Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Mundial permite a expansão

Sérgio V. Dias/No Cuito - 28 de Setembro, 2013

Coordenador do Núcleo do Bié espera boa atitude de Angola na fase de consolação onde somaram já duas vitórias

Fotografia: Kindala Manuel

O coordenador do Núcleo Provincial de hóquei em patins destacou, em declarações ao Jornal dos Desportos, a qualidade evidenciada no Campeonato do Mundo pelas equipas intervenientes.

O responsável do hóquei em patins no Bié lembrou também que a organização deste Mundial por Angola pode abrir o caminho para a expansão da modalidade no país, já que nesta altura poucas províncias a praticam.

“Na minha óptica a prova está a ser muito bem disputada. As equipas estão a demonstrar grande qualidade e isso engrandece a realização do próprio campeonato no nosso país. Noutra vertente, acredito que este Campeonato do Mundo vai promover o hóquei em patins em Angola, se tivermos em conta que a prática da modalidade restringe-se a cerca de meia dúzia de províncias, no universo das 18 que compõem o país”, disse.

Depois da realização da primeira fase, em que a Selecção Nacional não logrou a qualificação aos quartos-de-final, Fernando Diniz espera efectivamente que Angola se bata com dignidade nos jogos das classificativas do nono ao 16º lugar.

 “Acredito plenamente nesse desiderato. Pelo nível que a nossa equipa apresenta, penso que podemos figurar entre as melhores equipas desta fase de consolação”, sentenciou Fernando Diniz ao nosso Jornal.


INTENÇÃO
“Tem que se resgatar a mística
que a província ostentou outrora”


Num outro ângulo da conversa mantida com o nosso jornal, Fernando Cristóvão Diniz recordou com nostalgia os tempos em que o Bié era um verdadeiro celeiro do hóquei em patins no país, um percurso que foi interrompido pela guerra após as eleições legislativas de 1992, movida pela UNITA de Jonas Savimbi. “De lá para cá o hóquei em patins decaiu na nossa província”, disse.

Na época de glória, recordou o número “um” do Núcleo Provincial de Hóquei em Patins do Bié, pontificavam duas equipas na região, os Dínamos do Cunje e Sporting do Bié, que faziam furor em vários campos do país.

E como forma de resgatar a mística que o hóquei em patins bieno ostentou, hoje realiza-se um processo de massificação, que é liderado pela equipa do Sporting do Bié.

“Nesse processo de massificação estão envolvidas mais de 30 crianças, que são devidamente orientadas pelo professor Diogo Quessongo, ex-praticante da modalidade. Temos fé que os frutos desse projecto hão-de surgir no futuro”, disse Fernando Diniz.

Além do Sporting, recordou o responsável do hóquei em patins bieno, o Vitória Atlético Clube enceta também passos com vista à massificação.
“Fruto de tudo isso, acredito que o hóquei em patins vai resgatar a sua mística no Bié”, concluiu o responsável do organismo que superintende a modalidade na província.
SVD, NO CUITO


Selecção Nacional
Desempenho
agrada ao público

O público presente no pavilhão Welwitschia Mirabilis, para apoiar a Selecção Nacional, mostrou-se satisfeito com o comportamento dos atletas frente à Colômbia e Alemanha, para as classificativas do nono ao 16º lugar do Mundial.

A movimentação, eficácia e espírito de grupo foram os aspectos destacados pelo “exigente” público que continua a “encher” o pavilhão com capacidade para três mil espectadores.

Sobre o estado da equipa nacional, Domingas Kizembe, ex - hoquista da Banca Desportiva de Luanda, disse que Angola ganhou o duelo com os sul-americanos na perseverança, pois mesmo nos maus momentos sempre lutou para que deixasse feliz o seu povo.

“Angola apareceu bem, com uma postura táctica consolidada e muita determinação. É assim que temos que entrar sempre para alcançarmos o nono lugar”, recomendou o ex-praticante.

O adepto João Massadi destacou a qualidade do cinco nacional, fundamentalmente o capitão, Johe, e aconselhou a observância da humildade e entrada sempre com motivação.

João Massadi disse que é importante o próximo encontro. Deve-se explorar melhor o tempo mínimo de ataque à baliza contrária, o que pode frustrar o adversário e tentar ganhar com o maior número de golos possível.

Marcos Penas, que sofreu na bancada ao torcer por uma vitória da Selecção Nacional, agradeceu aos atletas pelo regresso às vitórias e disse que era muito gratificante a conquista do nono lugar para “apagar” a fase menos boa que passou.


Decisão
Técnico português
aposta na humildade


O treinador da selecção portuguesa de hóquei em patins, Luís Sénica, evocou quinta-feira em Luanda a humildade, determinação e força de vontade como garantias para o sucesso da sua equipa que procura desalojar a Espanha do título mundial.

Em declarações à imprensa, no final do desafio, o técnico afirmou que os seus jogadores vão continuar a pautar por uma conduta de humildade, determinados e com vontade de vencer e quebrar as intenções do adversário.

“Estamos satisfeitos por estarmos nesta fase. Agora, como sempre, vamos pautar pela humildade, determinação e vontade de vencer”, disse.