Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Uruguai quer vergar a Suíça

Gaudêncio Hamelay, enviado ao Namibe - 26 de Setembro, 2013

Uruguaios prometem vitória para se manter entre os melhores do campeonato mundial depois de beneficiar da repescagem com a desistência da selecção inglesa

Fotografia: Rogerio Tuty

A Selecção Nacional do Uruguai defronta hoje, a partir das 15h00, no pavilhão Welwitchia Mirabilis, do Namibe, a sua congénere da Suíça com a intenção de ganhar e acalentar esperanças de continuar a disputar o campeonato mundial “A” de hóquei em patins.

Para a materialização do desejo, o treinador do Uruguai Jorge Escobar está consciente que a equipa adversária não será uma “pêra” fácil de “roer”. O potencial e o número de presenças em competições de género (33) são indicadores que chamam a atenção dos uruguaios.

Jorge Escobar argumentou que para ultrapassar os suíços vai armar um sistema táctico versado na marcação de zona e consolidar com contra-ataques rápidos para impedir as investidas adversárias.

Reconheceu existir muita diferença do hóquei praticado entre as duas formações, mas tudo prometeu fazer para obter uma vitória nesta fase qualificativa.
“O jogo vai ser muito difícil, mas, se jogarmos bem, faremos bom resultado”, disse.

Jorge Escobar ressalta que “há muita diferença” entre as duas equipas. “A Suíça também é uma potência no hóquei em patins a nível mundial; participa com regularidade em competições europeias. No entanto, vai ser um jogo muito difícil para nós”, afirmou.

Apesar das dificuldades a encontrar na partida de hoje, o seleccionador do Uruguai prometeu fazer o melhor possível para que nesta fase de consolação confirme a permanência no campeonato mundial “A”.

“Vamos tentar fazer o melhor que podemos para obter um resultado possível. O hóquei é um desporto que tecnicamente é muito complicado. E a selecção que tiver melhor técnica vai ganhar. Então, auguramos que a vitória sorria para o Uruguai”, garantiu. No lado da Suíça, a confiança de derrotar o Uruguai é enorme, depois de ver falhado os objectivos de passar aos quartos-de-final.

Para o técnico da Suíça, Gerald Brentini, o jogo vai ser difícil, porém a coesão e o empenho do seu conjunto são motivos para chamar a si o favoritismo, sem desprezo dos adversários. Os atletas estão motivados e trabalham para dignificar e honrar o nome do seu país. A Suíça conta com bons jogadores com destaque para Kissling e Vanina. Na primeira fase foram os responsáveis dos golos.
Face à confiança dos dois técnicos, a partida está relançada.

ENTRE EUROPEUS
Alemães favoritos diante da Áustria


As equipas da Alemanha e da Áustria medem forças hoje no pavilhão Welwitschia mirabilis do Namibe em jogo a contar para as classificativas do 9º ao 16º lugar do 41º Campeonato do Mundo de hóquei em  patins.

Nesta partida, a Alemanha é favorito à conquista da vitória pois, apesar de terminaram na terceira posição do grupo B, é uma equipa que pratica hóquei de alto nível. Não fosse a escorregadela diante da França, no último jogo, perdeu por 1-0, a selecção da Alemanha poderia estar muito bem representada nos quartos-de-finais.

Aliás, o técnico francês, Fabien Savreux fez questão de sublinhar que faltou sorte para a equipa chegar aos quartos-de-final. Por outro lado, afirmou que os adversários da primeira fase foram equipas mais rodadas em campeonatos do mundo. “Agora, vamos fazer o nosso campeonato diante das equipas mais ou menos do nosso nível.

Vamos procurar vencer cada jogo para alcançar a melhor posição neste campeonato do mundo a pensar no mundial de 2015, em França”, disse. 
Por sua vez, a Áustria, última classificada do grupo A, não venceu nenhum jogo, é uma selecção mais  fraca em relação a Alemanha. O destino trouxe-a ao Namibe, onde vai defrontar uma selecção do seu campeonato, uma vez que estão na mesma fase.     

A estatística entre as ambas equipas mostra que neste campeonato a Alemanha marcou 12 golos e sofreu sete, venceu um jogo e perdeu dois. A Áustria perdeu os três jogos, não marcou nenhum golo e sofreu 22 golos.

Por estes números, os alemães estão em melhores condições de vencer o jogo  de mais logo no pavilhão Welwitschia Mirabilis do Namibe, que tem registado fraca afluência do público.
JOÃO CONSTANTINO | NAMIBE


URUGUAIOS
Atletas confiantes num bom resultado

O capitão do Uruguai Cláudio Maeso assegurou ontem, ao Jornal dos Desportos, reinar no seio da equipa “muita motivação” para derrotar a todo-poderosa selecção da Suíça neste primeiro jogo das classificativas.

“Creio que amanhã (hoje) vamos fazer um jogo muito difícil, porque a Suíça é uma selecção muito forte. Compete em todas as ligas europeias, mas o Uruguai pode fazer um jogo igual ao que fizemos contra a Argentina, onde melhoramos muito na marcação. É possível ganhar”, salientou.
Cláudio Maeso afirmou que o objectivo da equipa é tentar ficar no mundial “A”.

“Temos duas possibilidades, pois teremos de ganhar dois jogos dos três. No de amanhã (hoje) vamos tentar fazer isso para ver se ficamos no mundial “A”, asseverou.

O uruguaio explicou que se perder com a Suíça ainda podem permanecer no mundial “A”, pois terão mais dois jogos com selecções que, normalmente, enfrentam o campeonato mundial B.

“Estamos confiantes que vamos fazer o melhor, apesar de nervos que nos acossa por vivermos com resultados negativos nesse mundial”, disse.
O guarda-redes da selecção do Uruguai, Mariano Vignapiamo, e o jogador Facundo Dufrechou afirmaram que estão “confiantes” na vitória.
GAUDÊNCIO HAMELAY, ENVIADO AO NAMIBE