Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

1 de Agosto e Petro jogam hoje final da Babacar Fall

Silva Cacuti - 04 de Abril, 2019

Militares e petrolferas voltam a disputar trofu africano

Fotografia: KINDALA MANUEL / EDIES NOVEMBRO

Três anos depois da sua última presença, o Petro de Luanda é rebaptizado hoje na Supertaça Babacar Fall à mão do seu rival, 1º de Agosto, detentor do troféu. A partida é disputada na cidade marroquina de Oudja. As petrolíferas assinalaram um defeso em competições africanas que durou desde 2015. Em 2018, regressaram e conquistaram a Taça das Taças, no Egipto.
O 1º de Agosto joga a Babacar Fall na condição de campeão da Taça dos Clubes Campeões, enquanto o Petro de Luanda disputa a prova por ter vencido a Taça das Taças.
Apesar de haver um dominante (agostinas vão à busca da quinta consagração)  e outro regressado à competição, o espectáculo está garantido. No mais recente confronto entre si, as agostinas, que estão sob batuta do dinamarquês Morten Soubak, não deram margem para qualquer dúvida em relação ao poderio e venceram por 31-23 na decisão da Supertaça angolana.
Em relação ao ano passado, Vivaldo Eduardo ganha o regresso da pivot Ríssia Oliveira, mas não tem Aznaide Carlos e pode ter Magda Cazanga a meio gás.  Cazanga não fez parte da digressão da equipa à República Democrática do Congo por lesão. A sua irmã, Suzeth Cazanga, é outra atleta que pode não estar a cem por cento.
Da parte do 1º de Agosto há a assinalar o crescimento da forma desportiva de Natália Bernardo e o regresso de Dalva Peres. Colocadas a jogar na companhia de Helena Paulo, Mwasesa e outras, fazem um grupo de luxo. Os condimentos do jogo colocam o 1º de Agosto como favorito à vitória.
As equipas prepararam-se a preceito. Enquanto as militares trabalharam em Luanda e usaram os jogos do campeonato provincial para aprimorar o elemento pré-competitivo, as petrolíferas, às ordens de Vivaldo Eduardo, cumpriram essa fase do processo de preparação na República Democrática do Congo. Em terras de Muasesa, defrontaram uma selecção local e participaram num torneio com as duas equipas daquele país, que vão disputar a Taça das Taças.
As agostinas aproveitaram o arranque do campeonato provincial para ganhar rodagem competitiva.
Pena é que os dois maiores emblemas angolanos têm de jogar em Oudja. Por cá, este clássico do andebol seria, com certeza, enquadrado nos festejos do Dia da Paz e levaria à Cidadela Desportiva à lotação.
De resto, independentemente do resultado de hoje, as duas equipas têm hora e data marcada para outro duelo: a final da 35ª edição da Taça das Taças, que se disputa a partir de amanhã na mesma cidade marroquina.
Na Taça das Taças, o Petro de Luanda, detentor do troféu, vai jogar inserido no grupo B, ao lado do FAP dos Camarões, DGSP da RDC e do Renaissance do Senegal. O 1º de Agosto, no grupo A, vai ter como adversários o Heritage da RDC, Dynamique dos Camarões e Bandama da Costa do Marfim.