Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Turismo do Namibe vistoriado à lupa

João Upale|Namibe - 11 de Agosto, 2013

Hotel Infortur e outras unidades similares da província do Namibe receberam a visita do governante angolano

Fotografia: José Soares

O governante angolano ressaltou que a realização do mundial “traz inúmeras oportunidades, não só de negócios mas também do marketing, que bem aproveitadas podem mostrar ao mundo as potencialidades da província em todos os seus domínios”.

Para o efeito, Paulino Baptista defende que “é necessário cuidar do homem, zelar por aquilo que é hábito dos habitantes locais e dar a hospitalidade aos visitantes”, que façam sentir “os angolanos orgulhosos e bons acolhedores”. 

Durante a visita aos operadores hoteleiros locais, Paulino Baptista auscultou as principais preocupações dos responsáveis das obras do Hotel Infortur, condomínio da Caixa Social das Forças Armadas Angolanas e do Hotel Chik-Chik, que vão contribuir para o desenvolvimento socioeconómico da província do Namibe, e deu ordens aos agentes de serviços ligados às agências de viagens e rent-a-car.

Por seu turno, o Director Nacional para as Actividades Turísticas, Januário Mara, defendeu que a cultura namibense deve estar patente nos locais de maior aglomerado de turistas e demais visitantes, de modo a revelar as potencialidades turísticas e culturais.

“Os nossos artesãos, pintores, músicos, dançarinos, em suma, a nossa cultura do Namibe, tem de ser bem demonstrada durante o grande acontecimento de craveira internacional”, disse Januário Mara, que instou a direcção local da Cultura a negociar com as unidades hoteleiras e outras envolventes para aproveitar a ocasião com exposições.

O Director Nacional da Cultura destacou a cultura do Namibe como “imagem de marca” no contexto nacional, face às suas potencialidades e ressaltou a importância das discotecas, convidando-as a melhorarem a sua imagem para receberem os visitantes, sobretudo nos dias de descanso. Januário Mara aconselhou os proprietários das discotecas a porem material promocional nas unidades hoteleiras, onde as equipas vão hospedar-se, para que os seus atletas e dirigentes possam divertir-se e “deixar um pouco de dinheiro”.

O responsável do Ministério da Hotelaria e Turismo pediu às entidades locais para promoverem os guias turísticas, peças importantes na transmissão real, histórica e cultural da província do Namibe.


PROGNÓSTICO

Administrador do Lubango crente no sucesso


A participação do Executivo e a entrega da Comissão Organizadora na preparação do 41º Campeonato Mundial de Hóquei em Patins, que o país acolhe de 20 a 28 de Setembro próximo, nas cidades de Luanda e do Namibe, vão reflectir o sucesso do evento mundial. A constatação é do administrador municipal do Lubango.

Silvano Levi referiu que, à semelhança do trabalho do Executivo e da Cohoquei, é notável o serviço desenvolvido nas sedes provinciais anfitriãs do primeiro Campeonato Mundial a realizar-se em África. O administrador realçou que as associações provinciais de hóquei em patins estão empenhadas em que o Mundial decorra num ambiente de tranquilidade.

Dada a proximidade com a província do Namibe, revelou que a sua administração está a trabalhar de forma a contribuir para o sucesso da prova, através da vertente turística, tendo em conta o potencial da localidade nesta matéria.

VERTENTE
DESPORTIVA

No capítulo desportivo, Silvano Levi augura uma boa classificação, que passa em primeiro lugar, tendo em conta os resultados nos “testes” de preparação efectuados. Para o político, quem organiza quer ganhar, e essa regra não foge aos angolanos.

“Temos de pensar alto, porque os ganhos da prova são contagiantes a toda a sociedade”, frisou.
O estudante universitário António dos Santos Booka realça que os efeitos da realização do evento mundial já se fazem sentir nas crianças. Portanto, Angola procurou manter o hóquei em patins e, hoje, ver as crianças a patinarem, constitui uma grande alegria.

“Isso é um grande incentivo que a organização do Campeonato do Mundo proporciona. Tenho a esperança de que o processo de fomento não vai voltar a parar”, disse.
Quanto ao impacto do fomento, António dos Santos Booka realçou que se vai sentir nas províncias de Benguela, Bié, Huambo, Cunene e Kuando-Kubango. GAUDÊNCIO HAMELAY