Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Azenaide regressa ao clube

Silva Cacuti - 25 de Novembro, 2015

A jogadora integra o grupo da Selecção Nacional que prepara na Europa a participação no Campeonato do Mundo

Fotografia: José Cola

Azenaide Carlos "Zizica" meia-distância formada no 1ºde Agosto  e que em Janeiro de 2014 esteve no centro de uma polémica transferência quando reforçou a equipa sénior feminina do Petro de Luanda, pode estar de regresso à casa que a formou, segundo apuramos de fontes próximas do emblema militar. A jogadora integra o grupo da Selecção Nacional, que prepara na Europa a participação no Campeonato Mundial da categoria, aprazado para Dezembro, na Dinamarca. A meia-distância que está em fim de contrato no Petro de Luanda, pode ter um vínculo com a equipa campeã africana, de dois ou mais anos, de acordo com a  fonte.

Segundo apuramos, do lado do Petro de Luanda há ainda esperanças de que a atleta ao voltar da selecção assine a renovação, mas pode ser tarde demais."Aquilo que sabemos é que ela pode ainda assinar pelo Petro, é uma jogadora valiosa, por isso é natural o interesse de outras equipas. Infelizmente, aqui no nosso clube parece que as pessoas não gostam de se antecipar aos factos. Entendo que não se devia esperar que o contrato de uma jogadora com o valor da Azenaide chegasse ao fim, para depois concorrer com outros, quando sabemos que o mercado tem sido competitivo ultimamente", disse ao Jornal dos Desportos fonte do departamento tricolor para a modalidade.

Azenaide pode ser a sétima atleta a emigrar do catetão para o ex- RI 20, depois de Nair Almeida, Elzira Barros, Rosa Amaral, Sílvia Mulabo, Natália Bernardo e Iracelma Silva.  Na última conferência de imprensa, Tomás Faria, presidente do Petro de Luanda reafirmou a intenção de conquistar títulos com a equipa sénior feminina de andebol. A equipa reforçou-se com uma atleta brasileira e outra da sérvia e equilibrou as coisas na última disputa do título africano, mas Vivaldo Eduardo, técnico tricolor, vai ter que arranjar outras peças para “calcetar” o caminho da reconquista de espaços perdidos.