Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Namibe trabalha na divulgao

Rosa Napoleo - 30 de Julho, 2013

Governador Rui Falo (primeiro esquerda) visitou recentemente o Arena do Namibe que vai acolher duas sries do mundial

Fotografia: Jornal dos Desportos

A Associação Provincial de hóquei em patins do Namibe tem agendado um conjunto de acções com destaque para o festival de patinagem e jogos entre as equipas anfitriãs e as suas congéneres da vizinha província do Huíla, enquadrado nos festejos do dia da cidade, a assinalar-se a 4 de Agosto próximo.Maratonas desportivas constam ainda nos municípios do Tômbwa, Virei, Bibala, nos bairros mais populosos da sede da província, escolas, mercados e outros locais de maior concentração populacional.

As actividades enquadram-se no âmbito da divulgação do mundial de hóquei em patins que o país organiza em Setembro próximo, assim como incentivar os jovens e crianças a praticarem a modalidade, principalmente, os das zonas periféricas da cidade e interior da província para que futuramente possam surgir mais equipas.O presidente da associação provincial da modalidade, Zeferino Guto, disse estarem criadas todas as condições para a realização das actividades agendadas, estando nesta altura a aguardar apenas pela disponibilização financeira para o início das actividades.

“Os membros da associação provincial de patinagem que também fazem parte das subcomissões preparatória do Mundial de Hóquei em Patins, estão todos mobilizados no sentido de tudo fazerem para levarem ao conhecimento dos jovens e à população no geral a grandeza e os ganhos da realização do Mundial de Hóquei em Patins no país e na província em particular e também incentivar as crianças e jovens na prática damodalidade.”Além destas actividades constam ainda as de publicidade e marketing do Mundial que de princípio deve dar o seu arranque maciço a partir do dia 1 de Agosto, com a colocação de cartazes e distribuição de dísticos e outros brindes ligados ao Mundial.

A campanha publicitária passa principalmente pelas escolas onde serão distribuídas algumas cartilhas que contam a história do hóquei em patins assim como as suas regras, para uma maior compreensão por parte dos alunos e professores de educação física.O interesse pela prática da modalidade na província por parte dos pais e encarregados de educação, jovens e crianças aumentou significativamente com o advento do Mundial de Hóquei em Patins.

A equipa técnica do Atlético do Namibe trabalha nesta altura com mais de 100 petizes, número que tende a aumentar devido ao interesse crescente dos pais em verem os seus filhos praticarem a modalidade.José Aequela, secretário técnico da associação provincial de patinagem e treinador do Atlético do Namibe, disse que isto é um dos ganhos da realização do Mundial.“Vemos todos os dias crianças acompanhadas pelos pais e encarregados de educação que querem praticar o hóquei em patins. Isto é muito bom porque está a aumentar a população praticante da modalidade. No futuro podemos ter mais equipas e consequentemente a realização de provas internas com um número considerável de formações.”

No capítulo da preparação do Mundial, o pavilhão Arena do Namibe está praticamente concluído, o empreiteiro está nesta altura a trabalhar em alguns detalhes, como são os casos dos testes dos aparelhos de ar condicionado e hidráulicos, a colocação de alguns elementos desportivos e retoques para que amanhã se faça a entrega da obra como está programado até aqui.Quanto aos trabalhos externos, nesta altura as acções estão viradas para as vias que dão acesso ao pavilhão.Na zona frontal do pavilhão as obras estão praticamente concluídas, com a colocação do novo tapete asfáltico desde o estádio Joaquim Morais até à via que liga ao aeroporto.

REVELAÇÃO
Payero promete "lutar" para a titularidade


O avançado Martin Payero afirmou que vai “lutar” para ficar entre os eleitos do técnico Orlando Graça e conquistar a titularidade na Selecção Nacional que prepara a 12ª edição do torneio internacional “José Eduardo dos Santos”, de 22 a 25 deste mês, em Malange.  Em declarações sexta-feira à Angop, no final do treino nocturno, no pavilhão anexo da Cidadela, em Luanda, mostrou-se orgulhoso da sua nova condição de angolano, reiterando que fará tudo para figurar entre os eleitos visando o torneio internacional e o Campeonato do Mundo, de 20 a 28 de Setembro em Luanda e Namibe.“Fui bem recebido pela equipa técnica e colegas com quem já trabalhei em algumas ocasiões. Prometo dar o meu máximo nos treinos para ser titular", reiterou.

Quanto à adaptação ao conjunto nacional, referiu que não terá dificuldades por ter sido orientado pelo seleccionador Orlando Graça, enquanto técnico do Académica de Luanda. Nos últimos cinco anos Martin Payero representa o Académica de Luanda, conquistando três títulos nacionais (2009, 2010 e 2012), duas super Taças "João Garcia" (2010 e 2013) e uma Taça dos Clubes Campeões (2010), em Pretória, África do Sul.  O reforço da Selecção Nacional já alinhou pelo Lomanegra (Argentina), Hóquei Clube de Barcelos (Portugal) e Liceu de La Coruña (Espanha).

A FIGURA
Fortunato Pacavira
“Angola vai ganhar com o mundial”


Fortunato Pacavira, atleta de canoagem do Clube Naval da Ilha de Luanda e campeão africano, considera que a realização do Mundial de Hóquei Patins em Angola vai mudar o rumo da modalidade, incentivando o turismo e elevando o nome do país no que toca ao desenvolvimento económico e financeiro. O atleta, que qualificou o país em duas edições dos Jogos Olímpicos, acredita nos ganhos depois da realização da prova mundial.

Quais os ganhos que Angola pode ter com a realização do Mundial de Hóquei em Patins?
Vamos ter muitos ganhos. Com a chegada de grande número de turistas, a parte hoteleira vai crescer, teremos novos campos de hóquei, como estamos a ver, as construções dos pavilhões aqui em Luanda e nas outras duas províncias (Namibe e Malange) que vão receber a competição. Isso vai incentivar mais a juventude a praticar o desporto. Sabemos que em África, Angola é uma potência no hóquei e acredito que teremos mais competitividade após este Mundial. É muito bom para o país, que vai sempre crescendo cada vez mais.

Que benefício o país pode tirar do turismo após o Mundial?
Penso que depois da realização deste Mundial, Angola vai começar a escrever uma nova história em termos de turismo. Neste momento podemos dizer que somos bastante visitados por pessoas de outras partes do mundo pelo nosso vasto país, que possui atractivos de se tirar o chapéu. Acredito que muitos ainda não vieram porque conservam uma imagem negativa do nosso país pelas notícias da guerra que algum dia ouviram, mas com a chegada de turistas neste Mundial as informações acerca de Angola vão mudar e outras pessoas virão, aumentando significativamente o turismo e os lucros para o nosso país. Outro ponto relevante é que o Mundial incentiva o investimento privado, porque, correndo tudo bem, pode ajudar alguns empresários indecisos a tirarem dúvidas sobre Angola.

Os locais turísticos deviam fazer parte do programa das equipas no dia de folga?

Sim. Seria muito bom que os atletas estrangeiros tivessem esta oportunidade. Porque muitos deles se calhar não conseguem sair sozinhos para ver o que há de melhor na cidade. Nós, por exemplo, quando saímos em competições internacionais sentimos a falta deste tipo de programa, porque gostaríamos de conhecer um pouco mais os locais onde competimos, mas por vezes não temos autorização para sair do local e ficamos sem dar melhor testemunho desses lugares. Este é um problema que nós podíamos evitar se a comissão organizadora programasse para os dias de folga saídas para os atletas das selecções deste Mundial.