Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola procura triunfo

Silva Cacuti - 08 de Dezembro, 2015

Angolanas vão procurar brilhar na partida de logo mais onde estão proibidas de perder

Fotografia: José Cola

A Selecção Nacional sénior feminina defronta hoje a partir das 16h45, a similar de Cuba, com obrigação de vencer para acalentar esperanças de passar à segunda fase do 22º Campeonato Mundial, que decorre desde 5 do corrente na Dinamarca.

Depois de dois desaires, 23-37 e 24-37, diante da Suécia e da Holanda nas primeiras jornadas, João Florêncio e pupilas devem fazer contas antes de encararem os três jogos que  restam. O jogo disputa-se às 16h45 no arena Naestved, espaço com cerca de 3,5 mil lugares. Para passar à segunda fase, a equipa comandada pelo técnico João Florêncio precisa de duas vitórias. Depois de Cuba vai ter a Polónia e a China pela frente.
A pensar, jogo a jogo, o adversário de Angola hoje está ao seu alcance, se nos basearmos no histórico. Cuba faz a terceira presença em mundiais. Esteve no mundial em 1999, pela primeira vez e quedou-se no 21º lugar. Voltou ao mundial em 2011 e baixou um lugar, 22º.

Cuba vem motivada para este mundial, depois de ter sido prata nos jogos pan- americanos, deste ano, em que perdeu a final para o Brasil, campeão mundial, por apertados 22-26. Traz para o jogo, tal como Angola, uma equipa sem atletas que evoluem no estrangeiro. Gleynys Reyes, meia-distância direita e a central Eyatne Rizo estiveram no sete ideal dos jogos pan-americanos, mas são Ayling Nartinez e Lisandra Lusson que carregam o jogo das cubanas, orientadas por Jover Hernandez.

Cuba chega ao jogo com poucas ambições, em relação à passagem para a outra fase, conhece o seu campeonato, mas detém melhor ataque (66 golos) e melhor defesa (52) que a selecção nacional.
Os números que Angola de João Florêncio está a mostrar, tornam-na irreconhecível, mais ainda quando percebermos que no mundial passado fez melhores resultados, com equipas mais cotadas. Angola perdeu por nove golos (23-32) com a Polónia (acabou em 4º lugar) e 21-30 com a Espanha. Diante da Noruega Angola perdeu por 21-26.

Angola apontou, em dois jogos, 47 golos e sofreu 74, os piores registos do grupo, até agora, tanto na defesa como no ataque. João Florêncio tem em Natália Bernardo a melhor marcadora, 12 golos, mas uma equipa que tem sido incapaz de fazer recuperações defensivas.

A Selecção Nacional tem sido permissiva defensivamente e desaprendeu o jogo de contra-ataque. Se não vencer hoje a equipa nacional põe em risco a fase seguinte da prova e a melhoria do 16º lugar da classificação final.  
A última vez que a Selecção Nacional não passou à fase seguinte do mundial foi em 2003, na Croácia, quando a equipa era comandada pelo búlgaro Pavel Dzhenev.
A equipa nacional está inserida no grupo B do campeonato do mundo que tem sede na cidade dinamarquesa de Naestved, ao lado da China, Cuba, Polónia, Suécia e Holanda.