Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola falha surpresa à Eslovénia

Silva Cacuti - 13 de Janeiro, 2017

Sérgio Lopes foi o melhor angolano no jogo de estreia

Fotografia: AFP

A Selecção Nacional sénior masculina de andebol começou com derrota a participação no XXV Campeonato Mundial da categoria que decorre em França até 29 do corrente. A equipa comandada por Alexandre Machado perdeu para a Eslovénia por 25-42 e viu frustrado o sonho de materializar uma surpresa na estreia da competição. Ao intervalo, a selecção nacional já perdia por 13-22.

O conjunto nacional não teve uniformidade na sua actuação. Depois do arranque até ao minuto 15, deu resposta às investidas da equipa adversária. Aos 16 minutos, teve uma desvantagem de dois golos: 10-12. O conjunto angolano denotou quebra física e chegou a jogar cerca de 13 minutos sem marcar qualquer golo, ainda durante a primeira parte.

Os atletas denunciaram o defeso que vivem internamente e perderam a atitude dos minutos iniciais. A equipa não fazia a recuperação defensiva em conformidade com a velocidade imprimida pelo adversário e foi apanhada no contra golo por uma Eslovénia muito astuta neste aspecto.

Edivaldo Ferreira, uma das referências da equipa angolana, estava anulado por uma marcação individual, que a Eslovénia alternava com o 6X0 muito compacto, quando defendia.

Mais rotinada, fruto de uma preparação que incluiu jogos de controlo ao mais alto nível, mais avantajada fisicamente, com atletas de envergadura superior a dois metros, a Eslovénia fazia o seu jogo e justificava a vantagem no marcador. Janc Blaz, talento esloveno de 20 anos, foi o melhor marcador da partida com oito golos.

Da parte angolana, Sérgio Lopes apontou sete.

Os árbitros, Grillo Lopez e Sebastian Lenci (Argentina), estiveram invisíveis sem qualquer influência no andamento da partida.

Angola defendia de forma deficiente, o que anulou a exuberância de jogo que Sérgio Lopes, Romé Hebo e Edvaldo Ferreira imprimiam no ataque. No cômputo geral foi muita Eslovénia para pouca Angola.

Hoje, a Selecção Nacional cumpre descanso para voltar ao piso do Metz Arena, amanhã, às 20h45, quando defrontar a Macedónia, para a segunda jornada do grupo B preliminar.

Sérgio Lopes
marca diferença

No jogo que marcou o início da terceira presença em campeonatos do mundo, o internacional angolano Sérgio Lopes não se fez rogado. Encarou de forma destemida os adversários que estão muito mais habituados a jogos a este nível, mas que nenhum deles tem a sua longevidade em termos de selecção.

Da equipa eslovena que jogou o mundial de 2007, em que Lopes fez a sua segunda aparição, não resta nenhum atleta. Gajic Dragan, melhor marcador do mundial de 2015, era o que restava, mas acabou de se aposentar para a selecção, antes do mundial.

Sérgio Lopes comandou a equipa angolana até ao limite, mas as insuficiências do grupo não permitiram, sequer, um resultado equilibrado. Aliás, mais não se podia esperar, quando se tem em conta de que a Eslovénia é a quarta classificada do último campeonato europeu.

Simão Filho, presidente da Associação provincial de Andebol de Luanda, que participou do último treino da selecção na Cidadela, considera normal a actuação de Sérgio Lopes.

"Está a fazer a sua terceira presença mundial, embora estas presenças não sejam regulares, mostrou que encara os jogos do mundial com a maior naturalidade. Não me admirou a sua performance", comentou.

Sobre o resultado do jogo, Simão Filho também despenaliza a equipa angolana.

"A Eslovénia é das candidatos da série. Angola fez o que podia dentro das suas capacidades. Para começar, não esteve muito mal", analisou.

No primeiro jogo, Romé Hebo foi outro marcador da equipa, ao apontar cinco golos. Gabriel Teka marcou quatro e Edvaldo Ferreira três.