Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Orlando Graça dispensa atletas

Silva Cacuti - 01 de Setembro, 2013

Selecção Nacional tem a tarde de hoje livre para retemperar as energias visando a participação no Campeonato do Mundo

Fotografia: Jornal dos Desportos

O seleccionador nacional de hóquei em patins, Orlando Graça, concede hoje uma tarde livre aos atletas com que trabalha no recinto do Dream Space, visando a participação no campeonato do mundo a realizar-se de 20 a 28 de Setembro. A equipa voltou a concentrar-se ontem e efectuou a primeira sessão de treino com o grupo completo.

“Todos os atletas que estiveram fora do país já regressaram e participaram sem limitações no treino de ontem”, disse o responsável para as selecções nacionais, Mário Correia.

De acordo com a avaliação de Mário Correia, o grupo está motivado e com forças retemperadas para o trabalho.“Depois do torneio Zé Du, a Federação Angolana de Patinagem ofereceu bilhetes de passagem aos atletas para que gozassem férias, cada um onde quis gozar, mas já regressaram ao trabalho. Hoje, vamos ter uma sessão de treino, pela manhã, enquanto o período da tarde é livre”, adiantou.

A Selecção Nacional prevê, nesta derradeira etapa de preparação para o campeonato do mundo, uma passagem pela cidade do Namibe, onde vai experimentar o piso do pavilhão erguido para o mundial e também por Benguela, onde, segundo apurámos, prevê disputar um jogo diante da Selecção Nacional de juniores que vai disputar o campeonato do mundo de Sub-20, que se disputa na cidade de Cartagena das Índias, Colômbia, de 26 de Outubro a 2 de Novembro.

O seleccionador nacional, Orlando Graça, trabalha com Tiago Sousa, Pedalé, Kirro, André Centeno, João Pinto, Mamíkua, Paizinho, Márcio Fernandes, Big, Johe e Martin Payero, os mesmos que utilizou no torneio internacional José Eduardo dos Santos, disputado em Malange de 22 a 25 de Agosto.
A Selecção Nacional está inserida no grupo C, com as congéneres da África do Sul, adversário de estreia, Chile e Portugal.


História dos mundiais

(5ª EDIÇÃO)
Portugal ganha
tricampeonato


Em 1949, a cidade de Lisboa acolheu, de 28 de Maio a 3 de Junho, a 5ª edição do campeonato do mundo, que também contou para a 15ª edição do campeonato europeu. Num ambiente em que a sociedade portuguesa já estava familiarizada com a modalidade, depois das conquistas anteriores, a equipa portuguesa teve o suporte de uma grande falange de apoio e venceu sem desperdiçar qualquer ponto.

A prova teve 28 jogos em que se apontaram 201 golos, uma média de 7,18 por partida. Portugal conseguiu o terceiro título mundial consecutivo e a Espanha conquistou a medalha de prata pela primeira vez.

O campeonato voltou a restringir-se às equipas europeias, já que a selecção do Egipto, que tinha participado na edição anterior, não se inscreveu. A classificação geral ficou assim ordenada: 1º- Portugal, 2º- Espanha, 3º-Itália, 4º- Bélgica, 5º-Inglaterra, 6º- França, 7º- Suíça e 8º- Holanda.

(6ª EDIÇÃO)
Itália é organizador
na cidade de Milão


Presente desde a primeira edição das provas mundiais, a Itália acolheu apenas em 1950 o mundial, na cidade de Milão. O país organizador não conseguiu melhor que as medalhas de prata que logrou conquistar na primeira e segunda edição do campeonato do mundo, por conta da selecção portuguesa que vivia os seus melhores momentos de afirmação naquela época.

No mundial de 1950, a equipa africana do Egipto assinalou a sua segunda presença, depois de o ter feito na edição de 1948. Os faraós quedaram-se na última posição, com um único empate, a 2 golos, diante da França. Dez equipas participaram na prova, um número recorde.

A Suíça conseguiu também a sua primeira medalha mundial, ao quedar-se na terceira posição e relegar a Espanha, ainda titubeante, para a quarta posição.

A classificação ficou assim ordenada: 1º- Portugal, 2º- Itália, 3º- Suíça, 4º- Espanha, 5º- Alemanha, 6º- França, 7º- Inglaterra, 8º- Bélgica, 9º- Holanda e 10º- Egipto.
SILVA CACUTI


Técnico de Portugal escolhe atletas


O seleccionador de Portugal, Luís Sénica, já escolheu os 11 eleitos para representar o país europeu no 41º Campeonato do Mundo, que se realiza em Angola, entre os dias 20 e 28 de Setembro.

Do grupo de 13 atletas que começou o estágio, a 19 de Agosto, no Pavilhão do Luso, saíram os hoquistas Ricardo Oliveira e João Rafael Costa. A equipa está prestes a entrar na terceira semana de preparação e vai continuar com o intenso plano de trabalhos até ao desembarque em Luanda, em 15 de Setembro.

Os “Ursos”, como são chamados os atletas da selecção portuguesa, estão inseridos no Grupo C, juntamente com Chile, África do Sul e Angola. A estreia no mundial é frente aos chilenos, pelas 21h15 do dia 22 de Setembro. Na segunda partida da fase de grupos vai enfrentar a África do Sul e tem início marcado para as 18h30 de 23 de Setembro. A 24, Portugal vai defrontar, às 21h15, a selecção anfitriã.

Lista de convocados: Ricardo Silva (GR), André Girão (GR), Pedro Henriques (GR), Valter Neves, Ricardo Barreiros, Jorge Silva, Diogo Rafael, João Rodrigues, Hélder Nunes, Gonçalo Alves e Luís Viana.

GOLEADA
PORTUGUESA

A selecção de Portugal goleou  a Académica, por 10-1, no primeiro encontro de preparação para o Mundial de hóquei em patins, que se vai disputar em Angola em Setembro. No pavilhão do Luso, onde os “Ursos” estão a estagiar, Gonçalo Alves (2), José Rafael Costa (2), Ricardo Barreiros (1), Jorge Silva (1), João Rodrigues (1), Hélder Nunes (1), Ricardo Oliveira (1) e Luís Viana (1) marcaram os golos da equipa portuguesa.

O seleccionador português, Luís Sénica, disse à imprensa que “o estágio está a correr bem” e os jogadores estão a mostrar-se motivados. Em duas semanas de preparação, os treinos são intensos e durante o primeiro jogo de controlo já foi possível notar alguns aspectos tácticos.

Antes de viajar para Angola, a selecção portuguesa ainda tem mais três particulares previstos, com o Sobreira (4 de Setembro), a Sanjoanense (5) e o Turquel (10).