confiança do mundo na capacidade organizativa do governo angolano. A afirmação é do governador da província da Huíla, João Marcelino Tchipingui. O chefe do executivo huilano fez essa consideração no final da visita de trabalho que efectuou ao Estádio Nacional da Tundavala, na passada terça-feira, na cidade do Lubango, para avaliar as novas condições da relva.

João Marcelino Tchipingui considerou que a disputa do Campeonato do Mundo em Setembro próximo nas cidades de Luanda e do Namibe constitui uma mais-valia para o país, por implicar a criação de novas infra-estruturas desportivas, hoteleiras, rodoviárias e outras. “É uma mais-valia, porque Angola continua a crescer e a somar. Por isso, a organização desse evento mundial denota que o mundo está a reconhecer as capacidades dos angolanos, em especial do nosso governo”, justificou.

Quanto ao envolvimento e contributo da Huíla na criação de condições para uma organização exemplar e revestida de êxito, o governante assegurou que a cidade do Namibe, vai acolher uma das fases do Mundial, já conta com o auxílio da província da Huíla. Especificou que, por força das obras em curso para a modernização do Aeroporto do Namíbe, a cidade do Lubango, através do Aeroporto internacional da Mukanka, recebe os vôos de carga e de passageiros com destino àquela cidade. Da capital huilana, os passageiros partem por via terrestre para a província vizinha.

“Já estamos a dar o nosso contributo e vamos continuar para não ficarmos atrás. O Namibe já conta connosco. Os aviões aterram no Lubango, de onde os passageiros e a carga seguem para o Namíbe. Portanto, é um grande apoio”, manifestou.

João Marcelino Tchipingui expressou a disponibilidade do governo da província em continuar a prestar o seu contributo.
“Continuamos a ser solidários com os nossos camaradas do Namibe e com o governo central que está envolvido nesse grande projecto”, manifestou.
O governador da Huíla manifestou-se confiante quanto à campanha da Selecção Nacional no Mundial. Tchipingui assegura que Angola vai figurar entre os quatro primeiros classificados.

“Acredito que podemos conquistar um dos quatro primeiros lugares. Se estamos a participar e fomos escolhidos, é porque a nossa participação internacional tem sido boa. Se não fosse, Angola não seria escolhida. Por isso, temos confiança na participação positiva da nossa selecção”, manifestou.


CONCURSO PÚBLICO
Consenso no nome da Arena do Namibe


O concurso público nacional para o  nome e para o logótipo a atribuir ao pavilhão do Namibe, que vai albergar uma das séries do campeonato mundial de hóquei em patins, termina no próximo dia 15 do corrente. Até quarta-feira, o júri só havia recebido quatro propostas. Idilberto Madeira Mendo, membro do Júri, disse ao Jornal dos Desportos que esperavam por mais propostas a fim de avaliarem a melhor que vai dar nome à Arena e ao logótipo.
“Vamos aguardar até ao dia 15 do corrente”, prometeu.

Nos círculos desportivos da província, Álvaro Ascenso continua a ser o nome mais badalado. Alguns entrevistados afirmaram que se trata do nome de um grande impulsionador do hóquei em patins no Namibe, em particular, e no país, no geral. A Associação dos Amigos e Naturais do Namibe residentes em Luanda (DUNAMI) e a Associação provincial da modalidade partilham da mesma ideia, dai que tudo concorre para que a Arena do Namibe venha a chamar-se Álvaro Ascenso.

O presidente da Associação provincial de hóquei em patins, Zeferino Guto, acredita que o nome vai ser o de Álvaro Ascenso, porque foi o dinamizador do hóquei em patins no Namibe nos primórdios da independência nacional, formando garotos dos seis aos 12 e 14 anos de idade com custos próprios. “Apoiamos como forma de homenagear o Álvaro Ascenso por ser, sem dúvida, o homem que fez do hóquei em patins a sua vida; jogou, ensinou e deixou marcas nos anais da modalidade e do desporto namibense. Por isso, não temos outra escolha se não a de imortalizá-lo”, disse.


EQUIPAS  NAMIBENSES
Atlético e Ferrovia preparam Mundial

O Atlético do Namibe e o Ferrovia trabalham afincadamente visando a participação nas provas do calendário da Associação Provincial e no campeonato mundial de hóquei em patins, que o país acolhe de 20 a 28 de Setembro próximo. Inácio Santos Mama trabalha nos próximos dias nesta cidade com os atletas juniores e juvenis do Atlético do Namibe e  do Ferrovia com vista à preparação dos jovens jogadores tendo em vista a realização do mundial de hóquei. As duas equipas podem ser solicitadas para jogos de controlo das selecções que vão “residir” na cidade da Welwitchia Mirabilis, durante o Mundial. Para o presidente da Associação Provincial da modalidade, Zeferino Guto, o Mundial é uma oportunidade para os garotos ganharem mais experiência sobre o treinamento desportivo e participação num evento dessa magnitude.