Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

1º de Agosto e Petro em mais um confronto

29 de Maio, 2017

Jogos entre militares e petrolíferas já são clássicos

Fotografia: M. Machangongo | Edições Novembro

O pavilhão principal da Cidadela Desportiva volta a estar hoje ao rubro, para testemunhar mais um prato quente, entre as equipas do 1º de Agosto e do Petro de Luanda, às 18h00, a contar para o "play- off" da final do campeonato provincial. A final, inscreve três partidas,  caso uma das equipas vença as duas primeiras, torna-se desnecessária a terceira partida.

O regresso ao clássico, da influente congolesa Christianne Mwasesa, por parte do 1º de Agosto, e a ausência de Manuela Paulino, do lado do Petro de Luanda, por questões contratuais, são  elementos que podem marcar o jogo.

Mwasesa falhou o jogo da segunda volta, da fase regular, por estar lesionada, enquanto a jovem Manuela, integrante da convocatória de Morten Souback, está com um pé fora do Petro. Ao que tudo indica, assinou por outra equipa,  pode ficar o resto da época sem jogar.

A final, tem outros condimentos. Vai ser um jogo marcado pela juventude dos dois planteis, em que o favoritismo é, ainda, das agostinas. A equipa do 1º de Agosto, afecta às Forças Armadas Angolanas, conta com um naipe de jogadoras mais experientes, apesar das ausências confirmadas, das veteranas Luisa Kiala, Natália Bernardo, Wuta Dombaxi e Cristina Branco.

Para chegar à final, as petrolíferas, de Vivaldo Eduardo, afastaram o Progresso de Tony Costa, após duas vitórias (31-20 e 31-30), na meia-final. As militares sob a batuta de Morten Souback, caminham invencíveis para a conquista da prova,  despacharam a Marinha na meia final, por duas folgadas vitórias (27-20 e 34-19).

As equipas do Progresso e da Marinha defrontam-se para o terceiro lugar.

O 1º de Agosto procura a primeira vitória da época, em provas internas, depois de ter perdido para o Petro de Luanda a supertaça Francisco de Almeida. Fora do país, as militares conquistaram a supertaça Babacar Fall, e a taça das taças africanas.
 
Sector feminino
desperta no Uíge

A disputa, dos campeonatos provinciais do Uíge, está a despertar o interesse pela modalidade, por parte do sector feminino, segundo constatação de António Vézua, presidente da Associação de andebol local. O campeonato unificado juvenis/juniores uigense inscreve cinco equipas femininas.

"O sector feminino está  vivo, antes não tínhamos competição, as meninas treinavam  sem jogar, afastavam-se e agora estão engajadas, até as que deixaram de praticar estão a voltar, estamos muito satisfeitos com isso", disse António Vézua, presidente da Associação local.

No sector masculino, a competição conta com a participação de oito equipas.

A perspectivar-se a disputa de campeonatos regionais, Vézua assume a candidatura da sua província,  refere que o andebol no Uíge tem ambição.

"Nós nunca deixamos o Uíge sem ambição, naturalmente os nossos objectivos para estes zonais, passam pela obtenção dos passes para os campeonatos nacionais", sustentou.