Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola mais longe do CAN

Silva Cacuti - 11 de Maio, 2016

Selecção sénior feminina de andebol pode jogar o próximo Campeonato Africano na capital dos Camarões dada a situação de crise financeira

Fotografia: Jornal dos Desportos

Angola pode não ser a sede do XXII Campeonato Africano de Andebol sénior feminino, caso a Confederação Africana de Andebol (CAHB) aceite a candidatura camaronesa que foi apresentada à margem da disputa da Taça das Taças em Laâyaoune, Marrocos. A Federação Angolana de Andebol (Faand) apresentou um plano de reestruturação das condições de realização da prova no país, ante as dificuldades financeiras.

A Faand procura realizar a prova continental com recursos obtidos da publicidade. No entanto, a Confederação Africana tem acordos firmados com diferentes parceiros e um dos quais tem a ver com os direitos de transmissão, com uma televisão espanhola.As duas reuniões do Conselho da Confederação Africana de Andebol, em Laâyoune, não puderam ser conclusivas em relação à atribuição definitiva da prova a Angola, pela ausência de uma autorização formal das autoridades governamentais, que garanta o apoio à competição continental.

A instituição remeteu o assunto à negociação entre a Federação Angolana de Andebol e a detentora de direitos de transmissão."A Faand deve negociar com essa televisão. Só se houver consenso, é que se poderá falar em CAN no nosso país. A situação é pouco confortável para Angola. Outros países aperceberam-se das dificuldades e apresentaram disponibilidade para acolher a competição. Os Camarões já apresentaram uma candidatura suportada pelo seu governo", disse uma fonte.

Entraram na corrida pela realização da prova, a Tunísia, República do Congo e os Camarões. Depois de ter sido arredada do título africano na edição de 2014, disputada em Argel, Argélia, a Federação Angolana de Andebol apresentou a candidatura para acolher a prova e beneficiar do factor casa na tentativa do resgate do troféu continental. A selecção nacional regista um rejuvenescimento do seu plantel.

MINJUD MANTÉM
O DISCURSO

O Director Nacional do Desporto, António Gomes, disse que não há qualquer alteração em relação aos pronunciamentos tornados públicos da parte do Ministério da Juventude e Desportos, em relação à realização do Campeonato Africano das Nações sénior feminino no país.  O responsável disse que a instituição trabalha, por um lado, e a Federação Angolana também está a fazer o seu trabalho.

"É um assunto que está a ser tratado, ainda não se tomaram  decisões; são matérias que estão em cima da mesa a ser trabalhadas", comentou.Pouco assertivo, António Gomes remeteu-nos a abordagens anteriores sobre o assunto: "Em princípio, não há qualquer alteração aos últimos pronunciamentos públicos sobre este assunto".Aquando da apresentação da competição continental aos parceiros da Federação Angolana de Andebol, o Secretário de Estado para a política do Desporto, Albino da Conceição, condicionou a realização da competição no país às garantias que forem dadas pelo empresariado no suporte das condições logísticas.